REPENSANDO IDENTIDADES NA CULTURA VISUAL E NO ENSINO DAS ARTES VISUAIS

FABIANA LOPES DE SOUZA

Resumo


Este texto parte de um recorte da pesquisa que foi desenvolvida junto ao Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais/Mestrado – UFPel, na qual se objetivou investigar as percepções, os sentidos e a construção de identidades de alunos do quinto ano do ensino fundamental em contato com as imagens da cultura visual contemporânea. Procurei ainda verificar as possibilidades de mudança na apreensão destas imagens, proporcionadas pelas atividades desenvolvidas nas aulas de Artes Visuais, por meio de uma educação crítica e estética. As referências fundamentais são: Hernández (2000; 2007), que aborda a importância do trabalho com as imagens da cultura visual na escola ; Hall (2005), que trata das questões de identidade cultural na perspectiva de um mundo pós-moderno e Meira e Pillotto (2010) que refletem sobre o afeto como fator essencial nos processos de ensino e aprendizagem. Os dados foram coletados através de registros fotográficos, das imagens produzidas pelos alunos e dos relatos escritos pelos mesmos. Fundamentados com base no referencial proposto, os dados da pesquisa revelaram que é possível realizar um trabalho utilizando imagens e objetos do cotidiano dos estudantes, promovendo uma educação crítica e estética dos alunos a partir destas visualidades. Ainda, é relevante salientar que os estudantes demonstraram processos de identificação, pertencimento e afetos e memórias em relação às imagens escolhidas por eles para o trabalho realizado em sala de aula.


Palavras-chave


Cultura visual, Ensino de Artes Visuais, identidade, afeto

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. (2005). Estudo de caso em Pesquisa e Avaliação Educacional. Brasília: Liber Livro.

BARRETO, Umbelina. Conversa a roda da visualidade na contemporaneidade. QUEIROZ, João Paulo & OLIVEIRA, Ronaldo (2018, Org.). Os riscos da Arte: Educação, Mediação e Formação. Lisboa: Universidade de Lisboa, Faculdade de Belas-Artes, Centro de Investigação e Estudos em Belas-Artes (CIEBA), 177-186. Recuperado em 26 de nov. 2018 de: http://congressomateria.fba.ul.pt/rede/2018_rede_02_17_Umbelina.pdf

CRUZ, Patrícia. (2009, Org.). Sentindo sentidos: uma incursão aos afetos, o paraíso esquecido. In: CENTRARTE. Arte-terapia e educação: a arte de tecer afetos e cuidados. Porto Alegre: Laçus, 73-87.

FREITAG, Vanessa. (2008). Tecendo os fios das memórias de infância no processo criativo docente: Um estudo com professoras de Artes Visuais da casa de Cultura de Santa Maria/RS. 175f. Dissertação (Mestrado – PPGE/UFSM) Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria. Recuperado em: 26 de nov. 2018, de: http://cascavel.ufsm.br/tede/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=1873

HERNÁNDEZ, Fernando. (2000). Cultura Visual – Mudança Educativa e projeto de trabalho. Porto Alegre: Artmed.

HERNÁNDEZ, Fernando. (2007). Catadores da Cultura Visual – proposta para uma nova narrativa educacional. Porto Alegre: Mediação.

KAMINSKI, Evelyse. (2010, Janeiro∕Abril). Consumo: uma construção identitária cultural na sociedade contemporânea. Revista de Estudos da Comunicação, Curitiba, v. 11, n. 24, 31-38, Recuperado em 26 nov. 2018, de :http://www2.pucpr.br/reol/pb/index.php/comunicacao?dd1=3860&dd99=view&dd98=pb

MEC. Programa mais educação. Recuperado em 26 de nov. 2018 de: http://portal.mec.gov.br/programa-mais-educacao/apresentacao?id=16689

MEDEIROS, João Luiz. ELEMENTOS DE ANÁLISE PARA A CONSTRUÇÃO DE IDENTIDADES. In: MEDEIROS, João Luiz. (2008, Org.) Identidades em Movimento: Nação, Cyberespaço, Ambientalismo e Religião no Brasil Contemporâneo. Porto Alegre: Sulina, 27-62.

MEIRA, Marly Ribeiro. Educação estética, arte e cultura do cotidiano. In: PILLAR, Analice Dutra. (2009, Org.). A Educação do Olhar no ensino das artes. 5ª ed. Porto Alegre: Mediação, 121- 140.

MEIRA, Marly Ribeiro; PILLOTTO, Silvia Sell Duarte. (2010). Arte, afeto e educação: a sensibilidade na ação pedagógica. Porto Alegre: Mediação.

MEIRA, Mirela R; SILVA, Ursula Rosa da. (2013). Cultura visual, Ensino da Arte e Cotidiano: Hibridismos e Paradoxos. Revista Visualidades. Goiânia, v 11, n˚ 2, 37-57. Recuperado em: 26 de nov. 2018 de: http: //www.revistas.ufg.br/VISUAL/article/viewFile/30684/16684

MINAYO, Maria Cecília de Souza. (1992). O Desafio do Conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Editora Hucitec/Rio de Janeiro: Abrasco.

NERY, Olivia S; HUZSAR, Frantieska S; FERREIRA, Maria Letícia M; MICHELON, Francisca F.(2015, Janeiro∕Abril). Caixas de memórias: a relação entre objetos, fotografias, memória e identidade ilustradas em cenas da ficção, Ciências Sociais, Unisinos, São Leopoldo, Vol. 51, N. 1, 42-51. Recuperado em: 26 nov. 2018 de: revistas.unisinos.br/index.php/ciencias_sociais/article/view/csu.2015.51.1.05

OLIVEIRA, Ronaldo. CONSTRUÇÃO CURRICULAR E PRODUÇÃO DE SENTIDO: pela inclusão curricular das histórias de si nos processos de formação. In: QUEIROZ, João Paulo & OLIVEIRA, Ronaldo (2008, Org.). Os riscos da Arte: Educação, Mediação e Formação. Lisboa: Universidade de Lisboa, Faculdade de Belas-Artes, Centro de Investigação e Estudos em Belas-Artes (CIEBA), 167-176. Recuperado em 26 de nov. 2018 de: http://congressomateria.fba.ul.pt/rede/2018_rede_02_16_Ronaldo.pdf

RODRIGUES, Rute. (2009, Org.) Educação Afetiva: aprendendo a ser e a conviver. In: CENTRARTE. Arte-terapia e educação: a arte de tecer afetos e cuidados. Porto Alegre: Laçus, 45-87




DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2018.4759



 

HOLOS IN THE WORLD