JUVENTUDE E ENSINO MÉDIO INTEGRADO: POR UM DIÁLOGO POSSÍVEL ENTRE A EDUCAÇÃO AMBIENTAL E A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

Joaracy Lima de Paula, Ana Lúcia Sarmento Henrique

Resumo


O presente artigo versa sobre a relação entre gestão ambiental, políticas públicas e educação profissional. Partindo do questionamento: Como as políticas públicas interferem no processo de gestão ambiental e em que medida essa relação repercute na educação profissional na atualidade? Objetivamos identificar a repercussão na educação profissional, da interferência das políticas públicas no processo de gestão ambiental. Para tanto, realizamos um breve levantamento bibliográfico acerca dessa temática, conceituando-a e contextualizando-a, além de analisarmos o conteúdo/respostas atribuídas a um questionário aplicado a um Ecólogo, Consultor Ambiental. Como referencial utilizamos autores como: AZEVEDO (2011), BRASIL (2007), CAVALCANTI (1997), GUTIÉRREZ e PRADO (2008), LANNA (1995), LEFF (2010), LOUREIRO (2008), entre outros, bem como algumas legislações regulamentadoras da temática. Ao final da pesquisa, identificamos que as políticas públicas voltadas para área ambiental se configuram como um instrumento de gestão ambiental, enquanto a educação (inclusive profissional), representa outro instrumento estratégico para gestão ambiental. Portanto, concluímos que educação, políticas públicas e gestão ambiental estão intimamente conectados

Palavras-chave


Gestão Ambiental; Educação Ambiental; Políticas Públicas; Educação Profissional

Texto completo:

PDF

Referências


AZEVEDO, Janete Lins de. Notas sobre a análise da gestão da educação e da qualidade do ensino no contexto das políticas educativas. RBPAE, Porto Alegre, v.27, n.3, p. 361-588, set./dez. 2011.

BÁRCENA, Alicia. Cidadania Ambiental. In: GUTIÉRREZ, Francisco; PRADO, Cruz. Ecopedagogia e cidadania planetária. 4. ed. São Paulo: Cortez/ Instituto Paulo Freire, 2008. Apresentação, p.13-19. (Guia da Escola Cidadã; v. 3).

BRANCO, Sandra. Educação ambiental: metodologia e prática de ensino. Rio de Janeiro: Dunya, 2003. 100p.

BRASIL, Flávia de Paula Duque. A participação cidadã nas políticas sociais e na gestão de programas e projetos: potenciais e desafios. In: FAHEL, Murilo; NEVES, Jorge Alexandre B. (orgs.). Gestão e avaliação de políticas sociais no Brasil. Belo Horizonte: PUC/MINAS, 2007.

BRASIL. Congresso Nacional. Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação. Brasília, DF, 1981.

BRASIL. Congresso Nacional. Lei nº 7.797, de 10 de julho de 1989. Cria o Fundo Nacional de Meio Ambiente Brasília, DF, 1989.

BRASIL. Congresso Nacional. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. – 6. ed. – Brasília : Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2011.

BRASIL. Congresso Nacional. Lei no 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental Brasília, DF, 1999.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução nº 2 de 15 de junho de 2012. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. Brasília: CNE. Disponível em: http://conferenciainfanto.mec.gov.br/images/pdf/diretrizes.pdf Acesso em 23 jun 2014.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Secretaria Executiva. Diretoria de Educação Ambiental. Órgão Gestor da PNEA e seu Comitê Assessor: 2003/2006. Brasília: MMA, 2003. Disponível em: http://www.mma.gov.br/estruturas/educamb/_arquivos/cad_02.pdf Acesso em 23 jun 2014.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Diretoria de Educação Ambiental. Programa Nacional de Educação Ambiental. 3. ed. Brasília: MMA, 2005.

BRAVERMAN, Harry. Trabalho e força de trabalho. IN:__ Trabalho e capital monopolista: a degradação do trabalho no século XX. 3. ed. Trad. Nathanael C. Caixeiro. Rio de Janeiro: Zahar, 1977. (Cap. 1, p.49 a 134).

CUNHA, Elenice Machado da. Regra e realidade na constituição do SUS municipal: implementação da NOB 96 em Duque de Caxias. [Mestrado] Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública; 2001. 144 p.

GUTIÉRREZ, Francisco; PRADO, Cruz. Novas Práticas. In: __ Ecopedagogia e cidadania planetária. 4. ed. São Paulo: Cortez/ Instituto Paulo Freire, 2008. Cap. 3, p.47-55. (Guia da Escola Cidadã; v. 3).

IFRN. Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental na modalidade presencial. 2012. Disponível em: http://portal.ifrn.edu.br/campus/natalcentral/cursos/cursos-de-graduacao/gestao-ambiental.html Acesso em 09 jul 2014.

LANNA, Antônio Eduardo Leão. Gerenciamento de bacia hidrográfica: aspectos conceituais e metodológicos. Brasília: Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, 1995. 171 p.

LEFF, Enrique (coord.). A complexidade ambiental. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2010. Tradução de Eliete Wolff.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo. Educação ambiental e movimentos sociais na construção da cidadania ecológica e planetária. In:__ Educação Ambiental: repensando o espaço da cidadania. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2008. p. 69-98.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisas, elaboração, análise e interpretação de dados. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1996.

MATTAR, Fauze Najib. Pesquisa de marketing: edição compacta. São Paulo: Atlas, 1996.

PINTO, Anna Florência de Carvalho Martins. Metodologia do trabalho científico: planejamento, estrutura e apresentação de trabalhos acadêmicos segundo as normas da ABNT. Belo Horizonte: Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, 2010, 99 p.

SORRENTINO, Marcos. Desenvolvimento sustentável e participação: algumas reflexões em voz alta. In: LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo; LAYRARGUES, Philippe Pomier; CASTRO, Ronaldo Souza de (orgs.). Educação Ambiental: repensando o espaço da cidadania. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2008. p. 15 – 21.




DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2015.3186



 

HOLOS IN THE WORLD