UMA DÉCADA DO PROEJA: SUA GÊNESE, BALANÇO E PERSPECTIVAS

Autores

  • Edna Castro Oliveira Universidade Federal do Espírito Santo
  • Edna Graça Scopel Universidade Federal do Espírito Santo

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2016.4998

Palavras-chave:

Proeja, Política pública, Educação de jovens e adultos, Institutos Federais, Formação dos trabalhadores.

Resumo

O texto explora,a partir do contexto mais amplo das lutassociais, o percurso do Proeja ao longo da última década, buscando explicitar seus imbricamentos com o Decretonº 5.154 de2004, no processo de redemocratização do país.  Para tal, analisa sua vinculação à reforma de Estado da década de 1990, aos compromissos assumidos pelo Brasil juntos aos organismos internacionais, desde a Conferência de Jomtien, sob os marcos da universalização da educação básica, o que tem orientado aênfase nas políticas focais e compensatórias voltadas para públicos considerados vulneráveis, o que produz e sustenta a manutenção da desigualdade educacional. Coloca em análise a construção do Proeja como política públicaperene, marcada por embates e contradições, bem como poralguns avanços pela mediação das pesquisas. Como resultados aponta para os desafios que sua oferta continua representando para a gestão dos Institutos Federais(IFs)e as perspectivas que se vislumbram a partir de experiências nasua continuidade, o que retoma a reflexão sobre o significado da inserção da modalidade EJA nos IFsconformelegislação vigente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Edna Castro Oliveira, Universidade Federal do Espírito Santo

Professora

Edna Graça Scopel, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutoranda

Referências

ALVES, M.F. et al. Os desafios atuais para a consolidação do Proeja no Instituto Federal de Goiás. In: Oliveira, E. C et al (org). Educação de Jovens e Adultos: Trabalho e Formação Humana. São Carlos: Pedro & João Editores, 2014a.

ALVES, T. et al. Jovens e adultos não escolarizados – uma multidão de invisíveis. In: Oliveira, E. Cet al (org). Educação de Jovens e Adultos: Trabalho e Formação Humana. São Carlos: Pedro & João Editores, 2014b.

ALMEIDA, L. C. Políticas sociais: focalizadas ou universalistas. É esta a questão? In: Revista Espaço Acadêmico, nº 123, Ano XI, agosto de 2011.

BALL, S.J.; BOWE, R. Subjectdepartmentsandthe “implementation” ofNational Curriculum policy: an overview oftheissues. In: Journalof Curriculum Studies, London, v. 24, n. 2, p. 97-115, 1992.

BRASIL. Constituição Federal da República Federativa do Brasil. Brasília: Congresso Nacional, 1988.Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 05 out. 1888. Disponível em:http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm. Acesso em: 05 mai. 2015.

BRASIL. Lei de Diretrizes de Base nº 9394. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional.Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília: Congresso Nacional, 1996. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/leis/L9394.htm>. Acesso em 05 mai. 2015.

BRASIL. Decreto nº 2.208,de 17 de abril de 1997. Regulamenta o § 2 º do art. 36 e os arts. 39 a 42 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 18 abr. 1997a.Disponível em: http://Portal.mec.gov.br/se¬tec/arquivos/pdf/dec5840_13jul06.pdf. Acesso em: 05 mai. 2015.

BRASIL. Portaria MEC nº 646/97, de14 de maio de 1997. Regulamenta a implantação do disposto nos artigos 39 a 42 da Lei Federal nº 9.394/96 e no Decreto Federal nº 2.208/97 e dá outras providências (trata da rede federal de educação tecnológica).Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 1997b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/PMEC646_97.pdf Acesso em: 27 mai. 2012.

BRASIL. Decreto nº 5.154, de 23 de julho de 2004. Regulamenta o § 2º do art. 36 e os arts. 39 a 41 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 27 jul. 2004. Disponível em: http://Portal.mec.gov.br/se-tec/arquivos/pdf/dec5840_13jul06.pdf. Acesso em: 05 mai. 2015.

BRASIL. Decreto nº 5.478, de 24 de junho de 2005. Institui, no âmbito das instituições federais de educação tecnológica, o Programa de Integração da Educação Profissional ao Ensino Médio na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos - Proeja. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 27 jun. 2005. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/dec5840_13jul06.pdf. Acesso em: 05 jun. 2011.

BRASIL. Decreto nº 5.840, de 13 de julho de 2006. Institui, no âmbito federal, o Programa Nacional de Integração Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos – Proeja, e dá outras providências.Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 14 jul. 2006a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/se-tec/arquivos/pdf/dec5840_13jul06.pdf. Acesso em: 05 mai. 2015.

BRASIL. Edital Proeja/Capes/Setec, nº 03/2006. Brasília: MEC/Setec, 2006b. Disponível em http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf1/edital_proeja_capes_setec07.pdf. Acesso em 05 mai. 2015.

BRASIL.Decreto nº 6.094, de 24 de abril de 2007. Dispõe sobre a implementação do Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação, pela União Federal, em regime de colaboração com Municípios, Distrito Federal e Estados, e a participação das famílias e da comunidade, mediante programas e ações de assistência técnica e financeira, visando a mobilização social pela melhoria da qualidade da educação básica. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, 2007a. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6094.htm>. Acesso em 05 mai. 2015.

BRASIL. Documento Base:Programa nacional de integração da educação profissional com a educação básica na modalidade de educação de jovens e adultos - Educação Profissional Técnica de nível médio/Ensino Médio. Brasília: Setec/MEC, 2007b.Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf2/proeja_medio.pdf, Acesso em: 05 jun. 2011.

BRASIL. Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências.Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 2008. Disponível em: http://Portal.mec.gov.br/se¬tec/arquivos/pdf/lei11.892.pdf. Acesso em: 05 jan. 2015.

BRASIL. Lei nº 12.513, de 26 de outubro de 2011. Institui o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). Diário Oficial da República Federativa do Brasil. 2011a. Disponível em: http://www.leidireto.com.br/lei-12513.html. Acesso em: 01 set. 2015.

BRASIL. Seminário Nacional Proeja – Relatório Síntese. Brasília: MEC/Setec. Novembro de 2011b. (mimeo).

BRASIL. Planejando a Próxima Década - Conhecendo as 20 Metas do Plano Nacional de Educação. Brasília: Ministério da Educação / Secretaria de Articulação com os Sistemas de Ensino, 2014. Disponível em: http://pne.mec.gov.br/images/pdf/pne_conhecendo_20_metas.pdf. Acesso em: 10 jan. 2015.

BRASIL. Relatório Educação para Todos no Brasil 2000-2015 (Versão Preliminar). Brasilia: Mec, jun. 2014. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/junho-2014-pdf/15774-ept-relatorio-06062014/file. Acesso em: 01 set. 2015.

BRASIL. Censo da educação básica: 2014 – Sinopse Estatística da Educação Básica. Brasília: Inep, 2015.

CAPES/SICAPES. Programa Observatório da Educação: Rede UFG, UFES, UnB. SICAPES 13769_OBEDUC/CAPES/INEP, 2012.

CIAVATTA, Maria. Arquivos da memória do trabalho e da educação – Centros de memória e formação integrada para não apagar o futuro. In CIAVATTA, Maria; REIS, Ronaldo Rosas. A pesquisa histórica em Trabalho e Educação. Brasília: Liber Livro, 2010.

ELÍSIO, O. Projeto de lei nº 1.258 de 1988 (1ª versão). Disponível em: http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=189757. Acesso em: 01 set. 2015.

ESCOBAR, A.EncouteringDevelopment. In: The MakingandUnmakingoftheThirld World. Princeton: Princeton University Press, 1995.

FRANZOI, N. L.; SILVA, C. O. B.; COSTA, R. de C. D. Proeja e Pronatec: ciclo de políticas, políticas recicladas. In: Políticas Educativas, Porto Alegre, v. 6, n.2, 2013. Disponível em http://seer.ufrgs.br/index.php/Poled/article/view/45658/28838. Acesso em 01 set 2015.

FRANCISCO, M. A. G. da S.Formação continuada do professor na educação de adolescentes, jovens e adultos: uma experiência da Secretaria Municipal de Goiânia em 2013-2014. Dissertação de Mestrado. 2015. 160 f. Programa de Pós-Graduação em Educação. Universidade Federal de Goiás. Goiânia. 2015.

FERRARO, A. R. Analfabetismo no Brasil: desconceitos e políticas de exclusão. In: Perspectiva, Florianópolis, v. 22, n. 01, p. 111-126, jan./jun. 2004 https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/viewFile/10086/9311

FERREIRA, E. B.; OLIVEIRA, E. C. Entre a inclusão social e a integração curricular: os dilemas políticos e epistemológicos do PROEJA. In: Educação e Realidade: EJA e Educação Profissional. Vol.1, nº. 1. Porto Alegre: UFRGS/ Faculdade de Educação, 2010.

FÓRUM NACIONAL EM DEFESA DA ESCOLA PÚBLICA NA LDB. Manifesto. Brasília, 1990.

FREIRE, P. Educação e Atualidade Brasileira. 1º ed. São Paulo: Cortez, 2001.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

FRIGOTTO, G. A relação da educação profissional e tecnológica com a universalização da educação básica. In: MOLL, J. e col.Educação Profissional e Tecnológica no Brasil contemporâneo: desafios, tensões e possibilidades. Porto Alegre: Artmed, 2010.

FRIGOTTO, G; CIAVATTA, M; RAMOS, M. N. A gênese do Decreto nº 5.154/2004: um debate no contexto controverso da democracia restrita. In: FRIGOTTO, G; CIAVATTA, M; RAMOS, M. N (Orgs). Ensino Médio integrado: concepção e contradições. São Paulo: Cortez, 2005.

GENTILLI, P.; OLIVEIRA, D. A. A procura da igualdade: dez anos de política educacional no Brasil. In: SADER, E. (Org.). 10 anos de governos pós-neoliberais no Brasil. São Paulo: Boitempo; Rio de Janeiro:Flacso Brasil, 2013.

INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO (Ifes). Plano de Desenvolvimento Institucional 2014/2 – 2019/1. Vitória: Ifes, 2014. Disponível em: http://www.ifes.edu.br/images/stories/files/Institucional/pdi_28-08-15.pdf. Acesso em: 01 set. 2015.

LANDER, E.Cienciassociales: Saberes coloniales y eurocêntricos. In: LANDER, E. (org).La colonialidadedel saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latinoamericanas.Colección Sur, CLACSO, Ciudad Autónoma de Buenos Aires, Argentina, 2000.

LIMA FILHO; CÊA, G. S. S; DEITOS, R. A. O Proeja e as possibilidades de sua afirmação como política pública: o financiamento em questão. In: LIMA FILHO,D. L.; SILVA, M. R.; DEITOS,R. A. (Org). Proeja: educação profissional integrada à EJA: questões políticas , pedagógicas e espistemológicas. Curitiba: Editora UTFPR, 2011. v.1, (p. 23-37)

MACENO, T. E. (Im)possibilidades e limites da universalização da educação sob o capital. Dissertação de Mestrado. 2005. 133 f. Programa de Pós-Graduação em Educação. Centro de Educação. Universidade Federal de Alagoas.Maceió, 2005

MACHADO, M. M. Avaliação da produção das pesquisas sobre o Proeja: impactos da implementação do programa. Trabalho encomendado 34ª Reunião Anual da ANPED. 2011. (mimeo)

MAINARDES, J. Abordagem do ciclo de políticas: uma contribuição para a análise depolíticas educacionais. Educ. Soc., Campinas, vol. 27, n. 94, p. 47-69, jan./abr. 2006 47. Disponível em <http://www.cedes.unicamp.br>. Acesso em 03 jul 2015.

MÉSZÁROS, I. Para além do capital: rumo a uma teoria da transição. 1º.ed. revisada. São Paulo: Boitempo, 2011.

MÉSZÁROS, I. Marx, nosso contemporâneo, e seu conceito de globalização. In: ANTUNES, R. (org) Riqueza e miséria do trabalho no Brasil. 1º ed. São Paulo: Boitempo, 2014.

MOLL, J. e Colaboradores. Educação Profissional e Tecnológica no Brasil contemporâneo: desafios, tensões e possibilidades. Porto Alegre: Artmed, 2010.

MOLL, J. Proeja e democratização da educação básica. In: MOLL, J. e Colaboradores. Educação Profissional e Tecnológica no Brasil contemporâneo: desafios, tensões e possibilidades. Porto Alegre: Artmed, 2010.

OLIVEIRA, E.C.; CEZARINO, K. R. A. Percursos e práticas de educação de jovens e adultos integrada à educação profissional: desafios dessa oferta na perspectiva dos sujeitos. (no prelo)

OLIVEIRA, E. C; MACHADO, M. M. O desafio do PROEJA como estratégia de formação dos trabalhadores. In OLIVEIRA, E.C; PINTO, A.H.; FERREIRA, M.J.R. EJA e Educação Profissional: desafios da pesquisa e da formação no Proeja. Brasília: Liber Livro, 2012.

PERONI, V.M.V. Política educacional e papel do Estado no Brasil dos anos 90. São Paulo: Xamã, 2003.

PINTO, A.V. Consciência e realidade nacional – consciência ingênua. Vol. 1. Rio de Janeiro: MEC/ ISEB, 1960.

PORTO-GONÇALVES, C.W.Apresentação da ediçãoemportugués. In:L.E. (org).Acolonialidade do saber: eurocentrismo e ciênciassociais. Perspectivas latino-americanas. Colección Sur Sur, CLACSO, Ciudad Autónoma de Buenos Aires, Argentina. set. 2005.

RAMOS, M.N. Ensino Médio integrado: ciência, trabalho e cultura na relação entre educação profissional e educação básica. In: MOLL, J. (col). Educação profissional e tecnológica no Brasil contemporâneo: desafios, tensões e possibilidades. Porto Alegre: Artmed, 2010.

REZENDE, M.; BAPTISTA, T. W. F. A Análise da Política proposta por Ball. In MATTOS, R. A.; BAPTISTA, T. W. F. Caminhos para análise das políticas de saúde. 2011. p.173-180 . Online: disponível em www.ims.uerj.br/ccaps

SAVIANI, D. O plano de desenvolvimento da educação: analise do projeto do MEC. Euc., Soc., Campinas, Vol.28,n.100 – Especial, p. 1231-1255 out. 2007.

ORGANIZAÇÕES DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E CULTURA - Unesco. Declaração Mundial sobre Educação Para Todos (Conferência de Jomtien). Tailândia: Unesco, 1990. Disponível em: . Acesso em: 10 maio de 2004.

ORGANIZAÇÕES DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E CULTURA - Unesco.O Marco de Ação de Dakar Educação Para Todos: atendendo nossos Compromissos Coletivos. Dakar, Senegal: Cúpula Mundial de Educação, 2000. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0012/001275/127509porb.pdf. Acesso em: 18.jun.2004

ORGANIZAÇÕES DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E CULTURA - Unesco. Alfabetização de jovens e adultos no Brasil: lições da prática. Brasília: Unesco, 2008.

PACHECO, E. (org.). Perspectivas da educação Profissional técnica de nível médio: Proposta de Diretrizes Curriculares Nacionais. Brasília: MEC/Setec: 2012. Disponível em: http://www.moderna.com.br/lumis/portal/file/fileDownload.jsp?fileId=8A8A8A8337ECDC2B0137ED025BFE393C. Acesso em: 20 ago. 2015.

VITORETTE, J.M.B. A não consolidação do proeja como política pública de estado. Tese de Doutorado. 2014. 253 f. Programa de Pós-Graduação em Educação DINTER em Educação CEPES/UFG/CAJ/CAC/IFG. Universidade Federal de Goiás. Goiânia. 2014.

Downloads

Publicado

13/10/2016

Como Citar

Oliveira, E. C., & Scopel, E. G. (2016). UMA DÉCADA DO PROEJA: SUA GÊNESE, BALANÇO E PERSPECTIVAS. HOLOS, 6, 120–144. https://doi.org/10.15628/holos.2016.4998

Edição

Seção

ARTIGOS