A PEDAGOGIA DA INDÚSTRIA E AS CONTRADIÇÕES DA FORMAÇÃO PARA O TRABALHO E A FORMAÇÃO HUMANA: A DIMENSÃO PEDAGÓGICA E TÉCNICA DAS ESCOLAS DO SENAI-PR

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2021.13236

Palavras-chave:

formação profissional, metodologia de ensino, escolas Senai

Resumo

O texto apresenta alguns resultados das análises da pesquisa de Pós-doutorado, que se propôs a investigar a relação pedagógica e didática desenvolvida nas escolas do SENAI-PR (1980 -1990). Em especial, o surgimento do SENAI no Brasil e no Estado do Paraná e seus objetivos quanto à formação do trabalhador da indústria. Nas primeiras cinco décadas de atuação das escolas do SENAI é que métodos tradicionais de ensino se consolidaram, juntamente com o atendimento da demanda do mercado de formação rápida do trabalhador. A análise teve como base a metodologia documental e bibliográfica, visto que o período do estágio de pós-doutorado se deu diretamente no momento pandêmico, o que restringiu a metodologia e utilização de entrevistas. Destacamos como fonte documental o impresso produzido pelos alunos da escola do SENAI de Curitiba-PR, e os relatórios departamentais do SENAI-DN localizados no Centro de Memória do sistema FIEP (Curitiba-PR) no Arquivo Edgard Leuenroth (AEL – UNICAMP/SP).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Desiré Luciane Dominschek, Unicamp /UNINTER

Doutorado em Educação na área de Concentração: Filosofia e História da Educação, pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) participa do grupo de estudos;História, Sociedade e Educação no Brasil; (HISTEDBR).Mestre em Educação na área de concentração: História e Historiografia da Educação,pela Universidade Federal do Paraná (UFPR).Especialista em Organização do Trabalho Pedagógico e Ciência Política pela (UFPR) ;graduada em pedagogia pela mesma instituição.Professora de História da Educação do Centro Universitário Internacional Uninter ,com experiência na área de Educação, com ênfase em História da Educação. Atuando nos seguintes temas: história das instituições escolares, história do ensino profissional, reflexões sobre a pesquisa e prática pedagógica. Atualmente coordena o setor de Pesquisa e publicações acadêmicas e o Comitê de Ética da Uninter , também é coordenadora Institucional do Programa de Iniciação a docência da UNINTER - na graduação atua com os fundamentos da educação : História da Educação Metodologia da pesquisa científica , Políticas Educacionais.Pertence as seguintes associações acadêmicas : Sociedade Brasileira de História da Educação - SBHE ,Associação Nacional de História - ANPUH, Associação Nacional de Pós-Graduação em Educação - ANPED, Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência - SBPC

Mara Regina Martins Jacomeli, UNICAMP

Pedagoga, mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (1998) e doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2004). É professora da Universidade Estadual de Campinas na Faculdade de Educação. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em História da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: educação, história da educação, pedagogia e políticas educacionais. Foi Coordenadora Geral do Programa de Pós-graduação em Educação da Unicamp de 2014 a 2018. É Coordenadora local do Grupo de Pesquisa do HISTEDBR (História, Sociedade e Educação no Brasil), da mesma Instituição.

Referências

Andery, M. A. (2007). Para compreender a ciência: uma perspectiva histórica. Rio de Janeiro, RJ: Garamond.

Camponês , K. C.(2012) História, trabalho e educação: ensino profissionalizante do SENAI Ponta Grossa. Dissertação (de Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação da UEPG,

Cunha, L. A. (2000). O ensino industrial-manufatureiro no Brasil. Revista Brasileira de Educação, (14), 89-107. doi: https://doi.org/10.1590/S1413-24782000000200006

Dominschek, D. L. (2015). Tempos “modernos” no Brasil? O parque fabril brasileiro e as iniciativas senasianas. In E. L. Batista, & M. T. Muller (Orgs.), Realidades da Educação Profissional no Brasil. São Paulo, SP: Ícone.

Dominschek, D. L. (2017). A formação do pequeno operário na escola SENAI-PR: a representação ideologia presente no jornal “O Escudo”. Campinas, SP: [s.n.].

Hobsbawm, E. J. (2014). A era do Capital, 1848-1875 (21a ed.). São Paulo, SP: Paz e terra.

Jacomeli, M. R. M. (2011). História e Memória: uma análise totalizante ou fragmentária? In J. C. Lombardi, A. P. B. S. Casimiro, & L. D. R. Magalhães. História, Memória e educação. Campinas, SP: Alínea.

Kalil, N. L.(1977). O Senai e sua Metodologia de Ensino. 3 ed. Rio de Janeiro, Senai.

Kowarzik, W. S. (1983) Pedagogia Dialética – de Aristóteles a Paulo Freire. São Paulo :Editora brasiliense.

Lombardi, J. C. (2011). Educação e ensino na obra de Marx e Engels. São Paulo, SP: Alínea.

Lombardi, J. C. (2010). Reflexões sobre educação e ensino na obra de Marx e Engels. Campinas, SP: Alínea.

Manfredi, S. M. (2002). Educação Profissional no Brasil. São Paulo, SP: Cortez.

Marques, V. R. B. Dominschek, D. L. Formar e assistir: Imagens da escola do SENAI em Curitiba nas décadas de 194 e 1950. História, Ciências, sáude: Manguinhos – v1 , n.1 -Rio de Janeiro, Fundação Oswaldo Cruz, 2011.

Muller, M. T. (2009). A lousa e o Torno: a escola Senai Roberto Mange, de Campinas. (Tese de Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação da Universidade de Campinas, Campinas.

O escudo — órgão oficial dos alunos do senai. (1949-1990). Curitiba: Oficina de Artes Gráficas da Escola do Senai.

Saviani, D.(1986) .O nó do ensino de 2º grau. São Paulo: MEC; I NEP; Cenafor.

Sanfelice, J. L. (2000). História e história da educação: O debate teórico- metodológico atual. 13. ed. Campinas, SP: Autores e Associados.

Senai. (2014). Departamento Regional do Paraná. Senai 70 anos — 70 anos de educação, tecnologia e inovação. Curitiba: Senai.

Senai. (2002). Histórias e percursos: o departamento nacional do SENAI (1942-2002). Brasília: Senai.

Severino, A. J. (2008). A filosofia contemporânea no Brasil: conhecimento, política e educação (5a ed.). Petrópolis, RJ: Vozes.

Thompson, E. P. (1987). A formação da classe operária inglesa, I: A arvoré da liberdade (Vol. 1).Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Weistein, B. (2000). (Re)formação da classe trabalhadora no Brasil (1920-1964). São Paulo: Cortez.

Downloads

Publicado

2021-12-07

Como Citar

Dominschek, D. L., & Jacomeli, M. R. M. (2021). A PEDAGOGIA DA INDÚSTRIA E AS CONTRADIÇÕES DA FORMAÇÃO PARA O TRABALHO E A FORMAÇÃO HUMANA: A DIMENSÃO PEDAGÓGICA E TÉCNICA DAS ESCOLAS DO SENAI-PR. HOLOS, 8, 1–17. https://doi.org/10.15628/holos.2021.13236

Edição

Seção

Dossiê - Pedagogia Histórico-crítica: ciência, currículo e didática