INTERNAÇÃO DE IDOSOS POR CONDIÇÕES SENSÍVEIS À ATENÇÃO PRIMÁRIA NO ESTADO DE SANTA CATARINA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2022.7371

Palavras-chave:

Avaliação em saúde, Planejamento em saúde, Atenção Básica, Saúde pública.

Resumo

Objetivo: analisar a prevalência das Internações por Condições Sensíveis à Atenção Primária (ICSAP) e suas principais causas em idosos segundo as macrorregiões de saúde no Estado de Santa Catarina. Métodos: trata-se de um estudo ecológico descritivo dos dados do Sistema de Internações Hospitalares (SIH – DATASUS), com base, no período de 2008 a 2014. Resultados: Foram avaliadas 262.104 internações. As enfermidades mais frequentes foram a Insuficiência Cardíaca (23,76%), as Doenças Pulmonares (18,89%), Doenças Cerebrovasculares (14,84%), Angina (8,92%) e Diabetes Mellitus (6,75%). As regiões do estado que mais registraram internações foram a Sul (20,33%) e a Oeste (16,55%). Contudo, constatou-se que houve diminuição no número de internações em idosos no período estudado, sugerindo uma boa resolutividade da atenção primária à saúde no Estado. Conclusão: as ICSAP em idosos são relevantes (37,33%) quando comparado ao total de internações feitas pelo Sistema Único de Saúde, nessa população, no estado de Santa Catarina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Marcos Antônio Dynkoski, Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ)

Curso de Medicina na Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ). Chapecó-SC.

Guilherme Humberto Schmidt Probst, Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ)

Curso de Medicina na Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ). Chapecó-SC.

Lucimare Ferraz, Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ)

Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências da Saúde da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ). Chapecó-SC.

Fátima Ferretti, Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ)

Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências da Saúde da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ). Chapecó-SC.

Junir Antonio Lutinski, Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ)

Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências da Saúde da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ). Chapecó-SC.

Maria Assunta Busato, Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ)

Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências da Saúde da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ). Chapecó-SC. Rua Attílio Fontana 591E. Bairro EFAPI – 89809-000 Chapecó – SC.

Referências

Azevedo, L. G. (2012). Prevalência de diabetes mellitus e fatores associados em idosos de Florianópolis. 2012. 30 f. Monografia (Graduação em Medicina) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

Alfradique, M. E., Bonolo, P. F., Dourado, I., Costa, M. F. L., Macinko, J., Mendonça, C. S. Oliveira, V. B., Sampaio, L. F. R, Simoni, C. & Turci, M. A. (2009). Internações por condições sensíveis à atenção primária: a construção da lista brasileira como ferramenta para medir o desempenho do sistema de saúde (Projeto ICSAP – Brasil). Cad Saúde Pública 25(6): 1337-49.

Boing, A. F., Vicenzi, R. B., Magajewski, F., Boing, A. C., Moretti-Pires, R. O., Peres, K. G., Lindner, S. R. & Peres, M. A. (2012). Redução das internações por condições sensíveis à atenção primária no Brasil entre 1998-2009. Rev. Saúde Pública. 46(2): 359-366.

Brasil, Ministério da Saúde. Portaria do MS 221 de 17 de abril de 2008.

Camara, V. M. & Tambellini, A. T. (2003). Considerações sobre o uso da epidemiologia nos estudos em saúde ambiental. Rev Bras Epidemiol. 6(2): 95-04.

Campagna, A. S., Duarte, E. C., Daufenbach, L. Z. & Dourado, I. (2014). Tendência da mortalidade por causas relacionadas à influenza em idosos no Brasil e evidências de plausibilidade de impacto da vacinação, 1992-2005. Epidemiol Serv Saúde. 23(1): 21-30.

Cardoso, C. S., Pádua, C. M., Rodrigues-Júnior, A. A., Guimarães, D. A., Carvalho, S. F., Valentin, R. F., Abrantes, R. & Oliveira, C. D. L. (2013). Contribuição das internações por condições sensíveis à atenção primária no perfil das admissões pelo sistema público de saúde. Rev Panam Salud Pública. 34(4): 227-34.

Cavalcanti, P. B., Costa, P. A., Miranda, A. P. R. S. & Araújo, A. P. (2016). A contribuição das equipes multiprofissionais para a visibilidade da Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa para os idosos. RBCEH. 13(2): 143-56.

Donalisio, M. R., Francisco, P. M. S. B., Latorre & M. R. D. O. (2006). Tendência da mortalidade por doenças respiratórias em idosos antes e depois das campanhas de vacinação contra influenza no Estado de São Paulo - 1980 a 2004. Rev Bras Epidemiol. 9(1): 32-41.

Daufenbach, L. Z., Duarte, E. C., Carmo, E. H., Campagna, A. S. & Santos, C. A. S. T. (2014). Impacto da vacinação contra a influenza na morbidade hospitalar por causas relacionadas à influenza em idosos no Brasil. Epidemiol Serv Saúde. 23(1): 9-20.

Eyken, E. B. B. D. O. V. & Moraes, C. L. (2009). Prevalência de fatores de risco para doenças cardiovasculares entre homens de uma população urbana do sudeste do Brasil. Cad Saúde Pública. 25(1): 111-23.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa Anual de Serviços –PAS (2012). Disponível em: http://www.ibge.gov.br/estadosat/perfil.php?sigla=sc (Acesso em: 01 de dezembro de 2016).

Junqueira, R. M. P. & Duarte, E. C. (2012). Internações hospitalares por causas sensíveis à atenção primária no Distrito Federal, 2008. Rev Saúde Pública. 46(5): 761-68.

Kaiser, S. E. (2204). Aspectos epidemiológicos nas doenças coronarianas e cerebrovasculares, 2004. RSCESP. 17(1): 11-18.

Kock, K. S. & Oliveira, G. (2015). Variabilidade climática e internações hospitalares na população do sul de Santa Catarina. Rev Saúde Pública. 8(2): 86-98.

Lima-Costa, M. F. & Barreto, S. M. (2003). Tipos de estudos epidemiológicos: conceitos básicos e aplicações na área do envelhecimento. Epidemiol Serv Saúde. 12(4): 189-01.

Loyola Filho, A. I., Matos, D.L., Giatti, L., Afradique, M. E., Peixoto, S. V. & Lima-Costa, M. F. (2004) Causas de internações hospitalares entre idosos brasileiros no âmbito do Sistema Único de Saúde. Epidemiol. Serv. Saúde. 13(4), 229-238.

Marques, A. P., Montilla, D. E. R., Almeida, W. S. & Andrade, C. L. T. (2014). Internação de idosos por condições sensíveis à atenção primária à saúde. Rev Saúde Pública. 48(5): 817-26.

Motta, C. C. R., Hansel, C. G. & Silva, J. (2010). Perfil de internações de pessoas idosas em um hospital público. Rev Eletr Enf. 12(3): 471-77.

Moura, B. L. A., Cunha, R. C., Aquino, R., Medina, M. G., Mota, E. L. A., Macinko, J. & Dourado, I. (2010). Principais causas de internação por condições sensíveis à atenção primária no Brasil: uma análise por faixa etária e região. Rev Bras Saúde Mater Infant, 10 (1): 83-91.

Pagotto, V., Silveira, E. A. & Velasco, W. D. (2013). Perfil das hospitalizações e fatores associados em idosos usuários do SUS. Ciênc Saúde Coletiva. 18(10): 3061-70.

Ramos, L. R. (2003). Fatores determinantes do envelhecimento saudável em idosos residentes em centro urbano: Projeto Epidoso, São Paulo. Cad Saúde Pública. 19(3): 793-78.

Rehem, T. C. M. S. B., Oliveira, M. R. F., Amaral, T. C. L., Ciosak, S. I. &, Egry, E.Y. (2013). Internações por Condições Sensíveis à Atenção Primária em uma metrópole brasileira. Rev Esc Enferm USP. 47(4): 884-90.

Rodrigues-Bastos, R. M., Campos, E. M. S., Ribeiro, L. C., Firmino, R. U. R. & Bustamante-Teixeira, M. T. (2013). Internações por condições sensíveis à atenção primária em município do sudeste do Brasil. Rev Assoc Med Bras. 59(2): 120-27.

Saldanha, A. L. & Caldas, C. P. (2004). Saúde do Idoso: a arte de cuidar. Rio de Janeiro: Interciência.

Veras, R. (2009). Envelhecimento populacional contemporâneo: demandas, desafios e inovação. Rev Saúde Pública. 43(3): 548-554.

Downloads

Publicado

15/06/2022

Como Citar

Dynkoski, M. A., Probst, G. H. S. ., Ferraz, L., Ferretti, F., Lutinski, J. A., & Busato, M. A. (2022). INTERNAÇÃO DE IDOSOS POR CONDIÇÕES SENSÍVEIS À ATENÇÃO PRIMÁRIA NO ESTADO DE SANTA CATARINA. HOLOS, 1, 1–13. https://doi.org/10.15628/holos.2022.7371

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.