MULTICULTURALISMO E CURRÍCULO: UM ESTUDO SOBRE A SITUAÇÃO DO ESTUDANTE AFRICANO EM UMA ESCOLA DE FORTALEZA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/rbept.2019.7829

Palavras-chave:

Multiculturalismo, Relações étnico-raciais, Currículo, Educação profissional.

Resumo

O presente estudo tem por objetivo desenvolver uma reflexão acerca da situação dos estrangeiros africanos que vêm à cidade de Fortaleza-CE para estudar em escolas de cursos técnicos e profissionalizantes. Com base nos estudos sobre multiculturalismo (WERNECK, 2008; CANEN, 2007), Currículos (SILVA, 1999; GIMENO SACRISTÁN (2000) e relações étnico-raciais (COELHO, 2005) foi  realizado  um estudo de caso, com entrevistas semiestruturadas a um estudante guineense e a um membro da secretaria de uma escola técnica da rede privada de ensino de Fortaleza-CE.  A pesquisa revelou que há, com relação ao estudante africano, distanciamento e falta de adequação curricular para acolhê-lo. Tal situação  ocorre desde o primeiro dia de ida ao ambiente escolar e atinge, entre outros aspectos, a vestimenta e o idioma dos estrangeiros de origem africana: um misto de português com crioulo, que são duas línguas típicas de muitos países africanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antônio Vinnie Silva, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN)

Física - Ensino de Física

Referências

GOMES, Marianna. Africanos quebram barreiras, mudam cenário e já somam mais de 2 mil no Ceará. Disponível em: <http://tribunadoceara.uol.com.br/noticias/cotidiano-2/africanos-quebram-barreiras-e-ja-somam-mais-2-mil-no-ceara>. Acesso em: 30 maio 2017.

BOURDIEU, Pierre. Lesstructuressociales de l’économie.

Paris:Seuil, 2000. In: COELHO, W. N. B. A cor ausente: um estudo sobre a presença do negro na formação de professores. 2005. 253 f. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2005 Disponível em: <http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/bitstream/123456789/14118/1/WilmaNBC.pdf>. Acesso em: 25 jan. 2017.

BARROSO, Marta. América Latina é novo destino de refugiados africanos. Disponível em: <http://www.dw.com/pt-br/am%C3%A9rica-latina-%C3%A9-novo-destino-de-refugiados-africanos/a-4921257>. Acesso em: 06 jul. 2017.

BHABHA, H. K. O local da cultura. Trad: Myriam Ávila, Eliana Lourenço de Lima Reis, Gláucia Renate Gonçalves. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 1998.

BRASIL. Lei nº 10.639 de janeiro de 2003. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira", e dá outras providências, Brasília, DF, 2003. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm> Acesso em: 06 jan. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação: Conselho Nacional de Educação. Resolução nº 6, de 20 de setembro de 2012. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=11663-rceb006-12-pdf&category_slug=setembro-2012-pdf&Itemid=30192>. Acesso em 06 jul. 2017.

BRASIL. Ministério da Justiça e Cidadania: Polícia Federal. Disponível em:<http://www.pf.gov.br/imprensa/estatistica/estrangeiros>. Acesso em 25 jan. 2017.

CANEN, A. Multiculturalismo e formação docente: experiências narradas. Educação e Realidade, v. 24, nº 2, p. 89-102, 1999.

______. O multiculturalismo e seus dilemas: implicações na educação. Revista

comunicação e política, v.25, n.2, p.091-107, 2007. Disponível em:

<http://www.cebela.org.br/imagens/Materia/02DED04%20Ana%20Caren.pdf>. Acesso em: 03 jul. 2017.

______, GRANT, N. Intercultural perspective and knowledge for equity in the Mercosul countries: limits and potentials in educational policies. Comparative Education, v. 35, nº 3, p. 319-330, 1999.

______, MOREIRA, A. F. B. Reflexões sobre o multiculturalismo na escola e na formação docente. In: ______, (orgs.). Ênfases e omissões no currículo. São Paulo: Papirus. p. 15-43, 2001.

Ceará é destino acadêmico para estudantes africanos. Disponível em: <http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/cadernos/cidade/ceara-e-destino-academico-para-estudantes-africanos-1.691145>. Acesso em: 06 de jan.2017.

COELHO, W. N. B. A cor ausente: um estudo sobre a presença do negro na formação de professores. 2005. 253 f. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2005. Disponível em: <http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/bitstream/123456789/14118/1/WilmaNBC.pdf>. Acesso em: 25 jan. 2017.

_____; COELHO, M.C. Os conteúdos étnico-raciais na educação brasileira: práticas em curso. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 47, p. 67-84, jan./mar. 2013. Editora UFPR. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/er/n47/06.pdf>. Acesso em: 25 jan. 2017.

FALCÃO, Carla. Brasil cresce 2,7% em 2011 e vira 6ª economia do mundo, 2012. Disponível em: <http://economia.ig.com.br/economia-brasileira-cresce-27-em-2011/n1597665838398.html>. Acesso em 29 de abr. 2017.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido, 17ª ed. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 1987.

GARCIA, Daniela. UOL. Em vídeo, recrutadores têm reações diferentes diante de negros e brancos. Disponível em: < https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2016/11/17/reacao-de-recrutadores-muda-em-relacao-a-raca-de-pessoas-mostra-video.htm>. Acesso em: 10 jul. 2017.

GONÇALVES, Jonuel. Estudantes africanos miram o Brasil para estudos superiores. Disponível em: <http://br.rfi.fr/brasil/20160228-estudantes-africanos-miram-o-brasil-para-estudos-superiores>. Acesso em: 06 jul. 2017.

GONÇALVES. L. A. O.; SILVA, P. B. G. Multiculturalismo e educação: do protesto de ruas

a propostas políticas. Revista Educação e Pesquisa, São Paulo, vol. 29, n. 1, p. 109-123,

Jan./Jun., 2003. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ensaio/v16n60/v16n60a06.pdf>.

Acesso em: 03 jul. 2017.

GOOGLE PUBLIC DATA EXPLORER. Disponível em: <https://www.google.com/publicdata/explorer>. Acesso em: 29 abr. 2017.

GOVERNO DO PARANÁ. Secretaria da Juventude. O Racismo Institucional. Disponível em: < http://www.contraracismo.pr.gov.br/>. Acesso em: 10 jul. 2017.

KUENZER, A. Exclusão includente e inclusão excludente: a nova forma de dualidade estrutural que objetiva as novas relações entre educação e trabalho. In: SAVIANI, D.; SANFELICE, J.L.; LOMBARDI, J.C.(Org.). Capitalismo, trabalho e educação. 3. ed.Campinas: Autores Associados, 2005.

LUCKESI, Cipriano Carlos. O papel da didática na formação do educador. In: A Didática em Questão. Petrópolis: Vozes, 1987.

MANEL, A.; AMÂNCIO, T. Negros ocupam só 18% dos cargos de elite, aponta levantamento. Disponível em: < http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/06/1638879-negros-ocupam-so-18-dos-cargos-de-elite-aponta-levantamento.shtml>. Acesso em: 10 jul. 2017.

ONU. Nações Unidas no Brasil. Grupo de Trabalho da ONU sobre Afrodescendentes divulga comunicado final sobre visita ao Brasil. Disponível em: <https://nacoesunidas.org/grupo-de-trabalho-da-onu-sobre-afrodescendentes-divulga-comunicado-final/>. Acesso em: 10 jul. 2017.

PETIT, Sandra Haydée; ALVES, Maria Kellynia Farias; MACHADO, Adilbênia Freire. Memórias de Baobá II. Fortaleza: Imprece, 2015.

PETIT, Sandra Haydée. Pretagogia: Pertencimento, Corpo-Dança Afroancestral e Tradição Oral Africana na Formação de Professoras e Professores. Fortaleza: Editora UECE, 2015.

IMF. INTERNATIONAL MONETARY FUND. Transcript of the Press Conference on the Release of the October 2016 World Economic Outlook. Disponível em: <http://www.imf.org/en/News/Articles/2016/10/04/AM16-TR100416-Transcript-of-October-2016-World-Economic-Outlook>. Acesso em: 29 abr. 2017.

ROCHEL, Luiz Cezar Elias. Desempenho Setorial. Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), São Paulo, Brasil. Disponível em: <http://www.abinee.org.br/abinee/decon/decon15.htm>. Acesso em: 29 abr. 2017.

GIMENO SACRISTÁN J. O currículo: os conteúdos do ensino ou uma análise prática. In: _______.; PÉREZ GÓMEZ, A. I. Compreender e transformar o ensino. 4. ed. Porto Alegre: ArtMed, 2000.

RODRIGUES, M. S., LEITE, C. Multiculturalismo e ensino de Física e Ciências: um levantamento bibliográfico em periódicos brasileiros. Revista de Enseñanza de la Física. Vol. 27, No. Extra, Nov. 2015, 219-227. Disponível em: <https://revistas.unc.edu.ar/index.php/revistaEF/article/viewFile/12606/12882>. Acesso em: 10 jul. 2017.

SANTOS, Akiko, SUANNO, João H. e SUANNO, Marilza V.R. (Orgs.). Didática e formação de professores: complexidade e transdisciplinaridade. Porto Alegre: Sulina, 2013.

SOUZA, Lynn Mario T. Menezes de. Hibridismo e tradução cultural em Bhabha. In: ABDALA JÚNIOR, Benjamin (org). Margens da cultura: mestiçagem, hibridismo & outras misturas. São Paulo: Boitempo Editorial, 2004. P. 113-133.

THE WORLD BANK GROUP. World Development Indicators. Disponível em: <http://databank.worldbank.org/data/reports.aspx?source=2&country=BRA#>. Acesso em: 29 abr. 2017.

UNILAB – INSTITUCIONAL. Disponível em: <http://www.unilab.edu.br/institucional-2/>. Acesso em: 25 jan. 2017.

VIEIRA, Isabela. Grupo da ONU reconhece racismo como problema estrutural no Brasil. Disponível em: < http://www.ebc.com.br/noticias/brasil/2013/12/grupo-da-onu-reconhece-racismo-como-problema-estrutural-da-sociedade>. Acesso em: 10 jul. 2017.

WERNECK. V.R. Uma avaliação sobre a relação multiculturalismo e educação. Ensaio:

aval. Pol. Publ. Educ.; Rio de Janeiro, v. 16, n. 60, p. 413-436, jul./set. 2008. Disponível em:

<http://www.scielo.br/pdf/ensaio/v16n60/v16n60a06.pdf>. Acesso em: 03 jul. 2017.

Downloads

Publicado

09/08/2019

Como Citar

SILVA, Antônio Vinnie; FERNANDES, Natal Lânia. MULTICULTURALISMO E CURRÍCULO: UM ESTUDO SOBRE A SITUAÇÃO DO ESTUDANTE AFRICANO EM UMA ESCOLA DE FORTALEZA. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, [S. l.], v. 2, n. 17, p. e7829, 2019. DOI: 10.15628/rbept.2019.7829. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/RBEPT/article/view/7829. Acesso em: 27 maio. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos Semelhantes

> >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.