INTERFACE ENTRE FILOSOFIA E PEDAGOGIA FREIRIANA: CONTRIBUIÇÕES PARA UMA FORMAÇÃO HUMANA INTEGRAL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/rbept.2020.9897

Palavras-chave:

, Educação. Filosofia. Formação Integral. Pedagogia Freiriana. Diálogo.

Resumo

O artigo apresenta reflexões sobre a importância do ensino de filosofia para a formação humana integral, considerando as necessidades dos discentes regerem suas existências históricas e políticas, de forma consciente e crítica. Como caminho teórico-metodológico escolhemos o materialismo histórico-dialético. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica, a partir da qual contextualizamos a escola como parte de um projeto iluminista, que se consolida através de uma perspectiva pedagógica tradicional e tecnicista. Como proposta contra hegemônica a esse tipo de educação, apontamos a perspectiva sociocultural freiriana, como possibilidade para a formação omnilateral dos sujeitos do processo educativo. Ademais, na estreita relação entre filosofia e educação, evidenciamos a pedagogia freiriana como referência para uma formação integral, tendo o diálogo como um ponto central para um ensino emancipatório.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Maria Lionilde Araújo da Silva, IFAC

Possui Graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Acre (2014) e Graduação em Filosofia pela Universidade Federal do Acre (2013). É professora de Filosofia P2 da Secretaria de Estado de Educação e Esporte do Estado do Acre. Atualmente é Coordenadora Pedagógica da Escola Estadual Dr. Mário de Oliveira. Mestranda no Programa PROFETP/IFAC.

Josina Maria Pontes Ribeiro, INSTITUTO FEDERAL DO ACRE - CAMPUS RIO BRANCO

Graduada em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Acre (2002), Especialista em Direitos Humanos e Sociedade pela União Educacional do Norte - UNINORTE (2005), Mestre em Ciência Política pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro - IUPERJ (2009) e Doutora em Ensino de Biociências e Saúde pelo Instituto Oswaldo Cruz (IOC/FIOCRUZ). Já trabalhou como Socióloga da Gerência de Planejamento da Secretaria Estadual de Cidadania e Assistência Social - SECIAS (2003-2006). Fez parte do quadro docente da União Educacional do Norte (UNINORTE), de 2003 a 2011. Prestou consultoria no Núcleo Social da EKOAR, onde foi a técnica responsável pela elaboração de "Diagnóstico da realidade da criança e do adolescentes no município de Rio Branco- 2009" (realização: Instituto Votorantim e Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente). Atualmente, é docente na área de Ciências Sociais do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre (IFAC)/Câmpus Rio Branco, em regime de dedicação exclusiva.

Ricardo dos Santos Pereira, Instituto Federal do Acre - Campus Xapuri

Possui Licenciatura em Ciências Biológicas (2004) e Bacharelado em Biologia do Desenvolvimento (2005) pela Universidade Federal Fluminense (IB/UFF). Realizou o Mestrado em Ciências/Bioquímica (2007) pelo Departamento de Bioquímica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IQ/UFRJ). Concluiu o Doutorado em Ciências/Biologia Celular e Molecular (2018) pelo Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz). Atuou como Professor de Biologia na SEE/RJ (2010) e como Professor de Ciências na SME/RJ (2011). Atuou como Tutor de Apoio ao Professor no Departamento de Mídias Digitais do CEDERJ (2011/2012), onde trabalhou com o Ensino à Distância (EaD) utilizando a Plataforma Moodle. Concluiu o Curso de Aperfeiçoamento em Ciência, Tecnologia e Educação na Amazônia (IFAC-IOC/Fiocruz) em 2013. Atuou como Professor Substituto de Biologia no IFAC entre 2015 e 2017. Atualmente é Professor EBTT/IFAC (Biologia), onde atua no Ensino Médio Integrado (CXA/IFAC), na Especialização em Educação Profissional e Tecnológica (CRB/IFAC), no Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica (PROFEPT/IFAC), como Coordenador do Projeto "Espaço IFAC de Ciências" e como Líder do Grupo de Pesquisa em Ensino de Biociências (GPEnBio/CNPq/IFAC). Mais recentemente (2019) iniciou o Pós-Doutorado junto ao Programa de Pós-Graduação em Ciências e Biotecnologia da Universidade Federal Fluminense (UFF).

Referências

ARISTÓTELES. Política. Trad. Carlos Alberto Nunes. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1997.

ARISTÓTELES. Metafísica I. São Paulo: Abril Cultural, 1982.

ASPIS, R. Ensinar Filosofia: um livro para professores. São Paulo: Atta Mídia e educação, 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Câmara de Educação Básica. Educação Profissional técnica de nível médio integrada ao ensino médio. Brasília: MEC/CNE/CEB, 2007.

BRASIL. Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Cientifica e Tecnológica, cria os Institutos Federais. Diário oficial da União. Brasília, 30 dez.2008, Seção 1, p.1.

CALVINO, I. Por que ler os clássicos. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

CERLETTI, A. O ensino de filosofia como problema filosófico. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

CIAVATTA, M. A formação integrada: a escola e o trabalho como lugares de memória e identidade. In: Ensino Médio integrado: Concepções e Contradições. FRIGOTTO; CIAVATTA, M; RAMOS, M. (Orgs.) São Paulo: Cortez, 2005.

CIAVATTA, M. Ensino Integrado, a Politecnia e a Educação Omnilateral: por que

lutamos? Revista Trabalho & Educação, v. 23, n. 1, p. 187–205, 2016.

DELEUZE, G. Nietzsche e a filosofia. Rio de Janeiro: Editora Rio, 1976.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. O que é a filosofia? Rio de Janeiro: Editora 34, 2016.

DELEUZE, G. Conversações. São Paulo: Editora 34, 2017.

DUMAS, A. O Conde de Monte Cristo. São Paulo: Zahar, 2014.

FREIRE, P. Extensão ou Comunicação? São Paulo: Paz e Terra, 1985.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2018.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2019.

FRIGOTTO, G. Concepções e mudanças no mundo do trabalho e o ensino médio. In: Ensino Médio integrado: Concepções e contradições. FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise. (Orgs.) São Paulo: Cortez, 2005.

FRIGOTTO, G; RAMOS, M; CIAVATTA, M. A educação de trabalhadores no Brasil contemporâneo: um direito que não se completa. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 6, n. 2, p. 65-76, dez. 2014.

GADOTTI, M. Uma só escola para todos: Caminhos da autonomia escolar. Petrópolis: Vozes, 1991.

GALLO, S. Metodologia de filosofia no ensino médio. São Paulo: Zahar, 2012.

GILES, T. Filosofia da Educação. 4. ed. São Paulo: E.P.U. 2007.

GHIRALDELLI Jr. P. Filosofia da Educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1976

GRAMSCI, A. Concepção dialética da história. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1986.

JAEGER, W. W. Paideia: A Formação do Homem Grego. São Paulo: Martins Fontes,1995.

KOSIK, K. A dialética do Concreto. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

LACE, J. Curso de Filosofia grega. São Paulo: Zahar, 1994.

MINAYO, M.C.S. Hermenêutica-Dialética como caminho do pensamento social. In: M. S. S. MINAYO, MCS; DESLANDES, S. (Orgs.). Caminhos do Pensamento – Epistemologia e Método. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2010.

MIZUKAMI, M. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, 2001.

PACHECO, E. Os institutos federais: uma revolução na educação profissional e tecnológica. Natal: IFRN, 2010.

PACHECO, E. Institutos federais: uma revolução profissional e tecnológica. São Paulo: Moderna, 2011.

RAMOS, M. Possibilidades e desafios na organização do currículo integrado. In: FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise. (Orgs.). Ensino Médio integrado: Concepções e contradições. São Paulo: Cortez, 2005.

RAMOS, M. Currículo Integrado. In: PEREIRA, I; LIMA, J. (Org.). Dicionário de Educação da Educação Profissional em Saúde. Rio de Janeiro: EPSJV/Fiocruz, 2009. Disponível em: http://www.sites.epsjv.fiocruz.br/dicionario/verbetes/curint.html.

RAMOS, M. História e política da educação profissional. Curitiba: InstitutoFederal do Paraná, 2016.

RODRIGO, L. Uma alternativa para o ensino de filosofia no nível médio. In: SILVEIRA, R. & GOTO, R. (orgs.). Filosofia no ensino médio. São Paulo: Loyola, 2007.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 9.ed. Campinas: Autores Associados, 2011.

SAVIANI, D. A contribuição da filosofia para a educação. São Paulo: Aberto, 1990.

SAVIANI, D. Escola e democracia: teorias da educação, curvatura da vara, onze teses sobre educação e política. Campinas: Autores Associados, 1999.

SAVIANI, D. Pedagogia no Brasil: história e teoria. Campinas: Autores Associados, 2008.

SAVIANI, D. Educação do senso comum a consciência filosófica. Campinas: Autores Associados, 2013.

SAVIANI, D; DUARTE, N. A pedagogia histórico-crítica e aluta de classe na educação escolar. Campinas: Autores Associados, 2015.

SEVERINO, A.J. A contribuição da filosofia para a educação. Em aberto, ano 9, n 45, 1990.

SEVERINO, A.J. Desafios atuais do ensino de Filosofia. In: TRENTIN, R&GOTO, R. (orgs.). Filosofia e seu ensino. São Paulo: Loyola, 2007.

SILVA, S. R. A civilização contra a tradição no projeto iluminista de Condorcet.Filosofia da Educação, n. 17, 2007. Disponível em:http://www.anped.org.br/sites/default/files/gt17-3001-int.pdf. Acesso em 30 de maio de 2019.

SILVA, S. R. Direitos humanos e instrução pública segundo Condorcet. Educação em Revista, Marília, v.11, n.1, p.1-18, 2014.

SIMON, E. et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem e educação popular: encontros e desencontros no contexto da formação dos profissionais de saúde. Interface, Comunicação, Saúde, Educação, v. 18, p. 1355-1364, 2014.

Downloads

Publicado

28/11/2020

Como Citar

SILVA, M. L. A. da; PONTES RIBEIRO, J. M.; DOS SANTOS PEREIRA, R. INTERFACE ENTRE FILOSOFIA E PEDAGOGIA FREIRIANA: CONTRIBUIÇÕES PARA UMA FORMAÇÃO HUMANA INTEGRAL. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, [S. l.], v. 2, n. 19, p. e9897, 2020. DOI: 10.15628/rbept.2020.9897. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/RBEPT/article/view/9897. Acesso em: 6 dez. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS