Politecnia e Ensino Médio Integrado: aproximações e distanciamentos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/rbept.2019.8384

Palavras-chave:

Ensino Médio. Ensino Médio Integrado. Politecnia. Educação Profissional.

Resumo

O artigo em questão trata do Ensino Médio Integrado dentro do atual debate sobre a aprovação da Lei Federal nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Tal legislação, a chamada Lei da Reforma do Ensino Médio, alterou a estrutura deste nível de ensino, ignorando experiências brasileiras exitosas, desenvolvidas na última década no nível médio e que, no mínimo, deveriam ter ser ouvidas num debate tão importante. Este estudo se trata, portanto, de uma pesquisa de mestrado, em andamento, que visa demonstrar o mérito do Ensino Médio Integrado (EMI) neste contexto de disputa político-social. Teve como metodologia a pesquisa bibliográfica e documental, fundamentadas em autores como Marx, Manacorda, Saviani, dentre outros, a fim de refletir sobre a finalidade pedagógica e política EMI no âmbito da educação brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciano Marcos Curi, Instituto Federal do Triângulo Mineiro

Possui graduação em História pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Araxá (1997), atual Uniaraxá, especialização em Teoria e Metodologia do Ensino e da Pesquisa em História e em História do Brasil República pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e Mestrado em História Social também pela UFU (2002). Doutor em História das Ciências pela Universidade Federal de Minas Gerais (2010). Possui experiência na docência em História no Ensino Fundamental, Ensino Médio (História, Geografia, Filosofia, Sociologia e Economia), Ensino Superior e Pós-graduação lato sensu e stricto sensu . Já lecionou vários cursos de extensão universitária. Tem experiência na pesquisa em História, com ênfase em História do Brasil República, atuando principalmente nos seguintes temas: história das doenças, hanseníase, lepra, história local e saúde pública. Desenvolve pesquisas na área da Educação, Educação Profissional e Tecnológica e do Ensino. Atua no Mestrado Profissional em Educação Tecnológica (MPET) do IFTM-Câmpus Uberaba e no Mestrado Profissional em Educação Tecnológica ofertado em Rede Nacinal (PROFEPT). 

Camila Cunha Oliveira Giordani, Instituto Federal do Triângulo Mineiro

Graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de São João Del-Rei (2010) e especialização em Coordenação Pedagógica e Supervisão Escolar pela Universidade Cândido Mendes. Atuou nas áreas de História do Livro e da Leitura e no Acervo de Obras Raras e Antigas da Biblioteca Baptista Caetano d'Almeida da UFSJ (obras do século XVI ao início do XX). Possui pesquisas nas áreas de Letramento e Alfabetização, História da Educação Profissional e Tecnológica e Ensino Médio Integrado. Atualmente trabalha como pedagoga no IFTM e é aluna do Programa de Pós-graduação - Mestrado em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT).

Referências

BRASIL. Lei nº 9394/96, de 20 de dezembro de 1996: Estabelece as diretrizes e bases da Educação Nacional. Brasília, DF, 1996.

BRASIL. Decreto n. 2.208, de 17 de abril de 1997: Regulamenta o § 2º do art. 36 e os arts. 39 a 42 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF, 1997.

BRASIL. Portaria nº 646/97, de 14 de maio de 1997: Regulamenta a implantação do disposto nos artigos 39 a 42 da Lei Federal nº 9.394/96 e no Decreto Federal nº 2.208/97 e dá outras providências (trata da rede federal de educação tecnológica). Brasília, DF, 1997.

BRASIL. Decreto n. 5.154, de 23 de julho de 2004: Regulamenta o § 2º do artigo 36 e os arts.39 a 41 da Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e dá outras providências. Brasília, DF, 2004.

BRASIL. Medida Provisória nº 746, de 22 de setembro de 2016: Institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral, altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e a Lei nº 11.494 de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, e dá outras providências. Brasília, DF, 2016.

BRASIL. Lei nº 13415/17, de 16 de fevereiro de 2017: Altera as Leis nos 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e 11.494, de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, a Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943, e o Decreto-Lei no236, de 28 de fevereiro de 1967; revoga a Lei no 11.161, de 5 de agosto de 2005; e institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. Brasília, DF, 2017.

GRABOWSKI, Gabriel; RIBEIRO, Jorge Alberto Rosa. Reforma, legislação e financiamento da educação profissional no Brasil. In: MOLL, Jaqueline (Org.), et al. Educação Profissional e Tecnológica no Brasil Contemporâneo. Porto Alegre: Artmed, 2010, p. 271-284.

MANFREDI, Silvia Maria. Educação Profissional no Brasil. São Paulo: Cortez, 2002.

MANACORDA, Mario Alighiero. Marx e a pedagogia moderna. Campinas: Editora Alínea, 2007.

MOURA, Dante Henrique. Educação básica e educação profissional e tecnológica: dualidade histórica e perspectiva de integração. Holos, Natal, v.2, p.1-27, 2007. Disponível em: <http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/viewFile/11/110>. Acesso em: 29 ago. 2018.

OLIVEIRA, Avelino da Rosa; OLIVEIRA, Neiva Afonso. Modelos de formação humana: paideia, bildung e formação omnilateral. In: BOMBASSARO, Luiz Carlos (Org.), et al. Percursos Hermenêuticos e Políticos. Porto Alegre: UFP/EDIPUCRS/Educs, 2014, p. 208-222.

RAMOS, Marise. Ensino médio integrado: ciência, trabalho e cultura na relação entre educação profissional e educação básica. In: MOLL, Jaqueline (Org.), et al. Educação Profissional e Tecnológica no Brasil Contemporâneo. Porto Alegre: Artmed, 2010, p. 42-57.

RODRIGUES, José. A educação politécnica no Brasil. Niterói: EdUFF, 1998.

RODRIGUES, José. Por um programa de transcrição para a educação: em defesa da concepção marxista de formação politécnica. In: Organização Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (Org.), et al. Caminhos da Politecnia: 30 anos da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio. Rio de Janeiro: EPSJV, 2016.

RODRIGUES, José. Ainda a educação politécnica: o novo decreto da educação profissional e a permanência da dualidade estrutural. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v.3, n.2, Set. 2005. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462005000200002 >. Acesso em: 13 jan. 2017.

SAVIANI, Dermeval. O choque teórico da Politecnia. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v.1, n.1, Mar. 2003. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462003000100010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt >. Acesso em: 20 jul. 2018.

SAVIANI, Dermeval. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação, Campinas, v.12, n.32, jan. /abr. 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v12n34/a12v1234.pdf>. Acesso em: 13 jan. 2017.

Downloads

Publicado

24/09/2019

Como Citar

CURI, Luciano Marcos; GIORDANI, Camila Cunha Oliveira. Politecnia e Ensino Médio Integrado: aproximações e distanciamentos. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, [S. l.], v. 2, n. 17, p. e8384, 2019. DOI: 10.15628/rbept.2019.8384. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/RBEPT/article/view/8384. Acesso em: 17 jul. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos Semelhantes

> >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.