Gênero, sexualidade e protagonismo juvenil: relato de uma experiência no CEFET-RJ

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/rbept.2021.10516

Palavras-chave:

Juventude. Gênero. Sexualidade. Educação Sexual. Protagonismo Juvenil

Resumo

Este relato busca refletir sobre uma experiência de abordagem sobre relações de gênero e sexualidade envolvendo estudantes do ensino médio integrado da unidade Maracanã do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET-RJ) durante o ano de 2019. Através do projeto “Sexualidade, Gênero e Diversidades na Juventude”, foi construída uma experiência de pesquisa-ação que dialogou sobre questões relacionadas à sexualidade juvenil nas suas dimensões biológicas, sociais e políticas. Por isso mesmo, a experiência esteve suscetível a seguir caminhos traçados pelas demandas dos próprios estudantes. Consideramos que, além de promover a educação sexual, a educação profissional e tecnológica precisa incluir, especialmente, as experiências das jovens estudantes mulheres e lgbt’s. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Cristiana Rosa Valença, Centro Federal de Educação Tecnológica (CEFET)

CEFET-RJ/ DEMET/ Coordenação de Biologia

Keila Lucio Carvalho, Centro Federal de Educação Tecnológica (CEFET)

CEFET-RJ/ DEMET/ Coordenação de Sociologia

Referências

ANDRADE, M. P. et al. Promoção da saúde sexual e reprodutiva de puérperas adolescentes: abordagem educativa baseada nos círculos de cultura de Paulo Freire. Sanare.; v. 11, n. 1, p. 38- 44, 2012.

BAUMFELD, T. S. et al. Autonomia do Cuidado: Interlocução Afetivo-Sexual com Adolescentes no PET-Saúde. Rev Bras Educ Med.; v. 36, n. 1, p. 71-80, 2012.

BEHRENS, M. A. Projetos de aprendizagem colaborativa num paradigma emergente. In: Novas Tecnologias e Mediação Pedagógica. São Paulo: Papirus, 2002.

BENEVIDES, M. V. Educação em Direitos Humanos: de que se trata? Palestra de abertura do Seminário de Educação em Direitos Humanos, São Paulo, 18/02/2000.

BUTLER, J. Le pouvoir des mots: politique du performatif. Paris: Éditions Amsterdam, 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. Boletim Epidemiológico HIV-AIDS. Bol Epidemiol.; v. 1, n. 1, p. 1-60, dez., 2012.

CANDAU, V. M. Direitos humanos, educação e interculturalidade: as tensões entre igualdade e diferença. Revista Brasileira de Educação. v. 13 n. 37 jan./abr. 2008.

COGHLAN, D.; BRANNICK, T. Doing action research in your own organization. 2nd ed. London: Sage. 2008.

ESTÊVÃO, C. A. V. Justiça complexa e educação: uma reflexão sobre a dialectologia da justiça em educação. Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 64, p. 107-134, dez. 2002a.

ESTÊVÃO, C. A. V.. Globalização, metáforas organizacionais e mudança educacional. Dilemas e desafios. Porto: Edições ASA, 2002b.

FOUCAULT, M. História da Sexualidade I: A Vontade de Saber. Trad.: Maria Thereza da Costa Albuquerque e J. A. Guilhon Albuquerque. 15ª edição. Rio de janeiro: Graal, 2003.

HIRATA, H. Tecnologia, formação profissional e relações de gênero no trabalho. Revista Educação e Tecnologia. N.6. Belo Horizonte, 2003.

JUNIOR, D. R.; OSWALD, M. L. M. B.; POCAHY, F. A. Gênero, sexualidade e juventude(s) Problematizações sobre heteronormatividade e cotidiano escolar. Civitas, Porto Alegre, v. 18, n. 1, p. 124-137, 2018.

LOURO, G. Corpo, gênero e sexualidade. Um debate contemporâneo na educação. 3 ª Ed. Petrópolis: Ed. Vozes, 2003.

MACEDO, S.R.H.; MIRANDA, F.A.N.; PESSOA JÚNIOR, J.M.; NÓBREGA, V.K.M. Adolescência e sexualidade: scripts sexuais a partir das representações sociais. Revista Brasileira de Enfermagem. 66(1): 103-109. 2013.

POCAHY, Fernando. Deuses e Monstros: envelhecimento e (homo)sexualidade nas tramas da abjeção. Bagoas – Estudos Gays: gênero e sexualidades, v. 7, n. 10, p. 133-155, 2013.

SAVIANI, D. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, v. 12, n. 34, p. 152-165, Abr. 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782007000100012&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 22 abr. 2020.

SCOTT, J. Gênero como categoria útil de análise histórica. Educação e Realidade, v. 20, n. 2, 1995. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/71721/40667. Acesso em: 25 abr. 2020.

SPOSITO, M.; GALVÃO, I. A experiência e as percepções de jovens na vida escolar na encruzilhada das aprendizagens: o conhecimento, a indisciplina, a violência. Perspectiva, Florianópolis, v. 22, n. 02, p. 345-380, jul./dez.2004.

VALENÇA, C. R.; CARVALHO, K. L. Sexualidade, Gênero e Diversidades na Juventude: Integrando Biologia e Sociologia. In: II Encontro Intercampi de Educação Profissional do CEFET/RJ, 2019, Rio de Janeiro. Anais do II Encontro Intercampi de Educação Profissional do CEFET/RJ: Educação e Resistência. Rio de Janeiro: CEFET/RJ, 2019a, p. 108-111.

VALENÇA, C. R.; CARVALHO, K. L. (Orgs.). Dicionário Juventude e Sexualidade. 1ª ed. Rio de Janeiro: CEFET/RJ, 2019b. Disponível em: <http://www.cefet-rj.br/attachments/article/5257/Dicion%C3%A1rio%20juventude%20e%20sexualidade%20cefet%202019.pdf> . Acesso em: 10 mai. 2021.

THIOLLENT, M. Metodologia da Pesquisa-ação. 14ª edição São Paulo: Cortez Editora, 2005.

Downloads

Publicado

2021-06-16

Como Citar

VALENÇA, C. R.; CARVALHO, K. L. Gênero, sexualidade e protagonismo juvenil: relato de uma experiência no CEFET-RJ. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, [S. l.], v. 1, n. 20, p. e10516, 2021. DOI: 10.15628/rbept.2021.10516. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/RBEPT/article/view/10516. Acesso em: 2 jul. 2022.

Edição

Seção

RELATO DE EXPERIÊNCIA