A INTERDISCIPLINARIDADE COMO UMA POSSIBILIDADE NO PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE NÍVEL TECNOLÓGICO PARA O MUNDO DO TRABALHO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/rbept.2017.4766

Palavras-chave:

Interdisciplinaridade, Curso Superior de Tecnologia, Mundo do Trabalho

Resumo

O propósito deste artigo é analisar a possibilidade da interdisciplinaridade no ensino aprendizagem dos cursos superiores de tecnologia como um mecanismo facilitador às exigências do mundo do trabalho. É apresentada uma revisão teórica a respeito do tema interdisciplinaridade e um aprofundamento das características dos seus níveis, assim como o levantamento da literatura sobre a formação profissional de nível tecnológico e os impactos da nova morfologia do mundo do trabalho e suas implicações na evolução da sociedade. Foi realizado um estudo de caso, onde a unidade de análise concentra-se na atuação dos professores e estudantes das disciplinas do Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet, do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul (IFMS) e sua relação com a interdisciplinaridade Através da análise de conteúdo são interpretadas as principais características, percepções e representações dos atores envolvidos sobre os níveis de interdisciplinaridade presentes no curso superior de tecnologia. Entre os resultados deste estudo, destacam-se as vantagens da interação das disciplinas do curso como o esforço conjunto de seus professores e estudantes, assim como o impacto no processo ensino aprendizagem e suas restrições frente às exigências do mundo do trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Marcus Osório da Silva, Instituto Federal de Mato Grosso do Sul - IFMS

Professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico, nível 3 da classe DI - da área de Administração do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul (IFMS). Mestre em Administração pela Escola de Administração e Negócios (ESAN) da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Possui especialização em Docência para a Educação Profissional, Científica e Tecnológica pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul (2015); especialização em Análise de Sistemas pela Universidade Federal do Estado de Mato Grosso do Sul (1996) e mestrado (incompleto) em Ciência da Computação pela Uniderp/Ufrgs (1998). Possui graduação em Administração pelo Centro de Ensino Superior de Campo Grande (1993). Atua, desde 2011, como professor EBTT - da área de Administração, do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul - Campus Aquidauana. Anteriormente era lotado como professor de ensino superior, desde 1997, nas Universidades Anhaguera UNIDERP - Campus I e II (1997 a 2012); e Estácio de Sá de Campo Grande (1998 a 2000); com ampla experiência nas atividades de ensino, pesquisa e extensão nas áreas de Administração e Ciência da Computação - Análise de Sistemas, e entre diferentes cursos de Formação Inicial Continuada (FIC), Técnicos e superiores em Tecnologia, Bacharelato e pós-graduação (lato sensu).

Referências

ANDRADE, R. C. Interdisciplinaridade: um novo paradigma curricular. In: A Educação na Perspectiva Construtivista: reflexões de uma equipe multidisciplinar. Petrópolis: Vozes, 1998.

ANTUNES, R. Os sentidos do trabalho. São Paulo: Boitempo, 2005.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CP 3, de 18 de dezembro de 2002. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a organização e o funcionamento dos cursos superiores de tecnologia. Brasília, DF, 23 de dezembro de 2002. Disponível em URL: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CP032002.pdf>

_____. Leis, Decretos. Decreto n. 2.208, de 17 de abril de 1997. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, v. 135, n. 74, p. 7760-7761, 18 abr. 1997. Seção 1. Regulamenta o parágrafo 2 do art. 36 e os art. 30 a 42 da Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional.

_____. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Educação profissional : referenciais curriculares nacionais da educação profissional de nível técnico. Brasília, 2000.

DELUIZ, N. Formação do trabalhador: produtividade e cidadania. Rio de Janeiro: Ed. Shape, 1999.

FAZENDA, I. C. A. Integração e interdisciplinaridade no ensino brasileiro. São Paulo: Loyola, 1993.

_____. Interdisciplinaridade: um projeto em parceria. 3. ed. São Paulo: Edições Loyola, 1995.

_____. Integração e interdisciplinaridade no ensino brasileiro: efetividade ou ideologia? 4. Ed. São Paulo: Loyola, 1996.

_____. Práticas interdisciplinares na escola. SP: Cortez, 1999.

FERREIRA, M. E. M. P. e FAZENDA, I. C. A. (Orient.) Interdisciplinaridade como poíesis. São Paulo, 1996.

KLEIN, J. T. Interdisciplinarity: history, theory and practice. Detroit: Wayne State University Press, 1990.

LÜCK, H. Pedagogia interdisciplinar: fundamentos teóricos metodológicos. Petrópolis: Editora Vozes, 1995.

MORIN, Edgar. Introdução ao pensamento complexo. Lisboa: Instituto Piaget, 1990.

MOTA, A. E.; AMARAL, Â. S. do. Reestruturação do capital, fragmentação do trabalho e Serviço Social. In: MOTA, A. E. (Org.). A nova fábrica de consensos: ensaios sobre a reestruturação empresarial, o trabalho e as demandas ao Serviço Social. São Paulo: Cortez, 2006. p. 23-44.

NAS. National Academy of Sciences. Facilitating Interdisciplinary Research. Comitte Facilitating Interdisciplinary Research, Washington: The National Academy Press, 2005.

PÁTARO, R. F.; BOVO, M. C. A interdisicplinaridade como possibilidade de diálogo e trabalho coletivo no campo da pesquisa e da educação. In: Revista NUPEM, Campo Mourão, v. 4 n. 6, jan./jul. 2012.

SACRISTÁN, J. G.. Reformas educacionais: utopia, retórica e prática. In: SILVA, T. T.; GENTILI, P.(Orgs.) Escola S. A.: quem ganha e quem perde no mercado educacional do neoliberalismo. Brasília: Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação/CNTE, 1996.

SANTOMÉ, J. T. Globalização e interdisciplinaridade: o currículo integrado. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

VIEIRA, Luiz Henrique. Adesão e recusa na transformação da organização do trabalho docente. Dissertação de mestrado, UFMG, 2003.

Downloads

Publicado

18/12/2017

Como Citar

SILVA, M. O. da. A INTERDISCIPLINARIDADE COMO UMA POSSIBILIDADE NO PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE NÍVEL TECNOLÓGICO PARA O MUNDO DO TRABALHO. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, [S. l.], v. 2, n. 13, p. 13–30, 2017. DOI: 10.15628/rbept.2017.4766. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/RBEPT/article/view/4766. Acesso em: 28 set. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.