INTERDISCIPLINARIDADE NO ENSINO MÉDIO INTEGRADO: CONSIDERAÇÕES PARA UMA FORMAÇÃO OMNILATERAL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/rbept.2020.9496

Palavras-chave:

Currículo, Interdisciplinaridade, Educação Profissional

Resumo

Este texto tem como objetivo colocar em discussão a relevância de um currículo interdisciplinar para uma formação humana mais completa. Em tempos de globalização e internacionalização do conhecimento ocasionado pelos recentes avanços da ciência e da tecnologia, torna se necessário e urgente empreender ações que visem à revisão e a atualização do currículo com conteúdos em sintonia com  a contemporaneidade. O trabalho buscou fundamentação teórico-conceitual nos estudiosos vinculados ao pensamento crítico que contribuem para a Educação Profissional e Tecnológica-EPT. Utilizou-se o método qualitativo de levantamento de referenciais bibliográficos da área estudada e de documentos oficiais reguladores e orientadores do currículo integrado. O resultado do estudo revela que a interdisciplinaridade ainda é um desafio, mas também uma possibilidade na construção de um currículo integrado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Chera Rosane Leles de Bessa, Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Tocantins

Mestranda em Ensino pelo ProfEPT - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins - IFTO/Campus Palmas-TO. Possui Licenciatura em Geografia pela Universidade Estadual de Goiás, Especialização em Gestão Pública pela Universidade Cândido Mendes e Especialização em Educação, Pobreza e Desigualdade Social pela Universidade Federal do Tocantins. Atualmente é Servidora da Fundação Universidade Federal do Tocantins.

 http://lattes.cnpq.br/2469982198828549

Rivadavia Porto Cavalcante, Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Tocantins

Doutor em Linguística e Práticas Sociais pela Universidade Federal da Paraíba ? (PROLING/UFPB). Estágio de Doutorado Sanduiche (PDSE/CAPES) - Boursier d?excelence - pela Universidade de Genebra (UNIGE), Suíça. Mestre em Linguística e Práticas Sociais (PROLING/UFPB), Especialista em métodos de Ensino/Aprendizagem da língua inglesa pela Faculdade de Educação São Luiz, Jabotical/SP, Especialista em Docência Universitária pela Universidade Estadual de Goiás (UEG). Licenciado e Bacharelado em Letras pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Atua como Pesquisador de práticas sociais da lingua(gem) e dos gêneros de texto que as representam, com ênfase em Linguística Aplicada e Políticas Linguísticas. Docente e Tradutor (Inglês/Francês) com experiência em gestão de projetos para cooperação e parcerias internacionais. Lider do Grupo de Estudos em Lingua(gem), Interação e Representações nas Práticas Formativas (GELIPRAC/IFTO), Membro do Grupo de Estudos em Letramentos, Interação e Trabalho (GELIT/UFPB) e do Núcleo de Estudos de Políticas e Educação Linguística (NEPEL/UFPB) cadastrados no CNPq.

http://lattes.cnpq.br/0253765727453200

Jair José Maldaner, Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Tocantins

Possui Doutorado (2016) e Mestrado (2009) em Educação pela Universidade de Brasília, Licenciatura em Filosofia pela Universidade de Passo Fundo (1996), Especialização em Filosofia pela Universidade Católica de Brasília(1999) e Especialização em Gestão Educacional e Metodologias de Ensino - Educon (2006). Atualmente é professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins -IFTO- Campus Palmas; Líder do grupo de pesquisa Cnpq/IFTO Práxis: Trabalho, Educação e Sociedade; Atua como Coordenador Local e como docente no Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica-ProfEPT. Tem experiência na área de Filosofia e Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação Profissional e Tecnológica -EPT, Formação de Professores, Filosofia, Educação, Ética, Cidadania, Direitos Humanos.

http://lattes.cnpq.br/8689074015953702

Khellen Cristina Pires Correia, Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Tocantins

Doutora em Estudos do Lazer pela Universidade Federal de Minas Gerais ( UFMG). Mestre em Ciências da Educação Superior pela Universidade Católica de Goiás (2006). Especialista em Gestão Pública pela Universidade Federal do Tocantins ( 2013). Licenciada em Educação Física pela Universidade Estadual de Goiás (1999). Professora efetiva do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins (IFTO). Professora do Mestrado PROFEPT e do curso de Licenciatura em Educação Física do IFTO. Experiência como formadora do PELC (Programa Esporte e Lazer da Cidade) da Secretaria Nacional de Esporte Lazer e Inclusão Social. Experiência na área de Educação Física com ênfase na perspectiva interdisciplinar, sendo os seguintes temas o foco dos meus estudos: lazer, educação física e estudos étnicos e raciais.

http://lattes.cnpq.br/3138422046871056

Referências

ARROYO, Miguel. Currículo, território em disputa. 5.ed. Petrópolis, RJ:

Vozes, 2013.

BRASIL. Constituição dos Estados Unidos do Brasil de 10 de nov. 1937. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 10 nov. 1937. Disponível em:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao37.htm. Acesso em: 28 fev. 2020.

BRASIL. Decreto n. 7.566 de 23 de setembro de 1909. Cria nas Capitais dos Estados da República Escolas de Aprendizes Artífices, para o Ensino

Profissional Primário e Gratuito. Publicação Original [Coleção de Leis do

Brasil de 31/12/1909 - vol. 002] (p. 445, col. 1). Disponível em:

http://legis.senado.leg.br/norma/589450. Acesso em: 28 de fev. 2020.

BRASIL. Lei n. 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. Brasília, DF, 29 dez. 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato20072010/2008/Lei/L11892.htm. Acesso em: 20 dez. 2019.

BRASIL. Decreto nº 5.154 de 23 de julho de 2004.Regulamenta o § 2º do art.36 e os arts. 39 a 41 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e dá outras

providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 26 jul. 2004. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato20042006/2004/decreto/d5154.htm. Acessado em 26 fev. 2020.

BRASIL. Lei nº 13.415 de 16 de fevereiro de 2017. Institui a Política de

Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 17 fev..2017. Disponível em:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato20152018/2017/Lei/L13415.htm. Acesso em: 27 de fev. 2020.

Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Brasília, DF, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 28 de fevereiro de 2020.

CASCINO, Fabio. Educação Ambiental: princípios, história, formação de

professores. 4 ed. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2004.

CIAVATTA, Maria. A formação integrada a escola e o trabalho como lugares de memória e de identidade. Trabalho necessário. vol. 3, n. 3, 2005. DOI:

https://doi.org/10.22409/tn.3i3.p6122. Acesso em: 20 de fevereiro de 2020.

CURY, Carlos Roberto Jamil; REIS, Magali; ZANARDI, Teodoro Adriano

Costa. Base Nacional Comum Curricular: dilemas e perspectivas. São

Paulo: Cortez, 2018.

FAZENDA, Ivani C. (org.). Dicionário em construção: interdisciplinaridade. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

FAZENDA, Ivani C. (org.). O que é interdisciplinaridade?. São Paulo: Cortez, 2008.

FAZENDA, Ivani C. A. (org.). Didática e interdisciplinaridade. Campinas,

SP: Papirus, 1998.

FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise (Org.). Ensino

médio integrado: concepções e contradições. 2. ed. São Paulo: Cortez,

GATTI, Bernadete Angelina. A construção da pesquisa em educação no

Brasil. 3 ed. Brasília: Liber Livro Editora, 2010.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São

Paulo: Atlas, 2008.

MALDANER, Jair José. Considerações sobre trabalho e educação em Marx.

Revista Filosofazer, Passo Fundo, v. 49, n. 27, p. 9-20, jul./dez. 2016. ISSN 2526-5709. Disponível em:

http://filosofazer.ifibe.edu.br/index.php/filosofazer/article/view/212. Acesso em: 01 nov. 2019.

MALDANER, Jair José. Considerações sobre a educação em Gramsci.

Revista Filosofazer, Passo Fundo, v. 38, p. 61-69, jan./jun. 2011. ISSN

-5709. Vol. 1 (2019) 15

MANACORDA, Mario Anghiero. O Princípio educativo em Gramsci. Porto

Alegre: Artmed, 1990. p.201 a 207.

MOURA, Dante Henrique. Ensino Médio e educação profissional:

dualidade histórica e possibilidade de integração. In: MOLL, Jaqueline

(Org.). Educação Profissional e Tecnológica no Brasil Contemporâneo:

desafios, tensões e possibilidades. Porto Alegre: Artmed. 2010.

MOURA, DANTE HENRIQUE; LIMA FILHO, DOMINGOS LEITE; SILVA,

MÔNICA RIBEIRO. Politecnia e formação integrada: confrontos

conceituais, projetos políticos e contradições históricas da educação

brasileira. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, v. 20, n. 63, p. 1057-1080,

dez. 2015. Disponíel em:

http://dx.doi.org/10.1590/S1413-24782015206313. Acesso em: 10/01/2020

MOURA, D. H. Entrevista. RECEI Revista Ensino Interdisciplinar, v. 2, nº.

, Julho/2016, UERN, Mossoró, RN. Disponivel em:

http://docplayer.com.br/113680725-Recei-revista-ensino-interdisciplinar-v-2-no-05-julho-2016-uern-mossoro-rn.html. Acesso em: 28/02/2020.

RAMOS, Marise. Ensino médio integrado: ciência, trabalho e cultura na

relação entre educação profissional e educação básica. In: MOLL, Jaqueline(Org.) e (colaboradores). Educação profissional e tecnológica no Brasil contemporâneo: desafios, tensões e possibilidades. Porto Alegre: Artmed. 2010.

SACRISTÁN, José Gimeno. O currículo: uma reflexão sobre a prática. 3

ed. Porto Alegre: ArtMed, 2000.

SACRISTÁN, José Gimeno.(org.). Saberes e incertezas sobre o currículo.

São Paulo: Penso, 2013.

SAVIANI, Dermeval. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e

históricos. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, v. 12, n. 34,

p.152-165, jan./abr. 2007. Disponível em:

http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v12n34/a12v1234.pdf. Acesso em: 28/02/2020.

SAVIANI, Dermeval. O choque teórico da Politecnia. Trab. educ. saúde, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 131-152, Mar. 2003. Disponivel em:

http://dx.doi.org/10.1590/S1981-77462003000100010. Acesso em:

/02/2020.

VIEIRA, Alboni Marisa Dudeque Pianovski; SOUZA JUNIOR, Antonio de. A

educação profissional no Brasil. Rev. Interacções, Santarém - Portugal, vol.12 n.º 40, 2016, p. 152-169, 17 de janeiro de 2017. Disponível em: DOI: https://doi.org/10.25755/int.10691. Acesso em: 31 out. 2019.

Downloads

Publicado

19/04/2020

Como Citar

BESSA, Chera Rosane Leles de; CAVALCANTE, Rivadavia Porto; MALDANER, Jair José; CORREIA, Khellen Cristina Pires. INTERDISCIPLINARIDADE NO ENSINO MÉDIO INTEGRADO: CONSIDERAÇÕES PARA UMA FORMAÇÃO OMNILATERAL. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, [S. l.], v. 2, n. 19, p. e9496, 2020. DOI: 10.15628/rbept.2020.9496. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/RBEPT/article/view/9496. Acesso em: 15 jun. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

> >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.