O papel do Sinasefe nas políticas de Educação Profissional e o documento “Rede Federal de Educação Tecnológica: Onde estamos e o que queremos”

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/rbept.2019.7394

Palavras-chave:

Educação Profissional, Sindicato, Trabalhadores, SINASEFE.

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar as contribuições do Sindicato Nacional dos Servidores da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (SINASEFE), às discussões sobre Educação Profissional, e o seu papel nas movimentações políticas nesse campo num cenário de mudanças políticas, governos e nova institucionalidade da Rede Federal. Essa análise se dará historicizando os movimentos das políticas de Educação Profissional no nosso Brasil no último circuito histórico e apresentando as propostas do Sinasefe à esse campo,  comparando as recentes Resoluções do Sindicato, constantes do documento “Rede Federal de Educação Tecnológica: Onde estamos e o que queremos” com as diretrizes expostas no  artigo “As Políticas de Educação tecnológica para o Brasil no Século XXI – Reflexões e Considerações do Sinasefe” (GUIMARÃES; SILVA, 2010), compreendendo a diferença de tempo histórico e alcance das proposições entre estes,  e se propondo a atualizar o registro acadêmico das proposições dos trabalhadores da educação profissional.


 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Shilton Roque dos Santos, IFRN - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte

Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte. Possui graduação em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2011), Especialista em Direito Administrativo (2012). Advogado inscrito na OAB/RN sob o número de ordem 10.269. Atualmente é assistente em administração do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte e é pesquisador em Educação Profissional e Avaliação de Políticas Públicas.

Ronaldo Nascimento Naziazeno, IFBA - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia

Doutorando na Escola Politécnica da UFBA, no programa de Engenharia Industrial, onde desenvolve um sensor de oxigênio em meios fluidos. Possui graduação em Física pela Universidade Federal da Bahia (2000) e mestrado em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2009). É professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia. Tem experiência na área de Física, com ênfase em aplicações tecnológicas (Texto informado pelo autor)

Referências

ALVES, Giovanni. Trabalho e neodesenvolvimentismo – choque de capitalismo e nova degradação do trabalho no Brasil. Bauru: Canal 6, 2014.

ANTUNES, Ricardo. Os Sentidos do Trabalho: ensaio sobre a afirmação e a e a negação do trabalho. São Paulo: Boitempo, 2000.

BRASIL. Ministério da Educação. Expansão da Rede Federal. Brasília, 2016. Disponível em: < http://redefederal.mec.gov.br/expansao-da-rede-federal> Acesso em 05 jul. 2017.

DEMO, Pedro. Introdução à metodologia da ciência. São Paulo: Atlas, 2012.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Os circuitos da história e o balanço da educação no Brasil na primeira década do século XXI. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, v. 16, p. 235-254, 2011.

GUIMARÃES, Maurício; SILVA, Maria Cristina Madeira da. As políticas de educação tecnológica para o Brasil do século XXI: reflexões e considerações do Sinasefe. In: MOLL, Jaqueline; Et al (org.). Educação Profissional e Tecnológica no Brasil contemporâneo. Porto Alegre: Artemed, 2010, p 244-251.

MARX, Karl. Contribuição à crítica da Economia Política. São Paulo: Expressão Popular, 2008.

MOURA, Dante. Ensino médio e educação profissional nos anos 2000: movimentos contraditórios. In: MOURA, Dante (Org.) Produção de conhecimento, políticas públicas e formação docente em educação profissional. Campinas: Mercado das letras, 2013. p. 141-200.

______. Mudanças na sociedade brasileira dos anos 2000 limitadas pela hegemonia do neoliberalismo: implicações para o trabalho e para a educação. In: MOURA, Dante Henrique (org.). Produção do conhecimento, políticas públicas e formação docente em educação profissional. Campinas: Mercado das Letras, 2013a. p.109-140.

OLIVEIRA, Elelnice Gomes de; MENEZES, Rommel Rennê Santos de. Desafios e Contradições do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Médio (PRONATEC). In: Antonia Abreu de Sousa et al (Org.) As inferfaces do mundo do trabalho: Educação, práxis social e formação dos trabalhadores. Curitiba: CRV, 2016. p. 223-236;

SILVA, Danilma de Medeiros. Desvelando o PRONATEC: uma avaliação política do programa. 2015. 168f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Centro de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015

MELO, Ticiane Gonçalves Sousa de. O Pronatec e o Processo de Expansão e Privatização DA Educação Profissional no Brasil. 2015. 138f. Dissertação (Mestrado em Educação Profissional) – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.

RAMOS, Marise; FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria. A gênese do decreto n. 5.154/2004: um debate no contexto controverso da democracia. In: FRIGOTTO, G. et al. (Orgs.). Ensino médio integrado: concepções e contradições. São Paulo: Cortez, 2005. p. 21-56.

SANTOS, Shilton Roque dos. Avaliação participativa de resultados sociais do PRONATEC Campo. 2018. 186f. Dissertação (Mestrado em Educação Profissional) – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.

SINASEFE. ESTATUTO. Aprovado no 29o Congresso Nacional do Sinasefe reaizado no período de 26 a 29 de março de 2015 em João Pessoa/PB. 2015. Disponível em: <http://www.sinasefe.org.br/v3/index.phpoption=com_docman&task=doc_download&gid=1818&Itemid=61> Acesso em 20 ago. 2016.

SINASEFE. Carta aberta de Murici. Maceió. 2011. Disponível em: < http://www.sinasefe.org.br/antigo/Carta_de_Murici.pdf> Acesso em 20 ago. 2016.

SINASEFE. Rede Federal de Educação Básica, Profissional e Tecnológica: Onde estamos e o que queremos? Aprovado na 132a Plena Nacional do Sinasefe, em 05 de julho de 2015. 2015a Disponível em: < http://www.sinasefe.org.br/v3/index.php?option=com_content&view=article&id=1500:2015-12-11-05-03-14&catid=1:latest-news&Itemid=75 > Acesso em 20 ago. 2016.

SANTOS, Shilton R; FIGUEIREDO, Etiene F.; AZEVEDO, Marcio A. O papel dos sindicatos de (trabalhadores em) educação na disputa por hegemonia na sociedade civil. In: I JOINGG – JORNADA INTERNACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EM ANTONIO

GRAMSCI, Fortaleza. Anais... Fortaleza, 2016. v. 1. p.1 – 14.

SAVIANI, Demerval. O choque teórico da politecnia. In: Educação, Trabalho e Saúde. Rio de Janeiro: EPSJV/FIOCRUZ, v. 1, p. 131-152, 2003.

Downloads

Publicado

2019-03-03

Como Citar

SANTOS, S. R. dos; NAZIAZENO, R. N. O papel do Sinasefe nas políticas de Educação Profissional e o documento “Rede Federal de Educação Tecnológica: Onde estamos e o que queremos”. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, [S. l.], v. 1, n. 16, p. e7394, 2019. DOI: 10.15628/rbept.2019.7394. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/RBEPT/article/view/7394. Acesso em: 20 maio. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS