CONCEPÇÕES DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO ADOTADAS PELO IFRN: ESPECIFICIDADES E (DES)CONTINUIDADES

Jose Moises Silva, Antonio Cabral Neto

Resumo


O artigo trata das concepções de formação profissional técnica de nível médio adotadas pelo IFRN. Discute essas concepções a partir dos quatro Projetos Político-Pedagógicos (PPPs) construídos no período de 1970 a 2010, abrangendo três institucionalidades: ETFRN (1970-1998), CEFET-RN (1999-2008) e IFRN (a partir de 2009). O objetivo é analisar como se configuram as concepções de formação profissional adotadas nos PPPs, com ênfase nas especificidades e (des)continuidades entre os referidos projetos. Como orientação teórico-metodológica adotou-se a dialética e como procedimento de pesquisa a revisão bibliográfica, a pesquisa documental e as entrevistas com sujeitos que participaram do grupo de trabalho que coordenou a elaboração dos PPPs. Os resultados evidenciam que entre os PPPs, dos períodos analisados, há mais continuidades do que rupturas em relação às concepções de formação profissional adotadas. Conclui-se que, embora a utopia do IFRN, no momento atual, seja consolidar, em suas ações educativas, a concepção de formação humana integral, na prática, essa é apenas uma possibilidade em construção.

Palavras-chave


Educação profissional, Formação profissional técnica de nível médio, Formação unilateral, Formação omnilateral.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei n. 5.692, de 11 de agosto de 1971. Brasília, DF, 1971. Disponível em: . Acesso em: 13 jun. 2009.

______. Decreto n. 2.208, de 17 de abril de 1997. Brasília, DF, 1997. Disponível em: . Acesso em: 20 set. 1997.

______. Decreto n. 5.154, de 23 de julho de 2004. Brasília, DF, 2004. Disponível em: . Acesso em: 22 dez. 2009.

______. Conselho Federal de Educação. Habilitações profissionais do ensino do 2º grau. Rio de Janeiro: Expressão e cultura; Brasília: INL, 1972.

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE. Proposta de reestruturação curricular do CEFET-RN. Natal, RN, 1999.

______. Projeto político-pedagógico do CEFET-RN: um documento em construção. Natal, RN, 2005.

CURY, Carlos Roberto Jamil et. al. A profissionalização do ensino na Lei n. 5.692/1971. Brasília: INEP, 1982.

ESCOLA TÉCNICA FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE. Organização Didática. Natal: ETFRN, 1985.

______. Proposta curricular da ETFRN. Natal: ETFRN, 1995.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Educação e Trabalho: bases para debater a educação profissional emancipadora. Revista Perspectiva, Florianópolis, v. 19, n. 1, p. 71-87, jan./jun., 2001.

______. Educação e a crise do capitalismo real. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2003.

GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a organização da cultura. 4. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1995.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Projeto Político-Pedagógico do IFRN: uma construção coletiva. Natal, RN, 2012.

KOSIK, Karel. Dialética do concreto. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

MACHADO, Lucília Regina de Souza. Ensino médio e técnico com currículos integrados: propostas de ação didática para uma relação não fantasiosa. In: MOLL, Jaqueline (Org.). Educação profissional e tecnológica no Brasil contemporâneo: desafios, tensões e possibilidades. Porto Alegre, RS: Artmed Editora, 2010a, p. 80-95.

______. Organização da educação profissional e tecnológica por eixos tecnológicos. Linhas Críticas, Brasília, DF, v. 16, n. 30, p. 89-108, jan./jun. 2010b.

RAMOS, Marise. Possibilidades e desafios na organização do currículo integrado. In FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise (Org.). Ensino Médio Integrado: concepção e contradições. São Paulo: Cortez, 2005, p.106-127.

TONET, Ivo. Educação e formação humana. Ideação, Foz do Iguaçu, v. 8 n. 9, p. 9-21 2. sem.2006.




DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2015.3315



 

HOLOS IN THE WORLD