A EDUCAÇÃO ENQUANTO EXPERIÊNCIA COMUNITÁRIA E A ESCOLA VIVA OLHO DO TEMPO: O CIRCULAR DE SABERES COMO PRÁTICA ALTERNATIVA INOVADORA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2021.12015

Palavras-chave:

Educação Comunitária, Educação Popular, Escola Viva Olho do Tempo, Pandemia, Rodas de saberes

Resumo

Este estudo busca analisar as rodas de saberes da Escola Viva Olho do Tempo (EVOT) e perceber as suas contribuições para a educação a partir de práticas pautadas nas experiências comuns entre sujeitos. Partimos do referencial teórico sobre a educação popular e comunitária e, no aspecto metodológico, destacamos o caráter qualitativo desta pesquisa, com observação participante e utilização de diários de campo. A análise dos dados foi feita com base nas categorias Diálogo, Esperança, Emancipação e Saberes. Os resultados apontam para a efetividade dessa concepção educativa, e traz à tona a relevância das rodas de saberes para forjar sujeitos que pensam, sentem e agem de acordo com sua visão de mundo, conscientes de seu poder de transformação sobre si e sobre o mundo. Concluímos que as rodas de saberes da EVOT são espaços de efetivação da educação comunitária, concepção educativa que foge aos moldes eurocêntricos que excluem, segregam e determinam o lugar dos sujeitos na sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Aline Rodrigues de Almeida, Universidade Federal da Paraíba

Doutoranda e Mestra pelo Programa de Pós-graduação em Educação da UFPB. Professora efetiva da Educação Básica do municipio de Jacaraú/PB.  Graduada do curso de Pedagogia pela UFPB. Seus textos são publicados nos campos:  Educação Popular, Educação Enquanto Experiencia Comunitária e História da Educação.

Severino Bezerra da Silva, Universidade Federal da Paraíba

Professor Titular na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), no Centro de Educação - CE, vinculado ao Departamento de Metodologia da Educação - DME e ao Programa de Pós- Graduação em Educação - PPGE/UFPB, na Linha de Pesquisa Educação Popular. Possui Graduação em História pela Universidade Federal da Paraíba (1986), Mestrado em Sociologia Rural (Campina Grande) pela Universidade Federal da Paraíba (1994) e Doutorado em Ciências Sociais (Sociologia) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2003). Tem experiência de ensino, pesquisa e extensão nas áreas de História, Sociologia, Educação, com ênfase em História Local e Ensino de História e Educação e Movimentos Sociais no Campo, atuando principalmente nos seguintes temas: Ensino de História, História Local, Assentamentos Rurais, Educação Popular, Educação do Campo e Educação de Jovens e Adultos.

Gabriel Alves do Nascimento, Universidade Federal da Paraíba

Mestrando do Programa de Pós-graduação em Educação pela Universidade Federal da Paraíba/UFPB. Graduado em Pedagogia com area de apronfudamento em Educação do Campo pela UFPB. Seus textos são publicados nos campos do Ensino, Educação, História da Educação, Imprenssa, Gênero, Instituições Escolares e Paradigma Indiciário.

Charliton José dos Santos Machado, Universidade Federal da Paraíba

Professor Titular da Universidade Federal da Paraíba/UFPB. Lotado no Departamento de Metodologia da Educação - DME no Centro de Educação/CE. É Bolsista de Produtividade em Pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) PQ1-D.  Membro do Comitê de Assessoramento de Educação - CA-ED/CNPq.

Referências

ADAMS, T. (2016). Sulear. In: STRECK, D. R., REDIN, E., ZITKOSKI, J. J. Dicionário Paulo Freire. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora.

ALMEIDA, A. R de. (2020) A educação enquanto experiência comunitária e a escola viva olho do tempo: o partilhar de saberes em uma roda de sonhos possíveis. (2020). Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa.

BONDÍA, J. L. (2002). Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Rev. Bras. Educ, n. 19, p. 20-28.

BRANDÃO, C. R. (1982). Antônio Cícero de Souza. Lutar com a Palavra: escritos sobre o trabalho do educador. Rio de Janeiro: Edições Graal.

BRANDÃO, C. R. (2002). Educação como cultura. Campinas: Mercado de Letras.

BRANDÃO, C. R. (1988). O que é educação. Rio de Janeiro: Brasiliense.

BRANDÃO, C. R., STRECK, D. R. (Orgs.). (2006). Pesquisa participante: a partilha do saber. Aparecida, SP: Ideias & Letras.

CARNEIRO, M. A. (1987). Educação Comunitária: Faces e formas. 2. ed. Petrópolis: Vozes.

CARNEIRO, M. A. (1988). Temas de Educação Comunitária. Petrópolis: Vozes.

CARRILLO, A. T. (2013). A Educação Popular como prática política e pedagógica emancipatória. In: STRECK, D. R., ESTEBAN, M. T. (Orgs.). Educação Popular: lugar de construção social coletiva. Petrópolis: Vozes.

FISCHER, N. B., LOUSADA, V. L. (2016). Saber. In: STRECK, D. R., REDIN, E., ZITKOSKI, J. J. Dicionário Paulo Freire. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, p. 367-368.

FREIRE, P. (1989). A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. São Paulo: Autores Associados: Cortez.

FREIRE, P. (1981). Ação Cultural para a Liberdade – e outros escritos. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

FREIRE, P. (2010) Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários à prática educativa. 42ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

FREIRE, P. (2015) Pedagogia da Esperança: Um reencontro com a Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

FREIRE, P. (2000) Pedagogia da indignação: Cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: Editora UNESP.

FREIRE, P. (2005) Pedagogia do Oprimido. 42. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

FREIRE, P., GUIMARÃES, S. (2011). A África ensinando a gente: Angola, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe. 2. ed. – São Paulo: Paz e Terra.

MEJÍA, M. R. (2018). Educação e pedagogias críticas a partir do sul: Cartografias da Educação Popular. São Carlos: Pedro & João Editores.

MORETTI, C. Z., ADAMS, T. (2011). Pesquisa participativa e Educação Popular: epistemologias do sul. Educação e Realidade. Porto Alegre, v. 36, n. 2, p. 447-463, maio/ago. 2011. Disponível em: <http://www.ufrgs.br/edu_realidade>. Acesso em 16 de Abril de 2020.

PACHECO, L. (2006). Pedagogia Griô: A reinvenção da roda da vida. 2. ed. Lençóis/BA: Grãos de Luz e Griô.

PALUDO, C. (2016). Educação Popular. In: STRECK, D. R., REDIN, E., ZITKOSKI, J. J. Dicionário Paulo Freire. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora.

PARAÍBA. (2018). Olho do Tempo: Ecoeducação, Cultura e Memórias do Vale do Gramame. FIC: João Pessoa.

STRECK, D. R. (2010). Fontes da Pedagogia Latino-americana: uma antologia. Belo Horizonte: Autêntica.

STRECK, D. R., ESTEBAN, M. T. (Orgs.). (2013). Educação Popular: Lugar de construção social coletiva. Petrópolis, RJ: Vozes.

STRECK, D. R. (2010). Fontes da Pedagogia Latino-americana: uma antologia. Belo Horizonte: Autêntica.

STRECK, D. R., REDIN, E., ZITKOSKI, J. J. (2016). Dicionário Paulo Freire. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora.

Downloads

Publicado

18/06/2021

Como Citar

Almeida, A. R. de, Silva, S. B. da, Nascimento, G. A. do, & Machado, C. J. dos S. (2021). A EDUCAÇÃO ENQUANTO EXPERIÊNCIA COMUNITÁRIA E A ESCOLA VIVA OLHO DO TEMPO: O CIRCULAR DE SABERES COMO PRÁTICA ALTERNATIVA INOVADORA. HOLOS, 2, 1–17. https://doi.org/10.15628/holos.2021.12015

Edição

Seção

Dossiê - Políticas educacionais: experiências significativas no Brasil e na Espanha

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)