HISTÓRIA DIGITAL E O OFÍCIO DO HISTORIADOR: MODOS DE SER E FAZER NO REPOSITÓRIO DA REVISTA POUR L’ÈRE NOUVELLE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2021.11773

Palavras-chave:

História da Educação, Humanidades Digitais, Fontes Históricas, Historiografia.

Resumo

Compreender o ofício do historiador ao trabalhar com fontes históricas digitalizadas e repositórios digitais, constitui o horizonte desta pesquisa. A investigação situa-se no entrecruzamento dos campos da História da Educação e História Digital, produzindo reflexões a respeito das principais transformações e desafios enfrentados, tanto na produção do conhecimento, como na prática investigativa da ciência histórica. A discussão respalda-se teórico e metodologicamente na literatura sobre fontes históricas digitalizadas (Chartier, 2002; Brasil & Nascimento, 2020), assim como em autores que tratam acerca da importância de criação e manutenção de repositórios digitais (Bicas, Rodrigues & Gervasio, 2019; Antunes, 2008). Nesse sentido, selecionamos como exemplo o repositório da Revista Pour l’Ère Nouvelle. Concluímos que a utilização dessas ferramentas tecnológicas tem sido de grande relevância para a área das Humanidades, sobretudo, pela influência sobre a produção historiográfica que, por sua vez, deriva dos diferentes olhares, perspectivas e fazeres constituídos por meio do acesso virtual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Raquel Lopes Pires, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Participante do Laboratório de Pesquisa e Ensino em História da Educação (LPEHE). Bolsista Nota 10 da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ). Pedagoga formada pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), com bolsa de Iniciação Científica - CNPq.

Sara Raphaela Machado de Amorim, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Professora Adjunta do Departamento de Educação e Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação (POSEDUC), da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Doutora em Educação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), com Estágio Doutoral na Universidad de Alcalá de Henares. Líder do Núcleo de Pesquisa em Educação(NUPED-CNPq).

Referências

Almeida, F. C. (2011). O historiador e as fontes digitais: uma visão acerca da internet como fonte primária para pesquisas históricas. Revista do corpo discente do PPG-História da UFRGS, 3(8), 9-30.

Andrade, V. G. (2017). A experiência de criação de um Repositório Digital como fonte de pesquisa para História da Educação de Bananeiras. Revista de História e Historiografia da Educação, 1(2), 266-284.

Arellano, M. A. (2004). Preservação de documentos digitais. Ciência da Informação, 33(2), 15-27.

Bica, A. C., Rodrigues, T. M. & Gervasio, S. C. M. (2019). Tatu Magazine: os modos de ser e fazer do Repositório Digital Tatu. Revista História da Educação, 23, 1-18.

Bloch, M. (2001). A história, os homens e o tempo. In M. Bloch, Apologia da História ou O ofício do Historiador (pp. 51-68). Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed.

Boso, A. K. (2011). Repositórios de instituições federais de ensino superior e suas políticas: análise sob o aspecto das fontes informais (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Brasil. Recuperado de https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/95776/296890.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Brasil, E. & Nascimento, L. F. (2020). História Digital: reflexões a partir da Hemeroteca Digital Brasileira e do uso de CAQDAS na reelaboração da pesquisa histórica. Estudos Históricos, 33(69), 196-219.

Carvalho, M. M. C. (2007). A bordo do navio, lendo notícias do Brasil: o relato de viagem de Adolpho Ferrière. In A. C. V. Mignot & J. G. Gondra (Orgs.), Viagens Pedagógicas (1a ed., pp. 277-293). São Paulo: Cortez.

Chartier, R. (1999). A aventura do livro: do leitor ao navegador. São Paulo: IMESPlEd - UNESP.

Chartier, R. (2002). Morte ou transfiguração do leitor? In R. Chartier (Org.), Os desafios da escrita (pp. 101-124). São Paulo: Ed. UNESP.

De Certeau, M. (1982). Fazer história. In M. De Certeau (Org.), A escrita da história (pp. 31-64). Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Haenggelli-Jenni, B. (2011). Pour l’Ère Nouvelle : une revue-carrefour entre science et militance (1922-1940) (Tese de Doutorado). Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, Universidade de Genebra, Genebra, Suíça. Recuperado de https://archive-ouverte.unige.ch/unige:18162

Le Goff, J. (2012). História e memória. São Paulo: Editora da Unicamp.

Lucchesi, A. (2014). Por um debate sobre História e Historiografia Digital. Boletim Historiar, (2), 45-57.

Mounier, P. (2018). Les humanités numériques. Une histoire critique. Communication, 37(2), 1-15.

Razzini, M. P. G. (2008). Acervos e pesquisas em História da Educação: das vitrines do progresso aos desafios da conservação digital. Revista História da Educação, 12(25), 131-151.

Ribeiro Junior, D. I. & Zucatto, A. C. P. (2014). Bibliotecas e Repositórios Digitais: reflexões, tecnologias e aplicações. Anais do XVIII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias, 18. Recuperado de https://www.bu.ufmg.br/snbu2014/wp-content/uploads/trabalhos/638-2179.pdf.

Ricoeur, P. (2007). Fase documental: a memória arquivada. In P. Ricoeur (Org.), A memória, a história, o esquecimento (pp. 155-192). Campinas: Editora da UNICAMP.

Sá, A. F. A. (2008). Admirável campo novo: o profissional de história e a Internet. Revista Eletrônica Boletim do Tempo, (7), 1-9.

Stephanou, M. (2002). Banco de dados em história da educação. Revista de História da Educação. 6(11), 65-76.

Université de Caen Normandie (2002). Pour l’Ère Nouvelle [Repositório Digital]. Recuperado de http://www.unicaen.fr/recherche/mrsh/pen

Vidal, D. G. (2002). O livro e a biblioteca, o documento e o arquivo na era digital. História da Educação, 6(11), 53-64.

Downloads

Publicado

2021-12-08

Como Citar

Pires, R. L., & Amorim, S. R. M. de. (2021). HISTÓRIA DIGITAL E O OFÍCIO DO HISTORIADOR: MODOS DE SER E FAZER NO REPOSITÓRIO DA REVISTA POUR L’ÈRE NOUVELLE. HOLOS, 8, 1–16. https://doi.org/10.15628/holos.2021.11773

Edição

Seção

ARTIGOS