A FORMAÇÃO DOCENTE E O PIBID-SUBPROJETO DE BIOLOGIA DO IFRN/MACAU: UMA INTERLOCUÇÃO ENTRE A FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2018.4701

Palavras-chave:

PIBID, Formação inicial docente, Formação continuada docente

Resumo

Este estudo tem como objetivo analisar o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), subprojeto de biologia desenvolvido no curso de licenciatura plena em Biologia do IFRN-Campus Macau/RN, e as suas contribuições com a interlocução entre a formação inicial dos licenciandos e a formação continuada dos professores supervisores do programa. A pesquisa consistiu-se em uma abordagem qualitativa, cujo instrumento de coleta de dados configurou-se em uma entrevista semiestruturada. Nas entrevistas, os participantes do subprojeto biologia (licenciandos e professores supervisores) foram indagados a partir de suas experiências no PIBID, cujos questionamentos foram organizados em duas categorias de análise: formação inicial e formação continuada. Ao analisar as perspectivas dos licenciandos sobre a interlocução entre formação inicial e continuada a partir do PIBID percebeu-se que estes visualizam o espaço escolar como um ambiente colaborativo, em que os professores supervisores contribuem para a formação dos licenciandos, ao mesmo tempo em que ao orientar os iniciantes a docência estes professores adquirem novas experiências que serão significativas para seu processo formativo contínuo. Diante das conquistas percebidas e das perspectivas vislumbradas, acredita-se que a atuação do PIBID tem sido positiva na comunidade escolar, contribuindo para o processo formativo de todos os envolvidos, desde os bolsistas de iniciação à docência, até os professores supervisores, mesmo estes não percebendo que ao mesmo tempo em que “eles formam, também se formam”. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Gislaine Rocha de Lima, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande de Norte

Licenciada em Biologia pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte- Campus Macau na data de 04/11/2015. Foi bolsista de iniciação à docência do Subprojeto de Biologia, do Programa Institucional de Bolsa de iniciação à docência/ PIBID, do IFRN- Campus Macau, no período de março de 2014 a julho de 2015, atuando na Escola Estadual Professora Clara Tetéo.

Maria Aparecida dos Santos Ferreira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande de Norte

Possui Licenciatura Plena em Pedagogia pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (1988), Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2010) e Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2014). Professora da Rede Estadual de Ensino do RN (1986-2012). Professora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2006 - 2007). Atualmente é docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte, Campus Macau. Professora do Curso de Licenciatura em Biologia. Coordenadora do Programa de Bolsa de Iniciação à Docência,- PIBID-Subprojeto de Biologia e Coordenadora professora da Pós Graduação Lato Sensu - Especialização em Ensino de Ciências da Natureza e Matemática, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte, Campus Macau (2015 a 2016). Vice presidente da Associação Nacional de Política e Administração da Educação (ANPAE), Sessão do Rio Grande do Norte (2015).Participação nos grupos de Pesquisa "Política e Gestão da Educação", Na UFRN, Políticas de Educação Profissional Técnica e Tecnológica no IFRN e Coordenadora do Projeto de Pesquisa "Gestão e Financiamento da Educação Profissional e as perspectivas do PNE (2014-2024): um estudo dos Campi de Macau, João Câmara e Ipanguaçu, vinculado ao Grupo de Pesquisa, "Educação, Sociedade e Tecnologias", do IFRN, Campus Macau.Tem experiência na área de Educação, com ênfase em políticas educacionais, atuando principalmente, nos seguintes temas: financiamento da educação básica, valorização do magistério, fundef. fundeb. qualidade. custo-aluno, piso salarial, gestão democrática, financiamento da educação profissional, gestão, formação docente, estágio docente, programa de iniciação à docência (PIBID), formação docente.

Referências

BATISTA, N. N. F. et al. (2013). PIBID/PEDAGOGIA/UFRN: contribuições para a formação docente. Recuperado em 17 Maio, 2015, de www.sistemas.ufrn.br/shared/verArquivo?idArquivo=1481767&key.

BRASIL, Portaria nº 096 (2013). Regulamento do programa institucional de bolsa de iniciação à docência.

CUNHA, M. J. de (2014). A importância do PIBID para a formação e a prática docente: um estudo de caso na Escola Estadual Professora Clara Tetéo/Macau/RN. Macau/RN, 86 f.

FARIAS, I. M. S. de et al. (2009). Didática e Docência: aprendendo a profissão. Brasília: Líber Livro. Pp. 5-76.

FREIRE, P. (1996). Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra.

MARCELO, C. (1998). Pesquisa sobre a formação de professores: o conhecimento sobre aprender a ensinar. Recuperado em 29 Março, 2015, de http://anped.org.br/rbe/rbedigital/RBDE09/RBDE09_06_CARLOS_MARCELO.pdf.

MATSUOKA, S. & SIGNORELLI, G. (2013). Integração universidade e escola pelo PIBID: uma análise das ações formativas de supervisores aos licenciandos. Recuperado em 16 Junho, 2015, de http://iseveracruz.edu.br/revistas/index.php/revistaveras/article/view/132/113.

MIRANDA, M. I. (2007). A extensão universitária e a formação continuada de professores,. Recuperado em 16 Junho, 2015, de http://www.unesp.br/prograd/ixcepfe/Arquivos%202007/8eixo_relatos.pdf.

OLIVEIRA, M. G. (2012). O PIBID-FAE/UFMG e os processos de significação da prática docente RBPG, Brasília, supl. 2, v. 8, pp. 469 - 485, Recuperado em 29 Março, 2015, de http://ojs.rbpg.capes.gov.br/index.php/rbpg/article/view/248/237.

PAREDES, G. G. O. & GUIMARÃES, O. M. (2012). Compreensões e Significados sobre o PIBID para a Melhoria da Formação de Professores de Biologia, Física e Química. Compreensões e Significados sobre o PIBID. Vol. 34, N° 4. pp. 266-277. Recuperado em 02 Junho, 2015, de http://www.ppgecm.ufpr.br/Disserta%C3%A7%C3%B5es/009_GiulianaGionnaOliviParedes.pdf.

PIMENTA, S. G. (2008). Saberes pedagógicos e atividade docente.-6ª ed.- São Paulo: Cortez,.

WEBER, K. C. et al. (2012). Vivenciando a prática docente em Química por meio do PIBID: introdução de atividades experimentais em escolas Públicas. supl. 2, v. 8. Brasília,.p. 539 – 559. Recuperado em 02 Junho, 2015, de http://ojs.rbpg.capes.gov.br/index.php/rbpg/article/view/254/243.

Downloads

Publicado

11/06/2018

Como Citar

Lima, G. R. de, & Ferreira, M. A. dos S. (2018). A FORMAÇÃO DOCENTE E O PIBID-SUBPROJETO DE BIOLOGIA DO IFRN/MACAU: UMA INTERLOCUÇÃO ENTRE A FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA. HOLOS, 2, 318–332. https://doi.org/10.15628/holos.2018.4701

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.