O DOCUMENTÁRIO COMO INSTRUMENTO NA EDUCAÇÃO PARA COMBATER O PRECONCEITO DE GÊNERO: O CASO MARIA LUISA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2019.7789

Palavras-chave:

Cinema, Documentário, Educação, Preconceito.

Resumo

A proposta deste artigo é trazer discussão sobre a importância que o documentário pode ter na educação como ferramenta de conscientização no ambiente escolar, para diminuir o preconceito na questão de gênero. Além de pesquisa bibliográfica, tem amparo do documentário Maria Luisa, idealizado pelo GEPEIS da UFSM e que teve seu propósito nesta perspectiva. A educação pode e deve utilizar-se de diferentes ferramentas para difundir pautas importantes atualmente, e com o instrumento audiovisual, seu alcance e influência podem ser ainda maiores. Cabe ao educador estimular o criticismo nos ambientes nos quais atua, por meio da diversidade de informação e dos questionamentos do status quo vigente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Valmor Rhoden, Universidade Federal de Santa Maria e Universidade Federal do Pampa.

Pós-Doutor em Educação pela UFSM.

Doutor em Comunicação. 

Professor Adjunto do Curso de Relações Públicas da Universidade Federal do Pampa - Campus São Borja-RS.

Integrante do Grupo de pesquisa GEPEIS da UFSM. 

Jéssica Dalcin da Silva, Universidade Federal de Santa Maria

Integrante do Grupo de Pesquisa do Imaginário da UFSM-GEPEIS.

Especialista em Comunicação e Mídias/UNIFRA e Mestre em Patrimônio Cultural/UFSM. 

Valeska Maria Fortes de Oliveira, Universidade Federal de Santa Maria

Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE/UFSM) e Coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação e Imaginário – GEPEIS

Referências

BERNARDET, Jean Claude. Cineastas e imagens do povo. São Paulo: Brasiliense, 1985.

BODSTEIN, Celso. O Documentário no Jornalismo. PUC Campinas. 12 de julho de 2016. Disponível em:<https://www.puc-campinas.edu.br/artigo-puc-campinas-entre-documentario-e-jornalismo/>. Acessado em 03 de março de 2018.

CRUZ, Graziela Aparecida da. A construção biográfica no documentário cinematográfico: uma análise de Nelson Freire, Vinicius e Cartola: Música para os olhos. 112 f. Orientadora: Ana Lúcia Andrade Dissertação (mestrado). Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Belas Artes, 2011.

FISCHER, R. M. B. Mídia, máquinas de imagens e práticas pedagógicas. Revista Brasileira de Educação, v. 12, n. 35, maio/ago, 2007.

FRANÇA, Andrea. Cinema documentário e espectador em cena. LOGOS 32 - Comunicação e Audiovisual (UERJ). Ano 17, Nº 01, 1º semestre, 2010.

GELATTI, Maria Luisa Garcia. Relato inicial para documentário. [Entrevista realizada em 05 de abril de 2017]. Entrevista concedida a Andrea Becker Narvaes.

MARCATO, Tais de Medeiros. O sujeito no documentário torna-se o sujeito do documentário. São Paulo: ABCine, 2014.

NICHOLS, Bill. Introdução ao documentário. Campinas: Papirus, 2005.

RAMOS, Fernão Pessoa; e CATANI, Afrânio. Estudos de Cinema. Porto Alegre: Sulina, 2001.

RAMOS, Fernão Pessoa. Mas afinal... o que é mesmo documentário? São Paulo: Senac, 2008.

SIQUEIRA, V. H. F. de; OLIVEIRA, C. M. de; BRAGA, J. O. O cinema e a formação docente: um diálogo sobre as questões de gênero. Comunicação & Educação, Ano X, n. 2, maio-agosto de 2005.

SILVA, Jéssica Dalcin da. Teaser do documentário Maria Luisa. 2018. (03m). Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=W1uyQX15JWQ&feature=youtu.be>. Acesso em: 24 set. 2018.

Downloads

Publicado

03/12/2019

Como Citar

Rhoden, V., Silva, J. D. da, & Oliveira, V. M. F. de. (2019). O DOCUMENTÁRIO COMO INSTRUMENTO NA EDUCAÇÃO PARA COMBATER O PRECONCEITO DE GÊNERO: O CASO MARIA LUISA. HOLOS, 1, 1–11. https://doi.org/10.15628/holos.2019.7789

Edição

Seção

ARTIGOS