BRIQUETAGEM DE FINOS DE CALCÁRIO

Autores

  • Mariana Rezende Barros Universidade Federal de Goiás
  • André Carlos Silva Universidade Federal de Goiás
  • Elenice Maria Schons Silva Universidade Federal de Goiás
  • Eduardo Nunes Magalhães IF Triângulo Mineiro
  • Douglas Yusuf Marinho Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2015.3714

Palavras-chave:

Briquetes, finos, calcário, aglomerante, agricultura

Resumo

Aplicação da tecnologia na agricultura dentro do sistema de produção é realidade principalmente com a abertura de mercados através da globalização. Em diversas áreas da indústria moderna, o calcário é utilizado como corretor da acidez do solo. A calagem é uma prática barata, porém ainda é negligenciada quanto ao seu uso, na adoção da técnica, à definição das doses e às formas de aplicação. A briquetagem consiste na aglomeração de partículas finas através de pressão, auxiliada ou não por aglomerantes, permitindo obtenção de produtos compactados, com forma, tamanho e parâmetros mecânicos adequados. A redução de volume do material, além dos benefícios tecnológicos, permite que materiais finos possam ser transportados e armazenados de forma mais econômica. A recente preocupação ambiental, resultando em leis mais rígidas, além da necessidade de aproveitar economicamente os resíduos e as partículas finas geradas no beneficiamento de minérios fez com que a briquetagem voltasse a ser uma importante alternativa para aglomerar valor econômico. O objetivo deste trabalho foi aglomerar finos de calcário através da briquetagem (92% abaixo de 500# ou 25 µm) gerados no processamento do mesmo, variando as dosagens de água (utilizada como agente aglomerante) de 0; 5; 7,5; 10; 12,5 e 15%. O calcário, originário de Lagamar (MG), foi classificado quimicamente como dolomítico tipo D. Os briquetes foram submetidos a testes de queda a 30, 60, 90, 120 e 150 cm de altura. Os melhores resultados encontrados para ensaios de queda foram obtidos com 7,5% de umidade, com médias de 21 quedas para 30 cm e 10 quedas para 60 cm de altura. Tais resultados apresentaram-se favoráveis quando comparados à literatura, a qual cita que para briquetes sem cura, considera-se 3 quedas a 0,3 m como valor razoável.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

André Carlos Silva, Universidade Federal de Goiás

Possui graduação em Engenharia de Minas (2000), mestrado em Engenharia Mineral (2003) e doutorado em Engenharia de Materiais (2010) pela Universidade Federal de Ouro Preto e Pós-doutorado (2012) em andamento no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Metalúrgica, Materiais e de Minas (PPGEM) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Atualmente é professor Adjunto II do Departamento de Engenharia de Minas da Universidade Federal de Goiás, Campus Catalão e Coordenador do Curso de Especialização em Tratamento de Minérios. Tem experiência na área de Engenharia de Minas, com ênfase em Tratamento de Minérios, atuando nas seguintes áreas: simulação computacional, automação industrial e equipamentos de tratamento de minérios. É editor associado da Revista Tecnologia em Metalurgia, Materiais e Mineração (ABM) e revisor das revistas: Espaço em Revista, Exacta, Revista Escola de Minas (REM) e Revista de Ciência e Tecnologia do Vale do Jequitinhonha.

Referências

CARVALHO, E. A.; BRINCK, V. Briquetagem. Centro de Tecnologia Mineral Ministério da Ciência e Tecnologia. Coordenação de Processos Minerais – COPM, Rio de Janeiro, 2010.

NAHASS, S.; SEVERINO, J. Calcário Agrícola no Brasil. CETEM/MCT. Rio de Janeiro, 2003.

PRADO, R. M. A calagem e as propriedades físicas de solos tropicais: revisão de literatura. Departamento de Solos e Adubos, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias da Universidade Estadual Paulista. Revista Biociências, Taubaté, v.9, n.3, p.7-16, jul.-set. 2003.

SAMPAIO, J. A.; ALMEIDA, S. L. M. Rochas e Minerais Industriais. In: LUZ, A. B.; LINS, F. A. F. 2° edição. Capítulo 15, Calcário e Dolomito Rio de Janeiro: CETEM/MCT, 2005.

VOLKWEISS, S. J.; TEDESCO, M. J.; GIANELLO, C.; BISSANI, C. A.; BOHNEN, H. Análise de solo, plantas e outros materiais. 2. ed. Porto Alegre: UFRGS, 1995. 174 p. (Boletim Técnico, 5).

Downloads

Publicado

24/12/2015

Como Citar

Barros, M. R., Silva, A. C., Silva, E. M. S., Magalhães, E. N., & Marinho, D. Y. (2015). BRIQUETAGEM DE FINOS DE CALCÁRIO. HOLOS, 7, 156–163. https://doi.org/10.15628/holos.2015.3714

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)