O avanço feminino na educação superior brasileira: perspectivas de gênero, raça e classe

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/rbept.2021.12657

Palavras-chave:

Ensino superior, Educação das mulheres, Acesso.

Resumo

A confluência de distintos fatores ocasionou na ampliação do Ensino Superior brasileiro nos últimos cinquenta anos, incluindo o massivo ingresso feminino. Assim, este artigo objetiva traçar um panorama sobre tal cenário, tomando por perspectiva as questões de gênero, raça e classe. Para tanto, lançamos mão de um levantamento quantitativo do período, baseado nos censos nacionais publicados. Também realizamos uma pesquisa bibliográfica de abordagem qualitativa. Concluímos que, apesar das mulheres terem se tornado maioria entre discentes do Ensino Superior no Brasil, há menor expressividade de estudantes negras. Além disso, ainda persiste uma segmentação de gênero por áreas de atuação e, consequentemente, uma maior concentração de mulheres nas áreas de menor remuneração salarial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula de Souza Santos, Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Maringá

Mestranda em Educação pela UEM. Graduada em Ciências Sociais pela mesma instituição.

Maria Luísa Furlan Costa, Professora Associada da Universidade Estadual de Maringá.

Professora Associada da Universidade Estadual de Maringá. Doutora em Educação (UNESP/Araraquara). Mestre em Educação (UEM). Licenciada em História (UEM)

Referências

ÁVILA, Rebeca C.; PORTES, Écio A. A tríplice jornada de mulheres pobres na universidade pública: trabalho doméstico, trabalho remunerado e estudos. Estudos feministas, p. 809-832, 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ref/v20n3/11.pdf. Acesso em: 05 mai. 2019.

BARROSO, Carmen L. M.; MELLO, Guiomar N. de. O acesso da mulher ao ensino superior brasileiro. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 15, p.47-77. dez., 1975.

BRASIL. Censo Demográfico 1970. Rio de Janeiro: IBGE, 1970. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=7311. Acesso em: 05 set. 2019.

BRASIL. Censo Demográfico 2000. Rio de Janeiro: IBGE, 2000. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2000/tabelabrasil111.shtm. Acesso em: 05 set. 2019.

BRASIL. Censo Demográfico 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2010. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao/9662-censo-demografico-2010.html?edicao=10411&t=publicacoes. Acesso em: 05 set. 2019.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da Educação Superior: Sinopse Estatística – 1995. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/web/guest/sinopses-estatisticas-da-educacao-superior. Acesso em: 05 set. 2019.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da Educação Superior: Sinopse Estatística – 2006. Disponível

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da Educação Superior: Sinopse Estatística – 2018. Brasília: Inep, 2019. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/web/guest/sinopses-estatisticas-da-educacao-superior. Acesso em: 05 set. 2019.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da Educação Superior: Sinopse Estatística da Educação Superior 2019. Brasília: Inep, 2020. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/basica-censo-escolar-sinopse-sinopse. Acesso em: 03 jan. 2021.

BRASIL. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) 1992. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/biblioteca-catalogo.html?id=5377&view=detalhes. Acesso em: 05 set. 2019.

BRASIL. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) 1996. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/biblioteca-catalogo?id=52592&view=detalhes. Acesso em: 05 set. 2019.

GÓIS, João B. H. Quando raça conta: um estudo de diferenças entre mulheres brancas e negras no acesso e permanência no ensino superior. Revista Estudos Feministas [online]. 2008, v. 16, n. 3, pp.743-768. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-026X2008000300002.

GUEDES, Moema de C. A presença feminina nos cursos universitários e nas pós-graduações: desconstruindo a ideia da universidade como espaço masculino. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 15, n. 3, jul./set., 2008, p. 117- 132.

HÖFLING, Eloísa de M. Estado e Políticas (Públicas) Sociais. Cadernos CEDES, Campinas, ano XXI, n. 55, p. 30-41, nov. 2001.

MAUÉS, Olgaíses C. Ensino superior na ótica dos organismos internacionais. Educar em revista, Curitiba, v. 35, n. 75, p. 13-30, maio 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602019000300013&lng=en&nrm=iso. Acesso em abr. 2021.

PEREIRA, Potyara A. P. Discussões conceituais sobre política social como política pública e direito de cidadania. In: BOSCHETTI, I. et al. (Orgs.). Política social no capitalismo: tendências contemporâneas. São Paulo: Cortez, 2008, p. 87-108.

PORTES, Ecio A. Trajetórias e estratégias do universitário das camadas populares. 1993. 267 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – UFMG, Belo Horizonte, 1993.

PORTES, Ecio A. Trajetórias escolares e vida acadêmica do estudante pobre na UFMG: um estudo a partir de cinco casos. 2001. 267 f. Tese (Doutorado em Educação) – UFMG, Belo Horizonte, 2001.

ROSEMBERG, Fúlvia. Educação formal, mulher e gênero no Brasil contemporâneo. Revista Estudos Feministas, v .9, n. 2, p. 515-540, 2001. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-026X2001000200011.

VONBUN, Chistian; MENDONÇA, João L. de O. Educação superior uma comparação internacional e suas lições para o Brasil. [s.l.] Texto para Discussão, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), 2012. Disponível em: http://flacso.org.br/files/2017/05/td_1720.pdf. Acesso em: 14 abr. 2020.

ZAGO, Nadir. Processos de escolarização nos meios populares: as contradições da obrigatoriedade. In: NOGUEIRA, Maria A.; ROMANELLI, Geraldo; ZAGO, Nadir (Org.). Família e escola: trajetórias de escolarização em camadas médias e populares. Petrópolis/RJ: Vozes, 2000. p. 17- 43.

Downloads

Publicado

21/12/2021

Como Citar

SANTOS, Ana Paula de Souza; COSTA, Maria Luísa Furlan. O avanço feminino na educação superior brasileira: perspectivas de gênero, raça e classe. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, [S. l.], v. 2, n. 21, p. e12657, 2021. DOI: 10.15628/rbept.2021.12657. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/RBEPT/article/view/12657. Acesso em: 17 jul. 2024.

Edição

Seção

DOSSIÊ - Mundo do trabalho, Educação Profissional e Identidade de Gênero

Artigos Semelhantes

> >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.