Ensino Médio na Rede Federal e nas Redes Estaduais: por que os estudantes alcançam resultados diferentes nas avaliações de larga escala?

Marise Nogueira Ramos

Resumo


O artigo analisa a política de avaliação em larga escala da educação básica no Brasil, problematizando a diferença de desempenho de estudantes das redes públicas e privadas, e no interior da primeira, com destaque para a rede federal de educação profissional e tecnológica.  O curso da análise segue três eixos. O primeiro situa as políticas de avaliação educacional em larga escala face às influências da globalização na educação em nosso país, reconhecendo que, mesmo não perdendo por completo sua autonomia, os estados nacionais de capitalismo dependente se alinham às tendências internacionais. O segundo eixo discute tais avaliações no Ensino Médio, apresentando dados sobre quem são os participantes do Enem, com o intuito de verificar possíveis determinações socioeconômicas dos respectivos desempenhos. Finalmente, demonstra alguns parâmetros de qualidade do ensino que podem explicar as diferenças de desempenhos, confrontando-os com metas e estratégias do Plano Nacional de Educação que visam a melhoria dessa qualidade. Verifica-se o quanto a política educacional está subordinada às avaliações de larga escala e conclui-se sobre a possível inviabilidade de mudanças significativas desse quadro face ao novo regime fiscal instituído pela Emenda Constitucional n. 95/2016.


Palavras-chave


Educação profissional; Ensino Médio; educação

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Relatório pedagógico: Enem 2011-2012. Brasília, DF : Inep, 2015.

BRASIL. MEC. PDE : Plano de Desenvolvimento da Educação : SAEB : ensino médio : matrizes de referência, tópicos e descritores. Brasília: MEC, SEB; Inep, 2008.

RAMOS, M. N. FRIGOTTO, G. (2016) Medida Provisória 746/2016: a contra-reforma do Ensino Médio no Golpe de Estado de 31 de agosto de 2016. Revista HISTEDBR On-line, v. 70, p. 30-48,

ROFRIGUES, R. (2017). "NO CAMINHO DO CURUPIRA: o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego – Pronatec – e as relações público-privadas". Porto Alegre, 2017. Tese de doutorado – Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2017.

WERLE, F. (2011). Políticas de avaliação em larga escala na educação básica: do controle de resultados à intervenção nos processos de operacionalização do ensino. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 19, n. 73, p. 769-792

WIEBUSCH, E. M. Avaliação em larga escala: uma possibilidade para a melhoria da aprendizagem. IX Anped Sul, 2012. Disponível em http://www.ucs.br/etc/conferencias/index.php/anpedsul/9anpedsul/paper/viewFile/1599/140. Consulta em 20/07/2017.




DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2018.6976



 

HOLOS IN THE WORLD