O ENSINO DE ESTATÍSTICA POR MEIO DA PESQUISA: UMA EXPERIÊNCIA A LUZ DA MODELAGEM MATEMÁTICA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2017.3514

Palavras-chave:

Ensino e Aprendizagem, Educação Matemática, Pesquisa de Opinião.

Resumo

O imenso quantitativo de informações veiculadas pelos meios de comunicação, aliado ao crescente uso de ferramentas estatísticas, vem exigindo dos indivíduos o domínio de conhecimentos estatísticos para compreensão e para um posicionamento crítico. Apesar de sua relevância, o ensino de Estatística vem encontrando percalços na educação básica, no que se refere, dentre outros aspectos: a formação do professor, aos materiais didáticos disponíveis e a ênfase nos aspectos quantitativos. Diante desse quadro, o presente artigo apresenta uma experiência educacional voltada para o ensino e aprendizagem de Estatística sob o aporte da Modelagem Matemática. Empreendida em duas turmas do segundo ano do ensino médio de uma escola pública de Limoeiro do Norte-CE, os dados foram coletados utilizando: a observação participante, o diário de campo e o portfólio. Desenvolver uma proposta educativa adotando como fio condutor a pesquisa, além de ter contribuído para colocar os discentes como produtores de conhecimentos, favoreceu para a adoção de uma postura crítica frente a realidade. Nesse sentido, torna-se necessário ampliar o desenvolvimento de ações educativas que apresentem a matemática como uma ferramenta para compreensão e transformação da realidade.


Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Paulo Gonçalo Farias Gonçalves, Universidade Federal do Cariri

Professor da Universidade Federal do Cariri (UFCA), campus Brejo Santo-CE. Licenciado em Matemática pela Universidade Estadual do Ceará (UECE), Mestre em Ensino de Ciências Naturais e Matemática e Doutorando em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Atua principalmente nas linhas: Métodos e Técnicas de Ensino; Educação Matemática; Formação de Professores e Etnomatemática. 

Ravenia Adail Silva Vieira Lima, Secretaria de Educação do Estado do Ceará

Professora da Secretaria de Educação do Estado do Ceará (SEDUC-CE). Licenciada em Matemática pela Universidade Estadual do Ceará (UECE) e discente do Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional (PROFMAT) da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA).

Referências

Anastasiou, L. das G. C., & Alves, L. P. (Orgs.). (2007). Processos de Ensinagem na Universidade: Pressupostos para as estratégias de trabalho em aula (7a ed.). Joinville: UNIVILLE.

Andrade, M. M. (2008). Ensino e aprendizagem de Estatística por meio da modelagem matemática. Dissertação de mestrado, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, SP, Brasil.

Barbosa, J. C. (2004). Modelagem Matemática: O que é? Por que? Como? Veritati, Salvador, 4, 73-80.

Bassanezi, R.C. (1999). Modelagem matemática: Uma disciplina emergente nos programas de formação de professores. Congresso Nacional de Matemática Aplicada e Computacional, Santos, SP, Brasil, 22.

Bayer, A. (2004). Formandos em Matemática x Estatística na Escola: Estamos Preparados? Simpósio Sulbrasileiro de Ensino de Ciências, Canoas, RS, Brasil, 12.

Biembengut, M. S., & Hein, N. (2000). Modelagem Matemática no Ensino. São Paulo: Contexto.

Brasil. (1997a). Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Fundamental.

______. (1997b). Parâmetros Curriculares Nacionais: apresentação dos temas transversais. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Fundamental.

Campos, C. R., Ferreira, D. H. L., Jacobini, O. R., & Wodewotzki, M. L. L. (2012). Modelagem matemática como instrumento de interação entre aprendizagem curricular e reflexões críticas na sala de aula de estatística. Augusto Guzzo Revista Acadêmica, São Paulo, 10, 96-112.

Campos, C. R. (2007). Educação Estatística: uma investigação acerca dos aspectos relevantes à didática da Estatística em cursos de graduação. Tese de Doutorado, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, SP, Brasil.

Cazorla, I. M. (2006). O Ensino de Estatística no Brasil. Recuperado em 07 de outubro de 2015, de http://www. sbem.com.br/gt_12/arquivos/cazorla.htm.

Crespo, A. A. (2009). Estatística fácil (19a ed.). São Paulo: Saraiva.

Fiorentini, D., & Lorenzato, S. (2006). Investigação em educação matemática: percursos teóricos e metodológicos. Campinas: Autores Associados.

Lima, A. L. D. (2010). Nossa escola pesquisa sua opinião: manual do professor (3a ed.). São Paulo: Global.

Lima, R. A. S. V. (2014). Pesquisa de opinião e modelagem matemática: uma proposta para o ensino-aprendizagem de estatística no ensino médio. Monografia de Graduação, Universidade Estadual do Ceará, Limoeiro do Norte, CE, Brasil.

Lopes, C. A. E., & Moran, R. C. C. P. (1999). A Estatística e a Probabilidade através das atividades propostas em alguns livros didáticos brasileiros recomendados para o Ensino Fundamental. Conferência Internacional experiências e perspectivas do ensino da estatística. Florianópolis, SC, Brasil.

Lopes, C. E. (2008). O Ensino da Estatística e da Probabilidade na Educação Básica e a Formação dos Professores. Caderno Cedes, 28 (74), 57-73.

Alves, F. N., Busatta, M. R., Macedo, C. de S., Magalhães, M. N., Santos, B. H. dos, Silva, J. M. da, Tambara Junior, S. (2008). Presença da Estatística nos ensinos fundamental e médio. Simpósio de Iniciação Científica e Pós-Graduação do IME-USP, São Paulo, SP, Brasil.

Mendonça, L. O. (2008). A Educação Estatística em um Ambiente de Modelagem Matemática no Ensino Médio. Dissertação de Mestrado, Universidade Cruzeiro do Sul, São Paulo, Brasil.

Caldeira, A. D., Malheiros, A. P. dos S., & Meyer, J. F. da C. de A. (2011). Modelagem em Educação Matemática. Belo Horizonte: Autêntica.

Martins, M. E. G., & Ponte, J. P. (2011). Organização e Tratamento de Dados. Lisboa: Mistério da Educação, Directório-Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular.

Downloads

Publicado

2017-08-29

Como Citar

Gonçalves, P. G. F., & Lima, R. A. S. V. (2017). O ENSINO DE ESTATÍSTICA POR MEIO DA PESQUISA: UMA EXPERIÊNCIA A LUZ DA MODELAGEM MATEMÁTICA. HOLOS, 2, 190–198. https://doi.org/10.15628/holos.2017.3514

Edição

Seção

ARTIGOS