TECNOLOGIAS E ENSINO DE ARTES VISUAIS – APONTAMENTOS INICIAIS DA PESQUISA

Autores

  • Maristani Polidori Zamperetti Universidade Federal de Pelotas (UFPel/RS)
  • Flávia Demke Rossi Universidade Federal de Pelotas (UFPel/RS)

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2015.2031

Palavras-chave:

Interdisciplinar, Ensino, Artes Visuais

Resumo

A presença das novas tecnologias no ambiente escolar, especificamente no ensino de Artes Visuais do município de Pelotas, RS, é um dos diversos temas estudados em uma pesquisa qualitativa, que está sendo realizada por meio da análise de entrevistas com professores de Arte do mesmo município. Este artigo se constitui como um dos primeiros desdobramentos desta pesquisa e visa de forma sucinta levantar as questões referentes à tecnologia e as novas tecnologias na sociedade atual, enfocando o uso destas no ambiente educacional e no ensino de Artes Visuais. O uso das novas tecnologias da informação e comunicação constitui-se uma realidade para nossa sociedade. Elas tornaram-se importantes e até mesmo indispensáveis em praticamente todos os âmbitos sociais. Alteraram de forma determinante os recursos e os meios para a comunicação e acesso à informação. Os espaços educativos não ficaram de fora das mudanças. A tecnologia adentrou (e tem adentrado) o espaço escolar de modo a “modernizá-lo”, ou melhor, torná-lo contemporâneo aos avanços tecnológicos que foram sentidos pela sociedade, na qual ambas, sociedade e educação, tiveram que se adaptar neste processo de inserção das novas tecnologias. A pesquisa mostra que a inserção das novas tecnologias no Ensino de Artes Visuais enfrenta problemas de ordem material/física, constituindo-se num fator inibitório ou mesmo, impeditório à ação docente, visto que o professor depende diretamente dos recursos que dispõe para poder desenvolver suas aulas com boa qualidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Maristani Polidori Zamperetti, Universidade Federal de Pelotas (UFPel/RS)

Doutora e Mestre em Educação pela Faculdade de Educação (PPGE/FaE/UFPel). Coordenadora do Curso de Pós-Graduação em Artes Especialização Lato Sensu Área de Concentração: Artes Visuais, Terminalidades: Patrimônio Cultural, Ensino e Percursos Poéticos. Professora Adjunta no Centro de Artes da Universidade Federal de Pelotas (CA/UFPel), RS, onde ministra disciplinas na área de Fundamentos da Educação em Artes Visuais. Coordenadora do Grupo de Pesquisa/CNPQ “Pesquisa, Ensino e Formação Docente nas Artes Visuais”.

Flávia Demke Rossi, Universidade Federal de Pelotas (UFPel/RS)

Acadêmica de Artes Visuais – Licenciatura no Centro de Artes da Universidade Federal de Pelotas (CA/UFPel), RS. Bolsista de Iniciação Científica CAPES/CNPq, atuante no Projeto “Pesquisa, Ensino e Formação Docente nas Artes Visuais”, sob orientação da Profa. Dra. Maristani Polidori Zamperetti.

Referências

Referências Bibliográficas:

ARROYO, Miguel G. Ofício de Mestre: Imagens e Auto-Imagens. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.

BARRETO, Raquel Goulart. Tecnologia e Educação: Trabalho e Formação Docente. Educ. Soc., Campinas, vol. 25, n. 89, p. 1181-1201, Set./Dez. 2004.

COMO UMA ONDA, [1983]. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Como_uma_onda_(Zen-Surfismo)> Acesso em 05 fev. 2014.

DUARTE Jr, João Francisco. O sentido dos sentidos. Curitiba: Criar, 2001.

FISS, Dóris Maria Luzzardi; AQUINO Israel da Silva. Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), Autoria Colaborativa e Produção de Conhecimento no Ensino Superior. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v.21, n.2, p.199-226, jul./dez. 2013.

KENSKI, Vani Moreira. Educação e tecnologias: O novo ritmo da informação. Campinas, SP: Papirus, 2007.

LEOTE, Rosangella. Interfaces na relação Arte e Tecnologia. In Oliveira et al (Orgs). Território das artes. São Paulo: Ed. EDUC, 2006.

MOREIRA, Antonio Flavio Barbosa; KRAMER, Sonia. Contemporaneidade, Educação e Tecnologia. Educ. Soc., Campinas, vol. 28, n. 100 - Especial, p. 1037-1057, out. 2007

NOGARO Arnaldo; ECCO Idanir. Mudanças antropológicas decorrentes do uso das Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação (TDICs). Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v.21, n.2, p.383-398, jul./dez. 2013.

PIMENTEL, Lúcia Gouvêa. Novas Territorialidades e Identidades Culturais: O Ensino de Arte e as Tecnologias Contemporâneas. In: Anais do Encontro da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas. Rio de Janeiro: ANPAP, 2011.

POISSANT, Louise. Ser e fazer sobre a tela. In: DOMINGUES, Diana (Org.) Arte e vida no século XXI: tecnologia, ciência e criatividade. São Paulo: Editora UNESP, 2003. Capítulo 7, p. 115-123.

PRADO, Gilbertto. Ambientes virtuais multiusuário. In: DOMINGUES, Diana (Org.) Arte e vida no século XXI: Tecnologia, Ciência e Criatividade. São Paulo: Editora UNESP, 2003. Capítulo 14, p. 207-225.

RIZZI, Maria Cristina de Souza; Caminhos metodológicos. In: BARBOSA, Ana Mae (Org.) Inquietações e Mudanças no Ensino da Arte. São Paulo: Cortez, 2011. Capítulo 5, p. 63-70.

ROCHA, Termisia Luiza. Percepção do professor acerca do uso das mídias e da tecnologia na prática pedagógica. Cadernos da FUCAMP, v.10, n.13, p.1-10/2011.

Downloads

Publicado

2016-01-13

Como Citar

Zamperetti, M. P., & Rossi, F. D. (2016). TECNOLOGIAS E ENSINO DE ARTES VISUAIS – APONTAMENTOS INICIAIS DA PESQUISA. HOLOS, 8, 190–200. https://doi.org/10.15628/holos.2015.2031

Edição

Seção

ARTIGOS