A PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO EM EDUCAÇÃO NUM CONTEXTO DE ESTADO DE EXCEÇÃO E INTERDIÇÃO DOS DIREITOS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2018.6977

Palavras-chave:

Educação, golpe de estado, Brasil, 2016

Resumo

 

 

Este texto discute os seguintes pontos: Quais as circunstâncias em que nos encontramos e somos instados a modificá-las para que se desenhe um futuro previsível? O que está subjacente e quais os elementos novos do golpe de Estado de agosto de 2016? Ou de onde viemos, o que nos trouxe até aqui e como interpretar o presente? Finalmente, quais os desafios e tarefas que nos são demandados para alterar as circunstâncias no plano do conhecimento e da restauração do estado de direito e a frágil ordem democrática?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Gaudêncio Frigotto, UERJ

Doutor em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Professor titular (aposentado) da Universidade Federal Fluminense. Atualmente, professor associado no Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas e Formação Humana da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Referências

AGAMBEN, Giorgio (2015). Maios sem fim. Notas sobre a política. Belo Horizonte; São Paulo: Autêntica.

ANDERSON, Perry (1995). Balanço do neoliberalismo. In: EMIR, Sader; GENTILI, Pablo Gentil (Orgs.). Pós-neoliberalismo: as políticas sociais e o estado democrático. 4. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

BOSI, Alfredo (2010). Dialética da colonização. 4. ed. São Paulo: Companhia das Letras.

CÂNDIDO, Antônio. O caráter da repressão. Jornal Opinião, 1972. Disponível em: outraspalavras.net/Brasil. Acesso em 29 jan. 2017.

FERNANDES, Florestan (1973). Capitalismo dependente e classes sociais na América Latina. Rio de Janeiro: Zahar.

_______________. A revolução burguesa no Brasil: ensaio de interpretação sociológica. Rio de Janeiro: Zahar, 1974.

FRIGOTTO, Gaudêncio (2017). Escola “sem” partido: esfinge que ameaça a educação e a sociedade brasileira. Rio de Janeiro: Edições LPP/ Uerj.

HAYEK, Friedrich (1985). Direito, legislação e liberdade: uma nova formulação dos princípios liberais de justiça e economia política. São Paulo: Visão.

_______________. O caminho da servidão. Rio de Janeiro: Instituto Liberal, 1987.

_______________. Liberdade de escolher. Rio de Janeiro: Record, 1980.

HARVEY, David (2016). 17 contradições e o fim do capitalismo. São Paulo: Boitempo.

MARX, Karl (2003). Crítica da crítica absoluta ou a crítica, conforme o Senhor Bruno. In: MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A sagrada família. São Paulo: Boitempo.

MÉSZÁROS, Istvan (2002). Para além do capital: uma teoria da transição. São Paulo: Boitempo.

MOTTA, Vânia Cardoso; FRIGOTTO, Gaudêncio (2017). Por que a urgência da reforma do Ensino Médio. Revista Educação e Sociedade. Campinas – SP, n. 38. p. 355-72.

RAMOS, Marise Nogueira; FRIGOTTO, Gaudêncio (2017). Medida Provisória no 746/2017: a contrarreforma do ensino médio do golpe de estado de 31 de agosto de 2016. Revista Brasileira de História da Educação (RBHE).

VERISSIMO, Luiz Fernando (2014). O alarme. Jornal O Globo, 21 de fevereiro de 2014. Disponível em: http://jornalggn.com.br/noticia/luis-fernando-verissimo-o-alarme. Retirado em 25 jul. 2017.

________________. Ódio. Jornal O Globo. Caderno Opinião. Rio de Janeiro, 25 de junho de 2015. Disponível em: http://oglobo.globo.com/opiniao/odio-16546533#ixzz3eAZnOCwa/. Acesso em 20 abr. 2017.

Downloads

Publicado

2018-11-14

Como Citar

Frigotto, G. (2018). A PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO EM EDUCAÇÃO NUM CONTEXTO DE ESTADO DE EXCEÇÃO E INTERDIÇÃO DOS DIREITOS. HOLOS, 5, 245–258. https://doi.org/10.15628/holos.2018.6977

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)