INTERDISCIPLINARIDADE NO ENSINO MÉDIO INTEGRADO: CONSIDERAÇÕES PARA UMA FORMAÇÃO OMNILATERAL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/rbept.2020.9496

Palavras-chave:

Currículo, Interdisciplinaridade, Educação Profissional

Resumo

Este texto tem como objetivo colocar em discussão a relevância de um currículo interdisciplinar para uma formação humana mais completa. Em tempos de globalização e internacionalização do conhecimento ocasionado pelos recentes avanços da ciência e da tecnologia, torna se necessário e urgente empreender ações que visem à revisão e a atualização do currículo com conteúdos em sintonia com  a contemporaneidade. O trabalho buscou fundamentação teórico-conceitual nos estudiosos vinculados ao pensamento crítico que contribuem para a Educação Profissional e Tecnológica-EPT. Utilizou-se o método qualitativo de levantamento de referenciais bibliográficos da área estudada e de documentos oficiais reguladores e orientadores do currículo integrado. O resultado do estudo revela que a interdisciplinaridade ainda é um desafio, mas também uma possibilidade na construção de um currículo integrado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Chera Rosane Leles de Bessa, Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Tocantins

Mestranda em Ensino pelo ProfEPT - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins - IFTO/Campus Palmas-TO. Possui Licenciatura em Geografia pela Universidade Estadual de Goiás, Especialização em Gestão Pública pela Universidade Cândido Mendes e Especialização em Educação, Pobreza e Desigualdade Social pela Universidade Federal do Tocantins. Atualmente é Servidora da Fundação Universidade Federal do Tocantins.

 http://lattes.cnpq.br/2469982198828549

Rivadavia Porto Cavalcante, Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Tocantins

Doutor em Linguística e Práticas Sociais pela Universidade Federal da Paraíba ? (PROLING/UFPB). Estágio de Doutorado Sanduiche (PDSE/CAPES) - Boursier d?excelence - pela Universidade de Genebra (UNIGE), Suíça. Mestre em Linguística e Práticas Sociais (PROLING/UFPB), Especialista em métodos de Ensino/Aprendizagem da língua inglesa pela Faculdade de Educação São Luiz, Jabotical/SP, Especialista em Docência Universitária pela Universidade Estadual de Goiás (UEG). Licenciado e Bacharelado em Letras pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Atua como Pesquisador de práticas sociais da lingua(gem) e dos gêneros de texto que as representam, com ênfase em Linguística Aplicada e Políticas Linguísticas. Docente e Tradutor (Inglês/Francês) com experiência em gestão de projetos para cooperação e parcerias internacionais. Lider do Grupo de Estudos em Lingua(gem), Interação e Representações nas Práticas Formativas (GELIPRAC/IFTO), Membro do Grupo de Estudos em Letramentos, Interação e Trabalho (GELIT/UFPB) e do Núcleo de Estudos de Políticas e Educação Linguística (NEPEL/UFPB) cadastrados no CNPq.

http://lattes.cnpq.br/0253765727453200

Jair José Maldaner, Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Tocantins

Possui Doutorado (2016) e Mestrado (2009) em Educação pela Universidade de Brasília, Licenciatura em Filosofia pela Universidade de Passo Fundo (1996), Especialização em Filosofia pela Universidade Católica de Brasília(1999) e Especialização em Gestão Educacional e Metodologias de Ensino - Educon (2006). Atualmente é professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins -IFTO- Campus Palmas; Líder do grupo de pesquisa Cnpq/IFTO Práxis: Trabalho, Educação e Sociedade; Atua como Coordenador Local e como docente no Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica-ProfEPT. Tem experiência na área de Filosofia e Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação Profissional e Tecnológica -EPT, Formação de Professores, Filosofia, Educação, Ética, Cidadania, Direitos Humanos.

http://lattes.cnpq.br/8689074015953702

Khellen Cristina Pires Correia, Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Tocantins

Doutora em Estudos do Lazer pela Universidade Federal de Minas Gerais ( UFMG). Mestre em Ciências da Educação Superior pela Universidade Católica de Goiás (2006). Especialista em Gestão Pública pela Universidade Federal do Tocantins ( 2013). Licenciada em Educação Física pela Universidade Estadual de Goiás (1999). Professora efetiva do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins (IFTO). Professora do Mestrado PROFEPT e do curso de Licenciatura em Educação Física do IFTO. Experiência como formadora do PELC (Programa Esporte e Lazer da Cidade) da Secretaria Nacional de Esporte Lazer e Inclusão Social. Experiência na área de Educação Física com ênfase na perspectiva interdisciplinar, sendo os seguintes temas o foco dos meus estudos: lazer, educação física e estudos étnicos e raciais.

http://lattes.cnpq.br/3138422046871056

Referências

ARROYO, Miguel. Currículo, território em disputa. 5.ed. Petrópolis, RJ:

Vozes, 2013.

BRASIL. Constituição dos Estados Unidos do Brasil de 10 de nov. 1937. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 10 nov. 1937. Disponível em:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao37.htm. Acesso em: 28 fev. 2020.

BRASIL. Decreto n. 7.566 de 23 de setembro de 1909. Cria nas Capitais dos Estados da República Escolas de Aprendizes Artífices, para o Ensino

Profissional Primário e Gratuito. Publicação Original [Coleção de Leis do

Brasil de 31/12/1909 - vol. 002] (p. 445, col. 1). Disponível em:

http://legis.senado.leg.br/norma/589450. Acesso em: 28 de fev. 2020.

BRASIL. Lei n. 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. Brasília, DF, 29 dez. 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato20072010/2008/Lei/L11892.htm. Acesso em: 20 dez. 2019.

BRASIL. Decreto nº 5.154 de 23 de julho de 2004.Regulamenta o § 2º do art.36 e os arts. 39 a 41 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e dá outras

providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 26 jul. 2004. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato20042006/2004/decreto/d5154.htm. Acessado em 26 fev. 2020.

BRASIL. Lei nº 13.415 de 16 de fevereiro de 2017. Institui a Política de

Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 17 fev..2017. Disponível em:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato20152018/2017/Lei/L13415.htm. Acesso em: 27 de fev. 2020.

Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Brasília, DF, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 28 de fevereiro de 2020.

CASCINO, Fabio. Educação Ambiental: princípios, história, formação de

professores. 4 ed. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2004.

CIAVATTA, Maria. A formação integrada a escola e o trabalho como lugares de memória e de identidade. Trabalho necessário. vol. 3, n. 3, 2005. DOI:

https://doi.org/10.22409/tn.3i3.p6122. Acesso em: 20 de fevereiro de 2020.

CURY, Carlos Roberto Jamil; REIS, Magali; ZANARDI, Teodoro Adriano

Costa. Base Nacional Comum Curricular: dilemas e perspectivas. São

Paulo: Cortez, 2018.

FAZENDA, Ivani C. (org.). Dicionário em construção: interdisciplinaridade. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

FAZENDA, Ivani C. (org.). O que é interdisciplinaridade?. São Paulo: Cortez, 2008.

FAZENDA, Ivani C. A. (org.). Didática e interdisciplinaridade. Campinas,

SP: Papirus, 1998.

FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise (Org.). Ensino

médio integrado: concepções e contradições. 2. ed. São Paulo: Cortez,

GATTI, Bernadete Angelina. A construção da pesquisa em educação no

Brasil. 3 ed. Brasília: Liber Livro Editora, 2010.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São

Paulo: Atlas, 2008.

MALDANER, Jair José. Considerações sobre trabalho e educação em Marx.

Revista Filosofazer, Passo Fundo, v. 49, n. 27, p. 9-20, jul./dez. 2016. ISSN 2526-5709. Disponível em:

http://filosofazer.ifibe.edu.br/index.php/filosofazer/article/view/212. Acesso em: 01 nov. 2019.

MALDANER, Jair José. Considerações sobre a educação em Gramsci.

Revista Filosofazer, Passo Fundo, v. 38, p. 61-69, jan./jun. 2011. ISSN

-5709. Vol. 1 (2019) 15

MANACORDA, Mario Anghiero. O Princípio educativo em Gramsci. Porto

Alegre: Artmed, 1990. p.201 a 207.

MOURA, Dante Henrique. Ensino Médio e educação profissional:

dualidade histórica e possibilidade de integração. In: MOLL, Jaqueline

(Org.). Educação Profissional e Tecnológica no Brasil Contemporâneo:

desafios, tensões e possibilidades. Porto Alegre: Artmed. 2010.

MOURA, DANTE HENRIQUE; LIMA FILHO, DOMINGOS LEITE; SILVA,

MÔNICA RIBEIRO. Politecnia e formação integrada: confrontos

conceituais, projetos políticos e contradições históricas da educação

brasileira. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, v. 20, n. 63, p. 1057-1080,

dez. 2015. Disponíel em:

http://dx.doi.org/10.1590/S1413-24782015206313. Acesso em: 10/01/2020

MOURA, D. H. Entrevista. RECEI Revista Ensino Interdisciplinar, v. 2, nº.

, Julho/2016, UERN, Mossoró, RN. Disponivel em:

http://docplayer.com.br/113680725-Recei-revista-ensino-interdisciplinar-v-2-no-05-julho-2016-uern-mossoro-rn.html. Acesso em: 28/02/2020.

RAMOS, Marise. Ensino médio integrado: ciência, trabalho e cultura na

relação entre educação profissional e educação básica. In: MOLL, Jaqueline(Org.) e (colaboradores). Educação profissional e tecnológica no Brasil contemporâneo: desafios, tensões e possibilidades. Porto Alegre: Artmed. 2010.

SACRISTÁN, José Gimeno. O currículo: uma reflexão sobre a prática. 3

ed. Porto Alegre: ArtMed, 2000.

SACRISTÁN, José Gimeno.(org.). Saberes e incertezas sobre o currículo.

São Paulo: Penso, 2013.

SAVIANI, Dermeval. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e

históricos. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, v. 12, n. 34,

p.152-165, jan./abr. 2007. Disponível em:

http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v12n34/a12v1234.pdf. Acesso em: 28/02/2020.

SAVIANI, Dermeval. O choque teórico da Politecnia. Trab. educ. saúde, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 131-152, Mar. 2003. Disponivel em:

http://dx.doi.org/10.1590/S1981-77462003000100010. Acesso em:

/02/2020.

VIEIRA, Alboni Marisa Dudeque Pianovski; SOUZA JUNIOR, Antonio de. A

educação profissional no Brasil. Rev. Interacções, Santarém - Portugal, vol.12 n.º 40, 2016, p. 152-169, 17 de janeiro de 2017. Disponível em: DOI: https://doi.org/10.25755/int.10691. Acesso em: 31 out. 2019.

Downloads

Publicado

19/04/2020

Como Citar

BESSA, C. R. L. de; CAVALCANTE, R. P.; MALDANER, J. J.; CORREIA, K. C. P. INTERDISCIPLINARIDADE NO ENSINO MÉDIO INTEGRADO: CONSIDERAÇÕES PARA UMA FORMAÇÃO OMNILATERAL. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, [S. l.], v. 2, n. 19, p. e9496, 2020. DOI: 10.15628/rbept.2020.9496. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/RBEPT/article/view/9496. Acesso em: 25 set. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS