O QUE SE ESPERA DO PROFESSOR DE SOCIOLOGIA – QUESTÕES SOBRE A FORMAÇÃO E DESAFIOS DA PRÁTICA DOCENTE

Patrícia Diógenes de Melo Brunet, Nádia Farias dos Santos, Raimundo Fábio da Silva, Ivanaldo Oliveira dos Santos Filho

Resumo


Vencidos os desafios para que a Sociologia se tornasse obrigatória nos três anos do ensino médio, o ensino dessa disciplina suscita várias reflexões. O presente estudo trata-se de uma revisão de literatura, a partir das leituras realizadas no contexto do Curso de Mestrado em Ensino, do Programa de Pós-Graduação em Ensino da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – Campus Pau dos Ferros – PPGE/UERN. O objetivo do artigo é abordar os principais pontos da formação e da prática docente do professor de Sociologia. Tendo em vista toda a trajetória da disciplina para se firmar como obrigatória nos três anos do ensino médio. Esse trabalho está organizado em três partes, sendo embasado bibliograficamente em MORAES (2007), MEIRELLES (2002), SILVA; SANTOS; SILVA (2009), TARDIF (2010), IANNI (2011) dentre outros.   Inicialmente, abordam-se os principais pontos de contradição entre a formação e a prática docente do professor de Sociologia, pois a discrepância na formação desses profissionais já podia ser observada desde a década de 30 a partir da criação das primeiras universidades e cursos de ciências sociais no Brasil. Em seguida, Além das questões que norteiam a formação dos professores de Sociologia que lecionarão no ensino médio apresentam-se, também, alguns desafios a serem vencidos por esses profissionais no espaço da sala de aula.  Desta feita, com o ensino da referida disciplina busca-se a formação do indivíduo questionador que não se acomoda diante dos fatos, criticando o senso comum.


Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer nº 492, de 03 de abril de 2001. Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de ciências Sociais – Antropologia, Ciência Política e Sociologia. Brasília, DF: 2001. Ministério da Educação. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2016.

_______. Secretaria de Educação Básica. Coleção explorando o ensino: Sociologia. v. 15. Brasília, DF: 2010. Ministério da Educação. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2016.

IANNI, Octávio. O ensino das ciências sociais no 1º e 2º graus. Cadernos Cedes, Campinas, v. 31, n. 85, p.327-339, set./dez 2011. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2016.

MEIRELLES, Mauro et al. Pensando o fazer docente do professor de Sociologia: elementos para a construção de um referencial crítico de análise. 2002. Laboratório Virtual e Interativo de Ensino de Ciências Sociais. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2016.

MORAES, Amaury Cesar. Licenciatura em ciências sociais e ensino de Sociologia: entre o balanço e o relato. Tempo Social. Revista de Sociologia da USP, São Paulo, v. 15, n. 1, p. 05- 20, 2003. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2016.

OLIVEIRA, Amurabi. Sentidos e dilemas do ensino de Sociologia. Revista Inter-legere, Natal, n. 9, p.25-39, jul./dez. 2011. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2016.

SILVA, Tânia Elias Magno da; SANTOS, Manoel Messias Rodrigues; SILVA, Adriana Elias Magno da. Sociólogo/professor: novos desafios para a formação profissional. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOCIOLOGIA, 14, 2009, Rio de Janeiro. Anais. Porto Alegre: SBS, 2009. Disponível em:. Acesso em: 25 mar. 2016.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 11. ed. Petrópolis: Vozes, 2010.




DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2017.5721



 

HOLOS IN THE WORLD