CONCENTRAÇÃO DE EXTRATO DE TIRIRICA E TEMPO DE IMERSÃO NO ENRAIZAMENTO DE ESTACAS DE FISÁLIS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2017.6264

Palavras-chave:

Cyperus rotundus, Physalis angulata L, promotor de enraizamento, produção de mudas

Resumo

Physalis angulata L. é uma planta anual com propriedades alimentícias e medicinais. Em métodos de propagação vegetativa, como a estaquia, é importante o uso de promotores de enraizamento. O objetivo foi avaliar a influência de concentrações e tempos de imersão em extrato vegetal de tiririca sobre a estaquia de fisalis. Foi utilizado o delineamento inteiramente casualizado em fatorial (5x2), com 5 repetições. Os tratamentos foram compostos pela combinação das concentrações de extrato de tiririca (0, 25, 50, 75 e 100%) e tempos de imersão (5 e 10 minutos). O experimento foi conduzido em casa de vegetação e aos 45 dias após o plantio foram avaliados os caracteres: percentual de sobrevivência (%S), número de brotos (NB), comprimento médio da maior brotação (CMMB), número de raízes (NR), massa seca de brotações (MSB), massa seca de caule (MSC), massa seca de raízes (MSR) e massa seca total (MST). Foi realizada análise de correlação linear de Pearson entre pares de caracteres em cada concentração de extrato de tiririca. A concentração com 100% de extrato de tubérculos de tiririca proporcionou melhor %S, NB, CMMB, NR, MSB, MSC, MSR e MST na estaquia de fisalis, sendo dez minutos o melhor tempo de imersão

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

Andrade, H. M.; Bittencourt, A. H. C.; Vestena, S. (2009) Potencial alelopático de Cyperus rotundus L. sobre espécies cultivadas. Ciência e Agrotecnologia, 33(spe), 1984-1990. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/cagro/v33nspe/49.pdf. doi: 10.1590/S1413-70542009000700049

Ayres M.; Ayres Junior, M.; Ayres D. L. & Santos, A. S. S. (2007) Bioestat 5.0: aplicações estatísticas nas áreas das ciências bio-médicas. Belém: Sociedade Civil Mamirauá.

Azevedo, C. P. M. F.; Ferreira, P. C.; Santos J. S.; Pasin, L. A. A. P. (2009). Enraizamento de estacas de cana-do-brejo. Bragantia, 68(4), 909-912. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/brag/v68n4/v68n4a10.pdf. doi: 10.1590/S0006-87052009000400010

Câmara, F. M. M.; Carvalho, A. S.; Mendonça, V.; Paulino, R. C.; Diógenes, F. E. P. (2016). Sobrevivência, enraizamento e biomassa de miniestacas de aceroleira utilizando extrato de tiririca. Comunicata Scientiae, 7(1), 133-138. Recuperado de https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=1&cad=rja&uact=8&ved=0ahUKEwin86qju83VAhUFx5AKHafrAjIQFggnMAA&url=https%3A%2F%2Fcomunicatascientiae.com.br%2Fcomunicata%2Farticle%2Fdownload%2F1372%2F388&usg=AFQjCNFQVUNHLUI9zoXuAtjtA31VIw5AHA. doi: 10.14295/cs.v7i1.1372

Cardoso, M. G; MuniZ, F. R.; Pinho, E. V. R. V.; Vilela, M. (2007). Qualidade fisiológica de sementes de milho, feijão, soja e alface na presença de extrato de tiririca. Revista brasileira de sementes, 29(2), 195-204. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/rbs/v29n2/v29n2a26.pdf. doi: 10.1590/S0101-31222007000200026

Carvalho, T. C.; D’Angelo, J. W. O.; Scariot, G. N.; Saes Júnior, L. A.; CuqueL, F. L. (2014). Germinação de sementes de Physalis angulata L.: estádio de maturação do cálice e forma de armazenamento. Pesquisa Agropecuária Tropical, 44(4), 357-362. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/pat/v44n4/v44n4a07.pdf. doi: 10.1590/S1983-40632014000400007

Chaves, A. C.; Schuch, M. W.; Erig, A. C. (2005). Estabelecimento e multiplicação in vitro de Physalis peruviana L. Ciência e Agrotecnologia, 29(6), 1281-1287. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/cagro/v29n6/v29n6a24.pdf. doi: 10.1590/S1413-70542005000600024

Ferreira D. F. (2011). Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia, 35(6), 1039-1042. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/cagro/v35n6/a01v35n6.pdf. doi: 10.1590/S1413-70542011000600001

Ferreira, D. F. (2009). Estatística básica (2a ed.) Lavras: UFLA.

Guimarães, E. T.; Lima, M. S.; Santos, L. A.; Ribeiro, I. M.; TomassinI, T. B. C.; Santos, R. R.; Santos, W. L. C.; Soares, M. B. P. (2010). Effects of seco-steroids purified from Physalis angulata L., Solanaceae, on the viability of Leishmania sp. Revista Brasileira de Farmacognosia, 20(6), 945–949. Recuperado de http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-695X2010000600020. doi: 10.1590/S0102-695X2010005000036

Hartmann, H. T.; Kester, D. E.; Davies Jr, F. T. & Geneve, R. L. (2002). Plant propagation: principles and practices (7a ed.) New Jersey: Prentice-Hall.

Lima, C. S. M.; Gonçalves, M. A.; Tomaz, Z. F. P.; Rufato, A. R.; Fachinello, J. C. (2010). Sistemas de tutoramento e épocas de transplante de physalis. Ciência Rural, 40(12),2472-2479. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/cr/v40n12/a821cr3328.pdf. doi: 10.1590/S0103-84782010001200006

Lorenzi, H. (2000). Plantas daninhas do Brasil: terrestres, aquáticas, parasitas e tóxicas (3a ed). Nova Odessa: Instituto Plantarum.

Moreno, N. H.; Álvares-Herreral, J. G.; Balaguera-Lopéz, E.; Fischer, G. (2009). Propagación asexual de uchuva (Physalis peruviana L.) em diferentes sustratos y a distintos niveles de auxina. Agronomía Colombiana, 27(3) 341-348. Recuperado de http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=180316242007.

Puente, L. A.; Pinto-Muñoz, S. A.; Castro, E. S.; Cortés, M. (2011). Physalis peruviana Linnaeus, the multiple properties of a highly functional fruit: a review. Food Research International, 44(7), 1733-1740. Recuperado de: http://www.pichuberry.com/pdf/PUENTE_2011.pdf. doi: doi.org/10.1016/j.foodres.2010.09.034

Silva, A. B.; Mello, M. R. F.; Sena, A. R.; Lima Filho, R. M.; Leite, T. C. C. (2016). Efeito do extrato de Cyperus rotundus L. no enraizamento de estacas de amoreira-preta. Revista CIENTEC, 9(1), 1-9. Recuperado de http://revistas.ifpe.edu.br/revistas/index.php/cientec/article/view/62/13.

Taiz, L. & Zeiger, E. (2013). Fisiologia vegetal. (5a ed). Porto Alegre: Artmed.

Villa, F.; França, D. L. B.; Rech, A. L.; Moura, C. A.; Fuchs, F. (2016). Germinação de sementes de maracujá-amarelo em extrato aquoso de tiririca e ácido giberélico. Revista de Ciências Agroveterinárias, 15(1), 3-7. Recuperado de http://www.revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/viewFile/223811711512016003/pdf_12. doi: 10.5965/223811711512016003

Downloads

Publicado

2017-11-14

Como Citar

KOEFENDER, J., Schoffel, A., Camera, J. N., Bortolotto, R. P., PEREIRA, A. P., GOLLE, D. P., & HORN, R. C. (2017). CONCENTRAÇÃO DE EXTRATO DE TIRIRICA E TEMPO DE IMERSÃO NO ENRAIZAMENTO DE ESTACAS DE FISÁLIS. HOLOS, 5, 17–26. https://doi.org/10.15628/holos.2017.6264

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)