O SURGIMENTO DA REDE FEDERAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NOS PRIMÓRDIOS DO REGIME REPUBLICANO BRASILEIRO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/rbept.2009.2939

Palavras-chave:

História da Educação Profissional, Rede Federal de Educação Profissional, Rede Federal de Escolas Profissionais, Escolas de Aprendizes Artífices

Resumo

O objetivo proposto na presente reflexão é o de compreender o processo de criação da rede federal de educação profissional no Brasil.
Esse empreendimento ocorreu no final da década de 1910, quando o governo federal criou e instalou em cada capital brasileira uma Escola de Aprendizes Artífices, com a finalidade de ministrar o ensino de ofícios referentes às especialidades industriais de cada Estado, proporcionar aos considerados ociosos e desprovidos da fortuna uma profissão, um ofício, e formar os futuros operários úteis às indústrias nascentes. O conjunto das dezenove escolas profissionais congêneres foi concebido no âmbito das ações voltadas à afirmação e consolidação da República Federativa Brasileira, bem como, ao seu progresso que foi atribuído à educação do povo, ao controle social e à industrialização, entre outras condições.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

BRANDÃO, Marisa. Da Arte do Ofício à Ciência da Indústria: a conformação do capitalismo industrial no Brasil vista através da educação profissional. Boletim Técnico do SENAC, Rio de Janeiro, v. 25, n. 3, p. 17-30, set./dez. 1999.

BRASIL. Ministério da Justiça e Negócios Interiores. Diretoria do Interior. Instrução Pública. In: ______. Relatório de 1906. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1906a. p. 98-140. Disponível em: <http://brazil.crl.edu/>. Acesso em: 11 jun. 2003.

BRASIL. Decreto nº 1.606, de 29 de dezembro de 1906. Cria uma Secretaria de Estado com a denominação de Ministério dos Negócios da Agricultura, Indústria e Comércio. Collecção das Leis da República dos Estados Unidos do Brazil - 1906. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1906b. v. 1, p. 114.

BRASIL. Decreto nº 7.566, de 23 de setembro de 1909. Cria nas capitais dos Estados da República Escola de Aprendizes Artífices, para o ensino profissional primário e gratuito. Collecção das Leis da República dos Estados Unidos do Brazil - 1909. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1913. v. 2, p. 445-447.

BRASIL. Decreto nº 7.648, de 11 de novembro de 1909. Abre ao Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio o crédito especial de 434:600$ para ocorrer a despesas com a instalação das Inspetorias Agrícolas nos Estados, das Escolas de Aprendizes Artífices, da Diretoria de Indústria Animal e da delegacia do mesmo ministério no território do Acre. Collecção das Leis da República dos Estados Unidos do Brazil - 1909. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1913. v. 2, p. 707.

BRASIL. Decreto nº 7.649, de 11 de novembro de 1909. Cria nas Escolas de Aprendizes Artífices, a que se refere o decreto nº 7.566, de 23 de setembro último, os lugares de professores dos cursos primários noturnos e de desenho, e dá outras providências. Collecção das Leis da República dos Estados Unidos do Brazil - 1909. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1913. v. 2, p. 707-708.

BRASIL. Decreto nº 7.763, de 23 de dezembro de 1909. Altera os decretos nsº 7.566 e 7.649, de 23 de setembro e 11 de novembro últimos, referentes à criação das escolas de aprendizes artífices nas capitais dos estados e à nomeação de professores para dos respectivos cursos noturnos – primário e de desenho. Collecção das Leis da República dos Estados Unidos do Brazil - 1909. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1913. v. 2, p. 1222-1224.

BRASIL. Decreto nº 9.070, de 25 de outubro de 1911. Dá novo regulamento às escolas de aprendizes artífices. Coleção das Leis Brasileiras. Rio de Janeiro: Imprensa Oficial, 1911. v. 2, p. 341-347.

CARVALHO, José Murilo. A formação das almas: o imaginário da República do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

CUNHA, Luis Antônio. O ensino de ofícios nos primórdios da industrialização. São Paulo: Ed. UNESP; Brasília: FLACSO, 2000.

FARIA FILHO, Luciano Mendes de. República, Trabalho e Educação: A experiência do Instituto João Pinheiro 1909/1934. Bragança Paulista: EDUSF, 2001.

FONSECA, Celso Suckow da. História do Ensino Industrial no Brasil. Rio de Janeiro: Tipografia da Escola Técnica Nacional, 1961. 2v.

GOMES, Luiz Cláudio Gonçalves. Imagens não cotidianas: Escola de Aprendizes Artífices de Campos (1909-1942). 2004. Dissertação (Mestrado em Educação)-Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2004.

HOUAISS, Antônio; VILLAR, Mauro de Salles (Dir.) Dicionário Eletrônico Houaiss. São Paulo: Objetiva, 2001. 1 CD-ROM.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS - INEP. (Brasil). A educação nas mensagens presidenciais (1890-1986). Brasília, 1987. 2v.

KUNZE, Nádia Cuiabano. A Escola de Aprendizes Artífices de Mato Grosso (1909-1942). 2005. Dissertação (Mestrado em Educação)-Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2005.

MATTA, Roberto da. Relativizando. Petrópolis: Vozes, 1984.

MUSEU IMPERIAL. (Brasil). Arquivo Histórico do Museu Imperial. Petrópolis, [199?]. Disponível em: <http://www.museuimperial.gov.br>. Acesso em: 15 jun. 2003.

NAGLE, Jorge. A Educação na Primeira República. In: FAUSTO, Boris (Dir.). O Brasil republicano. Sociedade e Instituições (1889-1930). 3. ed., São Paulo: DIFEL; São Bernardo do Campo: FCA, 1985. p. 261-291. (Coleção História Geral da Civilização Brasileira, Tomo III, v. 2).

NUNES, Clarice. (Des)Encantos da modernidade pedagógica. In: LOPES, Eliane Marta Teixeira; FARIA FILHO, Luciano Mendes; VEIGA, Cyntia Greive (Org.). 500 anos de educação no Brasil. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2000. p. 371-398.

SOARES, Manoel de Jesus A. As Escolas de Aprendizes Artífices – estrutura e evolução. Revista Fórum Educacional, Rio de Janeiro, v. 6, n. 3, p. 58-92, jul./set. 1982.

VEIGA, Cynthia Greive. Educação estética para o povo. In: LOPES, Eliane Marta Teixeira; FARIA FILHO, Luciano Mendes; VEIGA, Cyntia Greive (Org.). 500 anos de educação no Brasil. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2000. p. 399-422.

Downloads

Publicado

2015-07-29

Como Citar

KUNZE, N. C. O SURGIMENTO DA REDE FEDERAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NOS PRIMÓRDIOS DO REGIME REPUBLICANO BRASILEIRO. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, [S. l.], v. 2, n. 2, p. 8–24, 2015. DOI: 10.15628/rbept.2009.2939. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/RBEPT/article/view/2939. Acesso em: 17 maio. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS