SÍNTESE, IDENTIFICAÇÃO E QUANTIFICAÇÃO DE PARABENOS EM EDULCORANTES: UMA ABORDAGEM CONTEXTUALIZADA PARA O ENSINO DE QUÍMICA

Autores

  • Taís Arthur Corrêa Universidade do Estado de Minas Gerais, Programa de Pós-graduação em Ciências Ambientais, Frutal, MG
  • Raiane Maria Araujo Rodrigues Universidade do Estado de Minas Gerais, unidade Frutal
  • Lidervan de Paula Melo Universidade do Estado de Minas Gerais, unidade Ubá
  • Gustavo Henrique Gravatim Costa Universidade do Estado de Minas Gerais, Programa de Pós-graduação em Ciências Ambientais, Frutal, MG

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2020.9945

Palavras-chave:

Atividades Experimentais, Tecnologia em Alimentos, Parabenos, Conservantes Artificiais

Resumo

Tendo em vista a interdisciplinaridade do Curso Superior de Tecnologia em Alimentos, dar significado aos diferentes conteúdos que compõem o currículo é de extrema relevância para profissionais críticos que atuarão ativamente na sociedade. Neste sentido, aulas laboratoriais contextualizadas podem contribuir para a efetivação da aprendizagem, desenvolvendo no discente o espírito investigativo além de aproximar o conteúdo à vivência do aluno. Assim, propõe-se nesse trabalho um conjunto de aulas experimentais para as disciplinas de Química, contextualizada com a temática conservação de alimentos, que demonstre as etapas do desenvolvimento de um conservante sintético (metilparabeno), sua identificação e quantificação em edulcorantes artificiais, além de avaliar a estratégia junto aos estudantes.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Taís Arthur Corrêa, Universidade do Estado de Minas Gerais, Programa de Pós-graduação em Ciências Ambientais, Frutal, MG

Departamento de Ciências Exatas e da Terra, área: Química

Raiane Maria Araujo Rodrigues, Universidade do Estado de Minas Gerais, unidade Frutal

Tecnologia em Alimentos

Lidervan de Paula Melo, Universidade do Estado de Minas Gerais, unidade Ubá

Departamento de Ciências Exatas e da Terra, área: Química

Gustavo Henrique Gravatim Costa, Universidade do Estado de Minas Gerais, Programa de Pós-graduação em Ciências Ambientais, Frutal, MG

Departamento de Ciências Exatas e da Terra, área: Ciências Agrárias

Referências

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. (2007). Resolução RDC nº 5 de 15 de janeiro de 2007. Brasília: ANVISA. Recuperado em 16 de abril de 2020 de http://portal.anvisa.gov.br/documents/10181/2718376/RDC_05_2007_COMP.pdf/39e3737d-a1f5-49e6-84a1-c60f8475c1f7?version=1.0.

Bila, D. M.; Dezotti, M (2007). Desreguladores endócrinos no meio ambiente: efeitos e consequências. Química Nova, Rio de Janeiro, 30 (3), 661-666.

Fernandes, J. O. S.; Savino, G.; Amarante, A. C. G.; Souza, M, R.; Silva, G, R.; Cianciulli, M. E.; Corrêa, M. F. & Ferrarini, M (2013). Estudo das relações entre estrutura e atividade de parabenos: uma aula prática. Quimica Nova, 36 (6), 890-893.

Freire, P (1996). Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra.

Hoppe, A. C. & Pais, M. C. N. (2017). Avaliação da toxicidade de Parabenos em cosméticos. Revinter, 10 (3), 49-70.

Lazzari, D. D.; Martini, J. G.; Busana, J. A. (2015). Teaching in higher education in nursing: an integrative literature review. Revista Gaúcha de Enfermagem, 36 (3), 93-101.

LEÃO, M. F. (2014). Ensinar Química por meio de alimentos: possibilidades de promover alfabetização científica na educação de jovens e adultos. Dissertação (Mestrado em Ensino), Centro Universitário UNIVATES, Lajeado, Rio Grande do Sul, Brasil.

Luca, A. G.; Santos, S. A.; Del Pino, J. C. & Pizatto, M. C. (2018). Experimentação contextualizada e interdisciplinar: uma proposta para o ensino de ciências. Revista Insignare Scientia, 1 (2), 1-21.

Oliveira, J. R. S. (2010). A perspectiva sócio histórica de Vygotsky e suas relações com a prática da experimentação no ensino de Química. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, 3 (3), 25-45.

Oliveira, J. R. S. (2010). Contribuições e abordagens das atividades experimentais no ensino de ciências: reunindo elementos para a prática docente. Acta Scientiae, 12 (1), 139- 156.

Oliveira, M.A. & Lima, E.M. (2008). Desenvolvimento e validação de metodologia por CLAE para determinação de metilparabeno e propilparabeno em cápsulas gelatinosas duras e transparentes. In: 48° Encontro Brasileiro de Química, 2008. Recuperado em 16 de abril de 2020 de http://www.abq.org.br/cbq/2008/trabalhos/4/4-314-4797.htm.

Petruci, J. F. S.; Cardoso, A. A. & Pereira, E. A. (2011). Desenvolvimento e validação de método analítico para determinação de benzoato, sorbato, metil e propilparabenos em produtos alimentícios utilizando a eletroforese capilar. Química Nova, 34 (7), 1177-1181.

Santos, D. M. & Nagashima, L. A. (2017). Potencialidades das atividades experimentais no ensino de Química. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, 8 (3), 94-108.

Sato, M. S. (2011). Aula de laboratório no ensino superior de Química. Dissertação (Mestrado em Ciências), Universidade de São Paulo, São Carlos, São Paulo, Brasil.

Wang, L.; Zhang , X.; Wang, Y. & Wang, W. (2006). Simultaneous determination of preservatives in soft drinks, yogurts and sauces by a novel solid-phase extraction element and thermal desorption-gas chromatography. Analytica Chimica Acta, 577(1), 62-67.

Witorsch, R. J. & Thomas J. A. (2010). Personal care products and endocrine disruption: A critical review of the literature. Critical Reviews in Toxicology, 40, 1-30.

Downloads

Publicado

19/08/2020

Como Citar

Corrêa, T. A., Rodrigues, R. M. A., Melo, L. de P., & Costa, G. H. G. (2020). SÍNTESE, IDENTIFICAÇÃO E QUANTIFICAÇÃO DE PARABENOS EM EDULCORANTES: UMA ABORDAGEM CONTEXTUALIZADA PARA O ENSINO DE QUÍMICA. HOLOS, 5, 1–12. https://doi.org/10.15628/holos.2020.9945

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)