GESTÃO DA INOVAÇÃO EM ORGANIZAÇÕES: UM ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA DE PEQUENO PORTE NO SEGMENTO METALÚRGICO NA CIDADE DE CURITIBA -PR

Autores

  • Josiane MELLO UFRN
  • Washington Luiz da Silva MARTINS IFRN
  • Caroline Rodrigues VAZ UFSC
  • Antonio Carlos de FRANCISCO UTFPR
  • Paulo Maurício SELIG UFSC

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2013.1350

Resumo

Este artigo apresenta um estudo realizado em uma empresa de pequeno porte no segmento metalúrgico em Curitiba – Paraná, com o objetivo de diagnosticar a gestão da inovação neste espaço, utilizando a ferramenta: Octógono da inovação, levando em consideração oito dimensões: liderança, funding, processo, estrutura, pessoas, cultura, estratégia e relacionamentos. A abordagem metodológica utilizada neste artigo caracteriza-se, quanto à natureza: como uma pesquisa aplicada; quanto à abordagem do problema: pesquisa quantiqualitativa; quanto aos objetivos: exploratória e descritiva e quanto aos procedimentos técnicos: pesquisa bibliográfica e estudo de caso. Como resultado deste estudo, constatou-se que embora a empresa reconheça a importância da inovação para a sua manutenção e expansão no mercado, no momento esta está focada em desenvolver sua infra-estrutura,investindo, assim 15 % de sua receita líquida na compra de máquinas, ferramentas e equipamentos mais sofisticados, na ampliação da área para fabricação e armazenagem de materiais e em campanhas publicitárias. A inovação vem em segundo plano, como se pode verificar, que a empresa em questão está buscando parcerias, novos sócios e apoio financeiro em órgãos governamentais, vislumbrando desenvolver projetos de inovação a curto, médio e longo prazo. Diante disso, sugere-se que a empresa estudada contrate um engenheiro de produção para desenvolver um programa de gestão da inovação, reestruturando os processos, reduzindo custos e melhorando a produtividade, fazendo com que esta se torne mais competitiva, aumentando as negociações e empregabilidade, obtendo melhores resultados e aumentando sua fatia no mercado metalúrgico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Josiane MELLO, UFRN

Mestre em Engenharia de Produção e especialista em Gestão Industrial pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Atualmente é Bibliotecária-Documentalista da Universidade Federal do Rio Grande do Norte ,

Washington Luiz da Silva MARTINS, IFRN

Doutor em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC, 2003-2009). Mestre em Metrologia Científica e Industrial pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC, 2001-2003). Bacharel em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN, 1989-1995). Técnico em Mecânica pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN, 1985-1990). Professor efetivo de ensino básico, técnico e tecnológico do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) (2012 até dias atuais). Trabalhou no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina (IF-SC): 1) Como Professor efetivo (2007-2012), e 2) Como Professor substituto (2001-2002 e 2005). Experiências na área industrial: 1) Em Empresa Multinacional Japonesa de Motocicletas (Moto Honda da Amazônia), atuou como Engenheiro de produtos (1995-2000) e Estagiário de nível superior (1994-1995), e 2) Em Empresa de Fiação (Borborema), atuou como Estagiário de nível médio (1990). Ainda, trabalhou como Recenseador do IBGE (1991)

Caroline Rodrigues VAZ, UFSC

Doutoranda em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina e bolsista pelo CNPq. Possui graduação em Tecnologia em Alimentos (2007), Especialização em Educação Científica e Tecnológica (2008), Especialização em Gestão Industrial: Produção e Manutenção (2009) e Mestre em Engenharia de Produção (2010) pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campus Ponta Grossa e participou como bolsista do Programa de Assistência ao Ensino (PAE) pela CAPES. A experiência na área de Tecnologia em Alimentos, com ênfase em Nutrição, e na área de Engenharia de Produção, com ênfase em Sistemas de Produção. Os termos mais frequentes em sua produção científica são: Gestão Ambiental Organizacional, Produção mais Limpa, Indicadores de Desempenho, ISO 14001, Análise do Ciclo de Vida e Sustentabilidade de processos produtivos. Além, de Capital Intelectual, Ativos Intangíveis e Logística Reversa

Antonio Carlos de FRANCISCO, UTFPR

Mestre em Tecnologia pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (1999) e doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2003). Atualmente é professor do ensino básico, técnico e tecnológico da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e professor dos Programas de Pós-Graduação em Engenharia de Produção (Mestrado e Doutorado) e de Ensino de Ciência e Tecnologia (Mestrado Profissional) da UTFPR, Campus Ponta Grossa. Atua na área de Engenharia de Produção, principalmente nos seguintes temas: sustentabilidade, gestão do conhecimento, gestão da inovação, ensino de engenharia, qualidade de vida e qualidade de vida no trabalho; na área do Ensino de Ciência e Tecnologia na produção de metodologias e equipamentos para a melhoria da qualidade de ensino.

Paulo Maurício SELIG, UFSC

Possui graduação em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1979), mestrado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (1982), doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (1993) e pós-doutorado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2007). Atualmente é professor da Universidade Federal de Santa Catarina, membro da Associação Brasileira de Engenharia e Análise do Valor e membro da Associação Brasileira de Engenharia de Produção. Tem experiência na área de Engenharia de Produção, com ênfase em Gestão do Conhecimento, atuando principalmente nos seguintes temas: indicadores de desempenho, balanced scorecard, custos, análise do valor, gerenciamento de processos e gestão ambiental. E coordenador do Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento

Referências

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BYRD, J. ; BROWN, P. L. The innovation equation: building creativity and risk talking in your organization. San Francisco: Jossey- Bass, 2003.

CORAL, Eliza; GEISLER, Lisiane. Motivação para a inovação. In: CORAL, Eliza; OGLIARI, Andre; ABREU, Aline França de. Gestão integrada da inovação: estratégia, organização e desenvolvimento de produtos. São Paulo: Atlas, 2008. p. 14 - 27.

____________. Organização para a inovação. In: CORAL, Eliza; OGLIARI, Andre; ABREU, Aline França de. Gestão integrada da inovação: estratégia, organização e desenvolvimento de produtos. São Paulo: Atlas, 2008. p. 45 – 82.

FINEP – FINANCIADORA DE ESTUDOS E PROJETOS. Manual de Oslo: proposta de diretrizes para coleta e interpretação de dados sobre inovação tecnológica. Brasília, 2006.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo : Atlas, 2009.

GONÇALVES, J. E. L.; GOMES, C. A. A tecnologia e a realização do trabalho. Revista de Administração de empresas, São Paulo, n. 1, v. 33, janeiro-fevereiro, 1993, p. 106-121.

HAINES, J. D. ; SHARIF, N. M. A framework for managing the sophistication of the components of technology for global competition. Competitiveness Review, v.16, n.2, p. 106-121, 2006.

LAKEMOND, N. et al. Interfaces between technology development, product development and production: critical factors and a conceptual model. International journal of Technology Intelligence and Planning, v.3, n.4, p. 317-330, 2007.

MAÑAS, A. V. Gestão de tecnologia e inovação, São Paulo: Érica, 2001, 176p.

MCFADZEAN, E. ; O`LOUGHLIN, A. ; SHAW, E. Corporate entrepreneurship and innovation part. 1: the missing link. European Journal of Innovation Management, v. 8, n.3, p.350-372, 2005.

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA. Livro branco: ciência, tecnologia e inovação. Brasília: resultado da Conferência Nacional de ciência, tecnologia e inovação, 2002.

MONTANHA JUNIOR et al. Importância, definições e modelos de inovação. In: CORAL, E. ; OGLIARI, A. ; ABREU, A. F. In: Gestão integrada da inovação: estratégia, organização e desenvolvimento de produtos. São Paulo: Atlas, 2008. p. 01 - 13.

OECD – ORGANIZATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT. Oslo manual : guidelines for collecting and interpreting innovation data. 2005. 3. Ed. European Commission: OECD. Disponível: . Acesso em: 15 out. 2011.

ROBERTS, E. B. Managing invention and innovation. Research Technology Management, v. 50, n.1, p. 35-54, 2007.

SCHERER, Felipe Ost; CARLOMAGNO, Maximiliano Selistre. Gestão da inovação na prática: como aplicar conceitos e ferramentas para alavancar a inovação. 1. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

TIDD, J. ; BESSANT, J.; PAVITT, K. Managing innovation – integrating technological, market and organization change. 3. Ed. John Wiley & Sons, 2005.

TIJSSEN, R. J. W. Science dependence of technologies: evidence from inventions and their inventors. Research Policy, v.3, n.4, p. 509-526, 2002.

VAN DE VEN et al. Research on the management of innovation: the Minnesota studies. New York: Ballinger/Harper & Row, 1989.

Downloads

Publicado

2013-08-02

Como Citar

MELLO, J., MARTINS, W. L. da S., VAZ, C. R., FRANCISCO, A. C. de, & SELIG, P. M. (2013). GESTÃO DA INOVAÇÃO EM ORGANIZAÇÕES: UM ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA DE PEQUENO PORTE NO SEGMENTO METALÚRGICO NA CIDADE DE CURITIBA -PR. HOLOS, 3, 38–50. https://doi.org/10.15628/holos.2013.1350

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)