JUVENTUDES, EDUCAÇÃO E PROJETOS DE FUTURO: ESTUDO SOBRE ESTUDANTES COTISTAS NA EPTNM DA RFEPCT

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/rbept.2020.10237

Palavras-chave:

Juventudes. Cotas escolares. Meritocracia. Campo de possibilidades. Projetos de futuro.

Resumo

O artigo diz respeito a jovens com idade entre dezessete e dezenove anos, egressos do ensino fundamental público em escolas de periferia urbana, de baixa renda, autodeclarados preto ou pardo, que ingressaram na EPTNM da RFEPCT pela lei de cotas. Objetivo é identificar a RFEPCT como campo de experiências e possibilidades para projetos de futuro. A referência teórico-metodológica articula campo de possibilidades e projetos (Velho) e experiência e horizonte de expectativas (Koselleck) num estudo de discursos sobre si próprios apurados em entrevistas focalizadas individuais. Os resultados permitem ler a precariedade da escola pública periférica de tempo parcial e também situar componentes da escola pública de boa qualidade como plataforma para projetos. Que as experiências na escola de tempo integral são abrangentes e incluem vivências e convivências diversas. Os resultados constatam que os cotistas têm, desde o ensino fundamental, uma trajetória marcada pelo mérito escolar e social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

José Gerando Pedrosa, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais

Licenciado em Ciências Sociais (INESP); Mestrado em Educação (UFMG); Doutorado em Educação: História, Política, Sociedade (PUC-SP). Pós-doutorado em Geografia Humana (IGC-UFMG); Docente do ensino superior no Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais

Aldo Geraldo Simões, Centro Federal de Educação Tecnológica de MInas Gerais

Graduado em Psicologia (UEMG); mestre em Educação Tecnológica (CEFET-MG)

Referências

BAYMA, Fátima. Reflexões sobre a constitucionalidade das cotas raciais em universidades públicas no Brasil: referências internacionais e os desafios pós-julgamento das cotas. Ensaio: avaliação e políticas públicas em educação, Rio de Janeiro, v. 20, n. 75, p.325–346, jun. 2012.

BRASIL. Lei n.º 12.711, de 29 de agosto de 2012. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, Seção 1, p. 1, 30 ago. 2012.

CAMINO, L.; TAVARES, T. L.; TORRES, A. R. R.; ÁLVARO, J. L.; GARRIDO, A. (2014). Repertórios discursivos de estudantes universitários sobre cotas raciais nas universidades públicas brasileiras. Psicologia & Sociedade, 26 (n. spe.), p. 117–128, 2014.

CARVALHO, José Jorge de. Inclusão étnica e racial no ensino superior: um desafio para as universidades brasileiras. Brasília: Departamento de Antropologia, Universidade de Brasília, 2005.

CARVALHO, José Jorge de. A política de cotas no ensino superior: ensaio descritivo e analítico do mapa das ações afirmativas no Brasil. Brasília: INCT, 2016.

DAYRELL, Juarez. A escola “faz” as juventudes? Reflexões em torno da socialização juvenil. Educação & Sociedade, Campinas, v. 28, n. 100, out. 2007.

DAYRELL, Juarez Tarcísio; JESUS, Rodrigo Ednilson de. Juventude, ensino médio e os processos de exclusão escolar. Educação & Sociedade, Campinas, v. 37, n. 135, p. 407–423, maio/jun. 2016.

FREUD. Sigmund. (1929). O mal-estar na civilização. Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud, v. XXI. Rio de Janeiro: Imago, 1996c.

KANT, Imannuel. O que é o esclarecimento? In: Imannuel Kant. Textos seletos. Tradução de Floriano de Souza Fernandes. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2010.

KOSELLECK, Reinhardt. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto; PUC Rio, 2006.

LECCARDI, Carmen. Para um novo significado do futuro: mudança social, jovens e tempo. Tempo Social, São Paulo, v. 17, n. 2, p. 35–57, nov. 2005.

MELLO, M. A. Íntegra do voto do ministro Marco Aurélio Mello na ADPF sobre cotas. Brasília, DF: STF, 2012. Disponível em: <http://acoesafirmativas.ufsc.br/files/2013/03/ADPF186MMA.pdf>. Acesso em: 12 nov. 2017.

PAIS, J. M. Ganchos, tachos e biscates: jovens, trabalho e futuro. Lisboa: Âmbar, 2003.

PASSOS, Guiomar de Oliveira; GOMES, Marcelo Batista. A instituição da reserva de vagas na universidade pública brasileira: os meandros da formulação de uma política. Ensaio: avaliação e políticas públicas em educação, Rio de Janeiro, v. 22, n. 85, p. 1.091–1.114, 2014.

SENNETT, Richard. A corrosão do caráter: consequências pessoais do trabalho no novo capitalismo. Rio de Janeiro: Record, 2001.

VELHO, G. Individualismo e cultura: notas para uma antropologia da sociedade contemporânea. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1999.

VELHO, G. Projeto e metamorfose: antropologia das sociedades complexas. 3. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. 2003.

Downloads

Publicado

18/09/2020

Como Citar

PEDROSA, J. G.; SIMÕES, A. G. JUVENTUDES, EDUCAÇÃO E PROJETOS DE FUTURO: ESTUDO SOBRE ESTUDANTES COTISTAS NA EPTNM DA RFEPCT. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, [S. l.], v. 2, n. 19, p. e10237, 2020. DOI: 10.15628/rbept.2020.10237. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/RBEPT/article/view/10237. Acesso em: 4 dez. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS