USO DO QUIABO (ABELMOSCHUS ESCULENTUS) COMO FLOCULANTE NA DESESTABILIZAÇÃO DE EMULSÕES ÓLEO/ÁGUA

Autores

  • André Carlos Silva Universidade Federal de Goiás
  • Elenice Maria Schons Silva
  • André S Ribeiro
  • Santiago H Cruz

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2014.1774

Resumo

O presente artigo visa apresentar os resultados da utilização do quiabo (Abelmoschus Esculentos) como floculante no processo de desestabilização de emulsões do tipo óleo em água, sendo estas emulsões produzidas industrialmente no setor mineiro-metalúrgico. Vários problemas ambientais podem ser gerados por emulsões óleo em água, uma vez que este tipo de emulsão reduz a oxigenação dos corpos d’água, acarretando, assim, um intenso desequilíbrio ambiental. Utilizando-se quiabos que seriam posteriormente descartados por não apresentarem mais utilidade à alimentação humana buscou-se, além do desenvolvimento da tecnologia com o uso deste reagente. A potencialidade do uso do quiabo como floculante foi confirmada através dos ensaios experimentais realizados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

André Carlos Silva, Universidade Federal de Goiás

Possui graduação em Engenharia de Minas (2000), mestrado em Engenharia Mineral (2003) e doutorado em Engenharia de Materiais (2010) pela Universidade Federal de Ouro Preto e Pós-doutorado (2012) em andamento no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Metalúrgica, Materiais e de Minas (PPGEM) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Atualmente é professor Adjunto II do Departamento de Engenharia de Minas da Universidade Federal de Goiás, Campus Catalão e Coordenador do Curso de Especialização em Tratamento de Minérios. Tem experiência na área de Engenharia de Minas, com ênfase em Tratamento de Minérios, atuando nas seguintes áreas: simulação computacional, automação industrial e equipamentos de tratamento de minérios. É editor associado da Revista Tecnologia em Metalurgia, Materiais e Mineração (ABM) e revisor das revistas: Espaço em Revista, Exacta, Revista Escola de Minas (REM) e Revista de Ciência e Tecnologia do Vale do Jequitinhonha.

Referências

AGARWAL, M., SRINIVASAN, R., MISHRA, A. Study on Flocculation Efficiency of Okra Gum in Sewage Waste Water. Macromol. Mater. Eng. 2001, 286, No. 9 560-563.

LIMA, G. J. A. Uso de polímero natural do quiabo como auxiliar de floculação e filtração em tratamento de água e esgoto. Dissertação de mestrado em engenharia ambiental, UERJ, Rio de Janeiro/RJ, 154 p, 2007.

MARTINEZ, M. Quiabo. Disponível em: http://www.infoescola.com/plantas/quiabo. Acesso em: 27 de jun. 2012.

SILVA, E. M. S., SILVA, A. C., ASSIS, G. B. R. Ensaio de desidratação do quiabo (Abelmoschus Esculentus) para uso como floculante. 63ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. Goiânia, v. 1, p. 1-4, 2011.

LUZ, A. B. DA; SAMPAIO, J. A.; ALMEIDA, S. L. M. DE. Tratamento de Minérios. 4a Ed. CETEM, Rio de Janeiro/RJ, 2004.

MANIASSO, N. Ambientes micelares em química analítica. Química Nova, v. 24, n. 1, p. 87-93, 2001.

MYERS, D. Surfaces, Interfaces and Colloids. 2nd ed. Hardcover, 1999.

PAVANELLI, G. Eficiência de diferentes tipos de coagulantes na coagulação, floculação e sedimentação de água com cor ou turbidez elevada. Dissertação de mestrado, USP, São Carlos, 233p, 2001.

RODRIGUES, R. T.; RUBIO, J. Inovação tecnológica no tratamento de águas oleosas de plataformas marítimas. XIX Prêmio Jovem Cientista, Água - Fonte de Vida, 2003.

SHAW, D. J. Introdução à química dos coloides e de superfícies. Ed. Edgard Blücher Ltda, São Paulo, 1975.

SILVA, E. M. S. Desestabilização de emulsões visando a redução do teor de óleo em água. Dissertação de mestrado em engenharia mineral, UFOP, Ouro Preto/MG, 168p, 2008.

Downloads

Publicado

03/07/2014

Como Citar

Silva, A. C., Silva, E. M. S., Ribeiro, A. S., & Cruz, S. H. (2014). USO DO QUIABO (ABELMOSCHUS ESCULENTUS) COMO FLOCULANTE NA DESESTABILIZAÇÃO DE EMULSÕES ÓLEO/ÁGUA. HOLOS, 3, 256–263. https://doi.org/10.15628/holos.2014.1774

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)