O papel da assistência estudantil frente à necessidade da garantia do direito à educação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/rbept.2024.12512

Palavras-chave:

Assistência Estudantil, Educação, Direito.

Resumo

O presente artigo discute o processo de construção da Política de Assistência Estudantil no Brasil e indica os mecanismos utilizados para garantia do direito à Educação. A partir de pesquisa bibliográfica e com a intenção de subsidiar as discussões propostas na  pesquisa intitulada “Os desafios e as possibilidades da Assistência Estudantil no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí, Campus Teresina Central: relatos de vivência”, desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional e Tecnológica ProfEPT, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão – IFMA, traçamos o histórico desta política; delineamos a forma com que ela se configura nos diferentes Institutos Federais, trazendo as especificidades da POLAE (Política de Assistência Estudantil do IFPI), e discutimos valores e princípios que estão na base de sua constituição, além de indicar um modelo ideal de Política de Assistência Estudantil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Virginia do Nascimento Barbosa da Rocha, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão

Mestranda do Programa de Pós-graduação em Educação Profissional e Tecnológica- Mestrado Profissional, do Instituto Federal de Educação do Maranhão, Campus Monte Castelo, Especialista em Gestão de Pessoas pelo Instituto Federal do Piauí(2009),Graduada em Serviço Social pela Universidade Federal do Piauí (2007). Atualmente atua como Assistente Social do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Estado do Piauí. Tem experiência na área de Educação, e atua diretamente com a Política de Assistência Estudantil do Instituto Federal do Piauí.

Raimundo Santos de Castro, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão

Licenciado em Matemática pelo Centro Federal de Educação Tecnológica do Maranhão (2003), especialista em Educação Profissional Integrada com Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (2009), Mestre em Educação pela Universidade Federal do Maranhão (2009) e Doutor em Educação pela Universidade Federal de São Carlos, São Paulo (2016). Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico e do Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional e Tecnológica (Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica - ProfEPT) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão, Campus São Luís - Monte Castelo. Tem experiência na área de Ensino e Aprendizagem, com ênfase em Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: Matemática, Educação Matemática, Educação, Metodologia do Ensino da Matemática, História e Filosofia da Educação Matemática, Jogos no Ensino de Matemática, Etnomatemática.

Referências

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm>. Acesso em: 10 maio 2021.

BRASIL. Decreto n. 19.851, de 11 de abril de 1931. Disponível em: <https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1930-1939/decreto-19851-11-abril-1931-505837-publicacaooriginal-1-pe.html>. Acesso em: 10 maio 2021.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em: 10 maio 202.

BRASIL. Decreto nº 7.234, de 19 de julho de 2010. Programa Nacional de Assistência Estudantil. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/decreto/d7234.htm>. Acesso em: 10 maio 2021.

CROSARA, Daniela de Melo; SILVA, Leonardo Barbosa; OLIVEIRA, Maria de Fátima. Trajetória de institucionalização da Assistência Estudantil no Brasil. In: CROSARA, Daniela de Melo; SILVA, Leonardo Barbosa (org.). A assistência estudantil em debate: análise dos projetos de lei em tramitação no congresso nacional brasileiro. Curitiba: Brazil Publishing, 2020, p. 16-38.

CROSARA, Daniela de Melo et al. Apontamentos sobre diretrizes de uma política nacional. In: CROSARA, Daniela de Melo; SILVA, Leonardo Barbosa (org.). A assistência estudantil em debate: análise dos projetos de lei em tramitação no congresso nacional brasileiro. Curitiba: Brazil Publishing, 2020, p. 117-132.

DUTRA, Natália Gomes dos Reis; SANTOS, Maria de Fátima de Souza. Assistência estudantil sob múltiplos olhares: a disputa de concepções. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 15, n. 40, p. 148-181, mar. 2017.

FONAPRACE. Fórum Nacional de Pró-Reitores de Assuntos Comunitários e Estudantis. Fonaprace. Revista comemorativa 25 anos: história, memórias e múltiplos olhares. Uberlândia: UFU/PROEX, 2012.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ (IFPI). Programa de Assistência ao Educando. Teresina, 2010.

IBGE. Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira de 2017. Rio de Janeiro: IBGE, 2017. Disponível em: <https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101459.pdf>. Acesso em: 6 ago. 2018.

JANNUZZI, P. M. Indicadores sociais no Brasil: conceitos, fontes de dados e aplicações. Campinas: Editora Alínea, 2001.

KOWALSKI, A. V. Os (des)caminhos da política de assistência estudantil e o desafio na garantia de direitos. Porto Alegre: PUCRS, 2012.

SAVIANI, D. A expansão do ensino superior no Brasil: mudanças e continuidades. Poíesis Pedagógica, v. 8, n. 2, p. 4-17, 2010.

SOUZA, Iris de Lima. Serviço Social e Educação: uma questão em debate. Revista Interface, Natal, v. 2, n. 1, p. 27-41, 2011.

SOUZA, Pedro Herculano Guimarães Ferreira de. A desigualdade vista do topo: a concentração de renda entre os ricos no Brasil, 1926-2013. 2016. 377 f., il. Tese (Doutorado em Sociologia) — Universidade de Brasília, Brasília, 2016.

OLIVEIRA, Amanda Marques de. A implantação do Programa Nacional de Assistência Estudantil (PNAES): a experiência no IFPI. 2016. 83 f. Dissertação (Mestrado em Políticas Públicas) – Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2016.

PIRES, Marília Freitas de Campos. O materialismo histórico-dialético e a educação. Interface, Botucatu, v. 1, p. 83-94, 1997.

PRADA, T. O trabalho em rede na intervenção dos assistentes sociais dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. 2015. 226 f. Dissertação (Mestrado em Política Social) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2015.

PRADA, T.; SURDINE, M. C. da C. A assistência estudantil nos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. SER Social, [S. l.], v. 20, n. 43, p. 268–289, 2018.

TAVARES, M. DA C. Acumulação de capital e industrialização no Brasil. Campinas: Editora da Unicamp, 1985.

Downloads

Publicado

19/04/2024

Como Citar

DO NASCIMENTO BARBOSA DA ROCHA, Virginia; SANTOS DE CASTRO, Raimundo. O papel da assistência estudantil frente à necessidade da garantia do direito à educação. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, [S. l.], v. 1, n. 24, p. e12512, 2024. DOI: 10.15628/rbept.2024.12512. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/RBEPT/article/view/12512. Acesso em: 15 jun. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos Semelhantes

> >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.