O ENSINO TÉCNICO FEDERAL BRASILEIRO NO LIMIAR DA NOVA REPÚBLICA: CAMINHOS DO PROTEC

Karla Silva Queiroz, Francisco das Chagas Silva Souza

Resumo


Em meio ao processo de institucionalização da Nova República, o Ensino Técnico Federal Brasileiro recebeu atenção especial no I Plano Nacional de Desenvolvimento para os anos de 1986-1989, e posteriormente com a criação do Programa de Expansão e Melhoria do Ensino Técnico (PROTEC), lançado em 1986, durante o governo José Sarney. Este programa apresentava como meta a implantação de duzentas escolas técnicas e agrotécnicas no Brasil, objetivando a interiorização do ensino técnico em íntima relação com o processo de industrialização e desenvolvimento regional e nacional, bem como o aprimoramento tecnológico. O artigo aqui apresentado contempla parte de uma pesquisa de mestrado, ligada ao Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte, e objetiva promover uma análise acerca do PROTEC, o qual deu origem à primeira expansão Educação Profissional Federal no Rio Grande do Norte. O estudo configura-se como uma pesquisa de base documental e bibliográfica, em que lançaremos mão de documentos oficiais referentes ao PROTEC, produzidos pelo governo federal à época, como também utilizaremos a literatura disponível, ancorada especialmente em Frigotto, Franco e Magalhães (2006) e Cunha (2005). A partir dessa análise identificamos que o PROTEC configura-se como uma peça fundamental para o sucesso do projeto de desenvolvimento econômico do país, haja vista a intensão de expandir essa modalidade de ensino, corriqueiramente voltada para atender às necessidades do mercado de trabalho. A análise também evidenciou no PROTEC uma perspectiva tecnicista e produtivista de educação, além da marca clientelista e influências da Teoria do Capital Humano.


Palavras-chave


Ensino Técnico; Desenvolvimento Econômico; PROTEC; Teoria do Capital Humano

Texto completo:

PDF

Referências


BRUM, A. J. (2005). Desenvolvimento econômico brasileiro (24a ed.) Petrópolis: Vozes.

CUNHA, L. A. (2005) O ensino profissional na irradiação do industrialismo. São Paulo: UNESP.

Decreto nº. 95.682, de 28 de janeiro de 1988. Dispõe sobre medidas de contenção de despesas nos órgãos e entidades da Administração Federal, e dá outras providências. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/Antigos/D95682.htm.

Decreto nº. 95.683, de 28 de janeiro de 1988. Estabelece normas complementares ao Regulamento da Lei n° 7.596, de 10 de abril de 1987, e dá outras providências. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/antigos/D95683.htm.

Exposição de Motivos nº 56, de 24 de fevereiro de 1986. Implementação de um Programa de expansão e melhoria do ensino de 2º grau, nos termos da presente Exposição de Motivos. Recuperado em http://www.jusbrasil.com.br/diarios/3218019/dou-secao-1-26-02-1986-pg-4/pdfView.

Exposição de Motivos nº 135, de 4 de julho de 1986. Elenco de medidas no âmbito do Programa de Expansão e Melhoria do Ensino Técnico, a serem desenvolvidas em conjunto com o Ministério Extraordinário para Assuntos de Administração, com vistas à consecução dos recursos humanos necessários ao funcionamento das escolas, nos termos da presente Exposição de Motivos. DOU de 07/07/1986, seção II, p. 3458. Recuperado em http://www.jusbrasil.com.br/diarios/3529371/dou-secao-2-07-07-1986-pg-2/pdfView.

FRIGOTTO, G., FRANCO, M. A. C., MAGALHÃES, A. L. (2006). Programa de Melhoria e Expansão do Ensino Técnico: expressão de um conflito de concepções de educação tecnológica. In F., G., Franco, M. C. (Org.), A formação do cidadão produtivo: a cultura de mercado no ensino médio técnico (pp. 139-149). Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira.

FRIGOTTO, G. (1984) A produtividade da escola improdutiva (2a ed.). São Paulo: Cortez.

Lançamento do Programa de Expansão e Melhoria do Ensino Técnico. (1986). A palavra do Presidente: discursos e mensagens. Brasília: Presidência da República, Recuperado em: http://www.biblioteca.presidencia.gov.br/ex-presidentes/josesarney/discursos/1986/79.pdf/at_download/file.

Lei nº. 7.486, de 6 de junho de 1986. Aprova as diretrizes do Primeiro Plano Nacional de Desenvolvimento (PND) da Nova República, para o período de 1886 a 1989. Recuperado em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/1980-1988/L7486.htm.

Ministério da Educação. (1990). Realizações do Ministério da Educação período: 85/90 - Governo José Sarney. Brasília: MEC. Recuperado em http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me002550.pdf.

Portaria nº 67, de 6 de fevereiro de 1987. Cria Unidades de Ensino Descentralizadas. Recuperado de http://www.jusbrasil.com.br/diarios/3196334/dou-secao-1-10-02-1987-pg-18/pdfView>DOU de 10/02/1987, Seção I, p. 2062.

SCHULTZ, T. (1973) O capital humano: investimento em educação e pesquisa. Trad. de Marco Aurélio de M. Matos. Rio de Janeiro: Zahar.




DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2017.5771



 

HOLOS IN THE WORLD