Programa de Inclusão e Diversidade do Senac São Paulo: identidade de gênero e educação profissional e tecnológica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/rbept.2021.13158

Palavras-chave:

Políticas Educacionais, Educação Profissional, Gênero, Sexualidade.

Resumo

Este trabalho analisa, a partir do olhar de professores (as) e alunos (as), as percepções sobre a formação continuada em gênero e sexualidade ofertadas pelo Programa de Inclusão e Diversidade, como também, os entraves e contradições que o avanço do neoliberalismo ocasiona para as políticas educacionais, sobretudo, àquelas que versam sobre inclusão e diversidade em identidade de gênero. Para tanto, utilizamos a pesquisa documental e entrevistamos professores (as) e alunos (os) a partir de roteiro semi estruturado. Considerando a análise documental, constatou-se a ausência de formação continuada em gênero e sexualidade enquanto política pública educacional. As análises das entrevistas demonstram que o Programa enseja um ambiente de EPT mais seguro para expressão da cultural LGBTI+

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ABRAMOVAY, M; CASTRO, M. G.; SILVA, L.B. Juventudes e sexualidades. Brasília: UNESCO/Brasil, 2004. Disponível em https://crianca.mppr.mp.br/arquivos/File/publi/unesco/juventudes_e_sexualidade_2004.pdf . Acesso em: 02 dez. 2019.

ACOSTA, Tassio. Morrer para nascer travesti: performatividades, escolaridades e a pedagogia da intolerância. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos, Sorocaba-SP, 2016. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/8448 . Acesso em: 02 abr. 2021.

BENTO, Bento. Na escola se aprende que a diferença faz a diferença. Rev. Estud. Fem. [online]. 2011, vol.19, n.2, pp.549-559. ISSN 0104-026X.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.

BUTLER, J. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Trad. Renato Aguiar. 18ª Ed. Rio de Janeiro: Ed. Civilização Brasileira, 2019.

CEDEC - CENTRO DE ESTUDOS DE CULTURA CONTEMPORÂNEA. Mapeamento das Pessoas Trans na Cidade de São Paulo: relatório de pesquisa. São Paulo, 2021.

CIEGLINSKI, A. A exposição do diferente. Políticas Públicas. Revista Educação, agosto de 2011. Disponível em: https://revistaensinosuperior.com.br/a-exposicao-do-diferente/ . Acesso em: 02 dez. 2019.

CORREA, Jurandir. Crimes contra comunidade LGBT aumentam mais de 100% este ano em MT. Sapícua, 2020. Disponível em: https://www.sapicua.com.br/crimes-contra-comunidade-lgbt-aumentam-mais-de-100-este-ano-em-mt . Acesso em: 20 de ago. 2021.

FEITOSA, Cleyton. Do “Kit Gay” ao “Ministério da família”: a desistitucionalização das políticas públicas LGBTI+ no Brasil. Cad. Gên. Tecnol., Curitiba, v.14, n. 43 p.74-89, jan.jun. 2021. Disponível em: https://periodicos.utfpr.edu.br/cgt. Acesso em: 20 ago. 2021.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. 28ª Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2014.

FREITAS, L. C. de. A reforma empresarial da educação: nova direita, velhas ideias. 1ª Ed. São Paulo: Expressão Popular, 2018.

HALL, S. Identidades culturais na pós modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 1997.

JESUS, Jaqueline Gomes de. Transfobia e crimes de ódio: Assassinatos de pessoas transgênero como genocídio. In: MARANHÃO Fº, Eduardo Meinberg de Albuquerque (Org.). (In)Visibilidade Trans 2. História Agora, v.16, nº 2, pp.101-123, 2013.

JESUS, Jaqueline Gomes. Orientações sobre identidade de gênero: conceitos e termos. Guia técnico sobre pessoas transexuais, travestis e demais transgêneros, para formadores de opinião. Brasilia, 2012.

LEMOS, Andrey; SÁ, Jean Falcão e; CAVALLEIRE, Silvinha Cavalleire; RODRIGUES, Teodoro. Pandemia, LGBTfobia e os impactos das negligências do estado para esta população. Conselho Nacional de Saúde, 2021. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/ultimas-noticias-cns/1640-artigo-pandemia-lgbtfobia-e-os-impactos-das-negligencias-do-estado-para-esta populacao#:~:text=Para%20LGBTs%2C%20ficar%20em%20casa%20pode%20ser%20um%20risco%20de%20viol%C3%AAncia&text=A%20medida%20obrigou%20mulheres%20e,aumentaram%20em%20v%C3%A1rios%20estados%20brasileiro. Acesso em 15 ago. 2021.

LOURO, Guaceira Lopes (Org.) O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Trad. Por Tomaz Tadeu da Silva. 4ª Ed. 2ª Impressão. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019 (Argos).

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. 16.ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

Princípios de Yogyakarta. Princípios sobre a aplicação da legislação internacional de direitos humanos em relação à orientação sexual e identidade de gênero. Disponível em: dhnet.org.br/direitos/sos/gays/principios_de_yogyakarta.pdf . Acesso em: 20 ago. 2021.

Downloads

Publicado

2021-12-21

Como Citar

CAMARGO, D. Programa de Inclusão e Diversidade do Senac São Paulo: identidade de gênero e educação profissional e tecnológica. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, [S. l.], v. 2, n. 21, p. e13158, 2021. DOI: 10.15628/rbept.2021.13158. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/RBEPT/article/view/13158. Acesso em: 2 jul. 2022.

Edição

Seção

DOSSIÊ - Mundo do trabalho, Educação Profissional e Identidade de Gênero