A REFORMA DO ENSINO MÉDIO E AS DESIGUALDADES NO BRASIL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/rbept.2017.6127

Palavras-chave:

Ensino Médio, Reforma, Desigualdades, Bourdieu, Gramsci

Resumo

O presente artigo apresenta resultados de análises realizadas por um grupo de professores que atuam na Educação Básica e Superior acerca das mudanças definidas para o Ensino Médio por meio da Lei 13.415/17, bem como, suas possíveis consequências. As análises partiram de leituras de Bourdieu, acrescidas de ideias gramscianas. O levantamento histórico das mudanças propostas para a educação formal brasileira, desde o Manifesto dos Pioneiros (1932) e com ênfase na legislação, se configurou em contexto para as discussões. Como conclusões, a confirmada crise no Ensino Médio foi entendida como resultado de dicotomias que fizeram desentender a identidade desse segmento educacional, como: formação propedêutica ou profissional, ensino público ou privado, classe dominante ou trabalhadores, ricos ou pobres. A reforma proposta em 2016/2017 aprofunda a crise identitária do Ensino Médio ao fragmentar os conhecimentos em itinerários formativos opcionais, o que, financeiramente impraticável, acabará por promover diferentes formações que serão, inevitavelmente, referenciadas à situação socioeconômica dos alunos e às condições das instituições de ensino. Assim, apesar das insistentes propagandas que informam liberdade de escolha para os diferentes alunos, a atual reforma do Ensino Médio representa um retrocesso nas políticas educacionais ao legitimar as desigualdades socioeconômicas e reproduzir injustiça social na qual está agonizando o país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Marcília Elis Barcellos, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Sockow da Fonseca - CEFET/RJ

Possui Licenciatura em Física pela Universidade Federal do Paraná (2004), mestrado e doutorado em Ensino de Ciências (Área de concentração: Física) pela Universidade de São Paulo . Atualmente é docente do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca no Campus de Petrópolis. Tem experiência na área de Ensino de Ciências, com ênfase em Ensino de Física, atuando principalmente nos seguintes temas: história e epistemologia, filosofia e sociologia da ciência e relatividade, currículo e formação de professores

Referências

ALVES, Sandra Cristina Santos. A educação profissionalizante durante o estado ditatorial. Anais do V Congresso norte-nordeste de pesquisa e inovação. Instituto Federal de Alagoas, 2010.

BOURDIEU P. Escritos de Educação. Editora Vozes, Petrópolis, 2013.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996: Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Congresso Nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm.

BRASIL. Decreto 2208 de 17 de abril de 1997: Regulamenta o § 2 º do art. 36 e os arts. 39 a 42 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d2208.htm.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrada ao Ensino Médio. Documento Base. Brasília, 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/documento_base.pdf.

BRASIL. Lei n° 13.415 de 16 de fevereiro de 2017. Altera as Leis nos 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em : http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/L13415.htm

CIAVATTA, Maria. O Ensino Integrado, a Politecnia e a Educação Omnilateral. Por Que Lutamos? Revista Trabalho & Educação. v.23 n.1. p.187-205. 2014

CHERVEL A. História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria e Educação, nº2, p. 177-277, Goiânia, 1992.

FREIRE, Paulo. Educação e Atualidade Brasileira, São Paulo: Cortez Editora, 2012.

FRIGOTTO G. Uma década do decreto no 5.154/2004 e do proeja: balanço e perspectivas. HOLOS, Ano 32, Vol. 6.

GHIRALDELLI JR., Paulo. História da educação. São Paulo: Cortez, 1990

GOODSON, I. F. Currículo: Teoria e História. Editora Vozes, Petrópolis, 2010.

GRAMSCI, Antonio. Quaderni del Carcere. Edição crítica do Instituto Gramsci, org. Valentino Gerratana, 1977, ed. Einaudi, Torino.

LOPES, A. C; MACEDO, E. Teorias de Currículo. Editora Cortez, São Paulo, 2011.

RAMOS, M.N. O Ensino Médio ao longo do século XX: Um projeto inacabado. In: STEPHANOU, M.; BASTOS, M.H.C. (Org.) História e Memórias da Educação no Brasil. Editora Vozes, Petrópolis, 2005.

XAVIER, Maria Elizabeth Sampaio Prado. História da Educação: a escola no Brasil. São Paulo: FTD, 1994.

Downloads

Publicado

18/12/2017

Como Citar

BARCELLOS, M. E.; GONÇALVES DE SOUZA, E.; FONTANA, L. R.; WANDEROSCK TOLEDO, S.; BRAGA JUNIOR, C. A REFORMA DO ENSINO MÉDIO E AS DESIGUALDADES NO BRASIL. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, [S. l.], v. 2, n. 13, p. 118–136, 2017. DOI: 10.15628/rbept.2017.6127. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/RBEPT/article/view/6127. Acesso em: 28 set. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS