O ENSINO DE EMPREENDEDORISMO SOB DIFERENTES ABORDAGENS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/rbept.2020.6740

Palavras-chave:

Potencial empreendedor, práticas de ensino e aprendizagem, ensino médio.

Resumo

O objetivo deste artigo é verificar diferenças no potencial empreendedor de estudantes que tenham passado por uma abordagem tradicional de ensino sobre empreendedorismo em relação aos estudantes que foram submetidos a um programa de ensino para empreendedorismo ministrado de forma complementar e simultânea. Para a coleta de dados foram aplicados instrumentos de avaliação do potencial empreendedor (PPE) a 23 estudantes e posteriormente analisados no programa de análise estatística SPSS 20. Dentre outras informações, o estudo realizado revelou que estatisticamente não houve diferença significativa entre o potencial empreendedor dos estudantes que cursaram apenas a disciplina de empreendedorismo, no formato tradicional, e dos estudantes que participaram, de forma adicional e concomitante, do projeto Mini Empresa ofertado pela ONG Junior Achievement.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

João Massuda Junior, IFMS - Instituto Federal de Mato Grosso do Sul. Professor de Administração do Ensino Técnico e Tecnológico.

Professor de Administração do Ensino Técnico e Tecnológico.

Marilyn Aparecida Errobidarte de Matos, Instituto Federal de Mato Grosso do Sul

Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Católica Dom Bosco (1995) e graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Católica Dom Bosco (1992). Especialização em Planejamento Educacional pela Universidade Salgado de Oliveira RJ, Mestrado em Ensino de Ciências pela Universidade Federal do Mato Grosso do Sul e Doutorado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional pela Anhanguera/Uniderp. Atualmente é professor pesquisador da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e professor titular de Metodologia da Pesquisa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul - campus Campo Grande. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Ensino-Aprendizagem, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino de ciências, softwares educativos, tecnologias da informação e comunicação, educação ambiental e ensino fundamental.

Referências

DA SILVA, Júlio Fernando; PENA, Roberto Patrus M. O “Bê-Á-Bá” do Ensino em Empreendedorismo: Uma Revisão da Literatura Sobre os Métodos e Práticas da Educação Empreendedora. Revista ReGePe, v. 6, n. 2, p. 372-401, 2017.

DE SOUZA, E. C. L.; FRACASSO. E. M.; LOPEZ JÚNIOR, G. S. Empreendedorismo e atitude empreendedora: conceitos e construção de escalas. V EGEPE - Encontro de Estudos sobre Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, São Paulo, 2008.

DOLABELA, F. Oficina do empreendedor. Rio de Janeiro: Sextante, 2008.

DORNELAS, J. C. A. Empreendedorismo: transformando idéias em negócios. 3 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

FAYOLLE, A. Teaching of Entrepreneurship: Outcomes from an innovative experience. International Entrepreneurship Education and Training - 8ª annual conference. Oestrich-Winkel, 1998.

FILION, L. J. Empreendedorismo: empreendedores e proprietários-gerentes de pequenos negócios. Revista de Administração. São Paulo, v. 34, n. 2, abr./jun. 1999, p. 05-28.

GONÇALVES FILHO, C.; VEIT, M. R.; GONÇALVES, C. A.

Mensuração do perfil do potencial empreendedor e seu impacto no desempenho das pequenas empresas. Revista de Negócios. Blumenau, v. 12, n. 3, jul./set. 2007, p. 29-44.

GUIMARÃES, L. A. M.; MARTINS, D. de A.; GUIMARÃES, P. M. Os métodos qualitativo e quantitativo: similaridades e complementaridade. In: GRUBITS, S.; NORIEGA, J. A. V. (Orgs.). Método qualitativo: epistemologia, complementaridades e campos de aplicação. São Paulo: Vetor, 2004.

HAMBURG, I. Learning approaches for Entrepreneurship education. Advances in Social Sciences Research Journal. Greater Manchester, v. 3, n. 1, 2015, p. 228-237.

HENRIQUE, D. C.; DA CUNHA, S. K. Práticas didático-pedagógicas no ensino de empreendedorismo em cursos de graduação e pós-graduação nacionais e internacionais. RAM - Revista de Administração Mackenzie. São Paulo, v. 9, n. 5, 2008, p. 112-136.

JULIEN, P. A. Empreendedorismo regional e a economia do conhecimento. São Paulo: Saraiva, 2010.

LEVIN, H. M. Why is educational entrepreneurship so difficult? In. HESS, F. Educational Entrepreneurship. Cambridge: Harvard Education Press, 2006.

LUSSIER, R. N.; CORMAN, J.; KIMBALL, D. C. Entrepreneurial new venture skills. 3 ed. New York: Routledge, 2015.

OLOMI, D. R.; SABOKWIGINA, D. Entrepreneurship Education in Tanzanian business Schools: a nationwide survey. 12° International Conference of African Entrepreneurship and Small Business Development (ICAESB). Zanzibar, 2010.

OOSTERBEEK, H.; PRAAG, M. V.; JSSELSTEIN, A. I. The impact of entrepreneurship education on entrepreneurship competencies and intentions: an evaluation of the Junior Achievement Student Mini Company Program. IZA Discussion Paper. Bonn, n. 3641, 2008.

VEIT, M. R. et al. Mensuração do perfil do potencial empreendedor: desenvolvimento de uma escala no cenário brasileiro. IV Encontro de Estudos em Estratégia. Recife, 2009

WILSON, K. Entrepreneurship education in Europe. In. POTTER, J. Entrepreneurship and Higher Education. Trento: OECD, 2008.

Downloads

Publicado

10/05/2020

Como Citar

MASSUDA JUNIOR, J.; MATOS, M. A. E. de. O ENSINO DE EMPREENDEDORISMO SOB DIFERENTES ABORDAGENS. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, [S. l.], v. 2, n. 19, p. e6740, 2020. DOI: 10.15628/rbept.2020.6740. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/RBEPT/article/view/6740. Acesso em: 4 dez. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS