MONITORIA: DESAFIOS E PERSPECTIVAS NO IFS - CAMPUS LAGARTO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/rbept.2017.5950

Palavras-chave:

monitoria, educação, ensino profissional

Resumo

O presente trabalho objetiva refletir sobre os desafios e perspectivas no âmbito do Programa de monitoria do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe (IFS) no Campus Lagarto. Trata-se de um estudo exploratório qualitativo e quantitativo, cujo instrumento de coleta de dados (questionário) foi aplicado a discentes e docentes no período de novembro de 2016 a março de 2017. Após a análise dos dados pode-se observar que são muitos os desafios relacionados ao Programa de Monitoria, dentre eles o exercício contínuo, dialogado e colaborativo entre o docente-tutor e o discente-monitor, considerando a necessidade de acompanhamento dos discentes assistidos pela monitoria, o que exige preparação extra por parte do monitor que além de ampliar seu entendimento sobre a disciplina objeto da monitoria, precisa desenvolver habilidades comunicacionais e de relacionamento interpessoal. Pode-se observar que o programa de monitoria apresenta percepção positiva dos participantes envolvidos, destacando que para a ampliação das ações faz-se necessária à participação dos discentes de forma contínua, e não apenas na proximidade da realização de provas e atividades avaliativas.


 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno dos Santos Costa, Instituto Federal de Sergipe

Discente do Instituto Federal de Sergipe, Campus Lagarto, cursando atualmente o 4º ano do Curso Técnico Integrado de Edificações, com experiências em Iniciação Científica relacionadas à: Astronomia; Protótipos para estudo das águas subterrâneas/ciclo hidrológico; Reação Álcali-Agregado (RAA) (pesquisas concluídas). Possui experiências em áreas voltadas à Extensão: Finanças domésticas e sustentabilidade ambiental para donas de casa do Programa Mulheres Mil; Oficinas de empreendedorismo e sustentabilidade; rotulagem ambiental (pesquisas concluídas). Atualmente foi selecionado com Bolsista do CNPq (modalidade Ic Jr) para a pesquisa: Avaliação das Resistências ao Impacto e à umidade de pisos cerâmicos utilizados na Região de Lagarto. Atualmente, é monitor no laboratório de Mecânica dos Solos do IFS-Campus Lagarto. Desde Junho de 2015 é estudante membro do Grupo de Pesquisa: GETECC (Grupo de Estudos em Tecnologias das Construções), e desde Agosto de 2016 é estudante membro do Grupo de Pesquisa denominado: Consumo, sustentabilidade e educação ambiental), ambos pertencentes ao Instituto Federal de Sergipe (IFS). Desde 2015 aderiu ao programa (Crea Jr SE) do conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado de Sergipe.

Referências

BASSO, I. S. As condições subjetivas e objetivas do trabalho docente: um estudo a partir do ensino de História. 1994. 123p. Tese (doutorado). Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 1994.

ASBAHR, F. da S. F. (2005). Sentido pessoal e projeto político pedagógico: Análise da atividade pedagógica a partir da psicologia histórico-cultural. Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo, São Paulo.

BRASIL, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe. Resolução n.35/2016/CS/IFS de 28 de março de 2016.

______, Lei nº 5.540, de 28 de novembro de 1968.

Disponível em: <http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1960-1969/lei-5540-28-novembro-1968-359201-publicacaooriginal-1-pl.html>. Acesso em 15 de mai. 2017.

CANDAU, V. M. F. A didática em questão e a formação de educadores-exaltação à negação: a busca da relevância. In: CANDAU, V. M. F. (org), A didática em questão. Petrópolis: Vozes, 1986, p. 12-22.

CUNHA Jr, F.R. Monitoria: uma possibilidade de transformação no ensino-aprendizagem no ensino médio. 2009. 133 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2009.

DANTAS, O. M. Monitoria: fonte de saberes à docência superior. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 95, n. 241, p. 567-589, set./dez. 2014. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S2176-6681/301611386>. Acesso em: 14 de mai. 2017.

FIDALGO, Nara L. R.; FIDALGO, Fernando. Refluxos sociais da lógica de competências: o processo de individualização em foco. In.: Educação profissional e a lógica das competências. FIDALGO, Nara L. R et al. (org.). 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010, 204p.

FRANCO, Maria A. do Rosário Santoro. Pedagogia e prática docente. 1. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

____________. Pedagogia do Oprimido. 17ª. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FRIEDLANDER, M. R. Alunos-monitores: uma experiência em Fundamentos de Enfermagem. Revista Esc. Enf. USP, 18(2): p.113, 1984.

NATÁRIO, E.G.; SANTOS, A.A.A. Programa de monitores para o ensino superior. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 27 (3), p. 355-364, 2010. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0103-166X2010000300007>. Acesso em: 15 de mai. 2017.

SANTOS, M.M.; LINS, N.M (Orgs.). A monitoria como espaço de iniciação à docência: possibilidades e trajetórias. Natal, RN: EDUFRN – Editora da UFRN, 2007.

SIQUEIRA, R.R.; VARGAS, M.A.M.; SOARES, M.J.N. Adolescentes e o consumo sustentável percepções e estilos de vida. 1.ed. Aracaju: IFS, 2016.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 16. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

Downloads

Publicado

18/12/2017

Como Citar

COSTA, Bruno dos Santos; SIQUEIRA, Rosana Rocha; FONTES SACRAMENTO, Tiffany Brunelly. MONITORIA: DESAFIOS E PERSPECTIVAS NO IFS - CAMPUS LAGARTO. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, [S. l.], v. 2, n. 13, p. 4–12, 2017. DOI: 10.15628/rbept.2017.5950. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/RBEPT/article/view/5950. Acesso em: 26 maio. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos Semelhantes

> >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.