Educação Profissional e Tecnológica sob uma perspectiva de Gênero:

uma breve retrospectiva da trajetória da educação feminina no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/rbept.2022.13139

Palavras-chave:

Educação Profissonal e Tecnológica, Políticas Educacionais, Gênero, Desigualdade de Gênero

Resumo

O presente trabalho discute, de forma breve, a trajetória da mulher na história da Educação brasileira, especialmente na Educação Profissional e Tecnológica. Nesse contexto, apresenta as assimetrias de gênero que foram constituídas historicamente na Educação e na Educação Profissional e Tecnológica (EPT), com lugares “destinados” às mulheres nos cursos de formação profissional. Assim, a partir desta breve descrição histórica verifica-se a persistência de padrões históricos de diferenciação sexual nas carreiras escolares e profissionalizantes e a delimitação, mesmo que simbólica, de espaços masculinos em detrimento de espaços femininos. Os objetivos deste trabalho se comprometem com a ampliação das discussões sobre gênero na Educação Profissional a partir de uma revisão bibliográfica sobre a educação feminina nos diferentes períodos da história do Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Evelyn Rueb Lacerda de Araújo, Instituto Federal Fluminense

Técnica em Assuntos Educacionais / Pedagoga do Instituto Federal Fluminense

Mestranda do Curso de Mestrado em Educação Profissional e Tecnológica (PROFEPT) 

Julio Cezar Pinheiro de Oliveira, Instituto Federal Fluminense

Sociólogo - UENF

Mestre em Políticas Sociais - UENF

Doutor em Planejamento Urbano e Regional - UFRJ

Professor do PROFEPT / IFF Fluminense

Referências

ALVES, Rosana Llopis. Trajetórias femininas no Colégio Pedro II. ANPUH – XXV SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA – Fortaleza, 2009.

ARANHA, M.L. de A. História da Educação e da Pedagogia: geral e Brasil / Maria Lúcia de Arruda Aranha. – 3. ed. – ver e ampl. – São Paulo: Moderna, 2006.

ARAÚJO, R.N. de L.; RODRIGUES, D. do S. Referências sobre Práticas Formativas em Educação Profissional: o Velho Travestido de Novo Frente ao Efetivamente Novo. B. Técnico Senac: a R. Educ. Prof., Rio de Janeiro, v.36, n.2, maio / ago. 2010.

BRASIL. Ministério de Educação e Cultura. LDB - Lei nº 9394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da Educação Nacional. Brasília: MEC, 1996.

BRASIL. Lei Nº 4.024, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional.

BRUSCHINI, C. Colaboração de Cristiano Miglioranza e Arlene Martinez Ricoldi. Trabalho e Gênero no Brasil nos Últimos Dez Anos. Fundação Carlos Chagas, Grupo de Pesquisas Socialização de Gênero e Raça. 2007.

CIAVATTA, M. A Formação Integrada. A Escola e o Trabalho como Lugares de Memória e de Identidade. Trabalho Necessário, ano 3 número 3, 2005.

CUNHA, L.A. Ensino Profissional: o Grande Fracasso da Ditadura. Cadernos de Pesquisa v.44 n.154 p.912-933 out./dez. 2014.

Educação profissional e tecnológica: memórias, contradições e desafios / Gaudêncio Frigotto (Organizador). – Campos dos Goytacazes/RJ: Essentia Editora, 2006.

FREYRE, G. Casa Grande & Senzala; formação da família brasileira sobre o regime da economia patriarcal. 49ª Ed., São Paulo: Global, 2004.

GOMES, L.C.G. Escolas de Aprendizes Artífices de Campos: história e imagens / Luiz Claudio Gonçalves Gomes. – Campos dos Goytacazes (RJ): Essentia Editora, 2017.

MACHADO, M.L.B. Formação Profissional e Modernização no Brasil (1930-1960): Uma Análise à Luz das Reflexões Teórico-Metodológicas de Lucie Tanguy. Educ. Soc., Campinas, v. 33, n. 118, p. 97-114, jan.-mar. 2012.

MOURA, D.H. Educação Básica e Educação Profissional e Tecnológica: Dualidade Histórica e Perspectivas de Integração. Holos, Ano 23, Vol. 2 – 2007.

NOSELLA, P. Trabalho e Perspectivas de Formação dos Trabalhadores: para além da Formação Politécnica. Revista Brasileira de Educação, v. 12 n. 34 jan / abr 2007.

OLIVEIRA, F. Crítica à Razão Dualista / O ornitorrinco. São Paulo: Boitempo Editorial, 2003.

OSTOS, N.S.C. A questão feminina: importância estratégica das mulheres para a regulação da população brasileira (1930-1945). Cadernos Pagu (39), julho-dezembro de 2012:313-343.

PRIORE, M. D. A mulher na história da colônia, em Ao sul do corpo: condição feminina, maternidade e mentalidades no Brasil colônia. Rio de Janeiro: José Olympio, 1993.

RAMOS, M. Concepção do Ensino Médio Integrado. Secretaria de Educação do Estado do Paraná, 2008.

REIS, F., MARTINEZ, S.A. O Ensino Profissional Feminino no Brasil: Uma Análise da Escola Profissional Feminina Nilo Peçanha (Campos, Rio de Janeiro, 1922-1930). Número temático: Desenho e Educação: Cultura Visual e Cidade. A Cor das Letras — UEFS, n. 13, 2012

SAVIANI, D. Trabalho e Educação: Fundamentos Ontológicos e Históricos. Revista Brasileira de Educação, v. 12 n. 34 jan / abr 2007.

SILVA, M.B.N. A Educação da Mulher e da Criança no Brasil Colônia”, in Maria Stephanou e Maria Helena Camara Barros (Orgs.), Histórias e Memórias da Educação no Brasil. Petrópolis, Vozes, v. I: Séculos XVI-XVIII, 2004, p.131-135.

Downloads

Publicado

27/05/2022

Como Citar

LACERDA DE ARAÚJO, E. R.; OLIVEIRA, J. C. P. de. Educação Profissional e Tecnológica sob uma perspectiva de Gênero: : uma breve retrospectiva da trajetória da educação feminina no Brasil. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, [S. l.], v. 1, n. 22, p. e13139, 2022. DOI: 10.15628/rbept.2022.13139. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/RBEPT/article/view/13139. Acesso em: 6 out. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS