HISTÓRIAS TECIDAS E PUBLICIZADAS: formação, identidade e desenvolvimento profissional

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2016.3452

Palavras-chave:

Docência na educação superior, identidade, trajetória profissional.

Resumo

Este trabalho objetivou compreender os impactos da sociedade informacional na docência na educação superior em cursos de tecnologia. A pesquisa foi realizada com os docentes que atuam em cursos superiores de tecnologia de um Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia, localizado em Minas Gerais. Os questionamentos que orientaram a investigação foram: Como os docentes têm traçado suas trajetórias e identidades profissionais? Qual importância dada ao Currículo Lattes pelos professores da educação superior pesquisados? Trata-se de uma pesquisa qualitativa, utilizando-se da análise documental. A pesquisa documental foi empreendida aos Currículos Lattes de 45 docentes disponíveis na Plataforma Lattes do CNPQ, sendo 22 do curso na área de Produção Alimentícia, 12 do curso na área de Informação e Comunicação e 11 do curso na área de Gestão e Negócios. Constatamos que a sociedade informacional e a gestão da educação superior no Brasil têm implicado em novos modelos de construção de identidades pelos docentes. Observamos três grupos de identidades constituídas pelos sujeitos da pesquisa sendo: a identidade dos que ficam à margem da produtividade exigida na educação superior, sendo esta a representação de um grupo pequeno que demonstra não aderência às exigências do atual sistema de produção acadêmica; o segundo grupo, numericamente mais representativo, é formado pelos docentes que aderiram de forma ainda tímida, mas que já demonstram envolvimento nas exigências de produtividade acadêmica e, por fim, o terceiro grupo, pequeno, está imerso no esquema de alta produtividade e visível intensificação do trabalho, principalmente, por ser constituído por docentes que atuam majoritariamente na pós-graduação stricto sensu. Cada grupo vive os dilemas próprios de sua condição identitária que não se apresenta fixa e imutável, mas em evidente processo de construção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Marlei José de Souza, UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA (MESTRADO) INSTITUTO FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO(TRABALHO)

FORMADA EM PEDAGOGIA PELA UNIVERSIDADE FERDERAL DE UBERLÂNDIA. MESTRE EM EDUCAÇÃO PELA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. ATUO COMO PEDADOGOGA NO IFTM- CÂMPUS UBERLÂNDIA.

Iara Vieira Guimarães, UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

Professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e do Programa de Pós-Graduação em Educação (Linha de Pesquisa Saberes e Práticas Educativas - PPGED/UFU), orientando pesquisas de mestrado e doutorado. Possui graduação em Geografia pela Universidade Federal de Uberlândia (1992), mestrado em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo (1998) e doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (2006). Desenvolveu estágio de pós-doutorado na Universidade Federal Fluminense (2015). Integra a coordenação do Grupo de Pesquisa Formação Docente, Saberes e Práticas de Ensino de História e Geografia - GEPEGH. 

Referências

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Tradução de: DENTZIEN, Plínio. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2001.

______. Identidade. Tradução: MEDEIROS, Carlos Alberto. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari Kopp. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e os métodos. Tradução Maria João Alvarez, Sara Bahia dos Santos e Telmo Mourinho Baptista. Portugal: Porto, 1994.

BRASIL. Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília. Ministério da Educação, 2008. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm>. Acesso em: 7 mar. 2014.

______. Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. Brasília. Ministério da Educação, 2008. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007.../2008/lei/l11892.htm>. Acesso em: 7 mar. 2014.

CORTESÃO, Luisa. Ser professor: um ofício em risco de extinção? Portugal, Porto: Ed. Afrontamento, 2000.

COSTA, Maria Adelia da. Políticas de formação de professores para a educação profissional e tecnológica: cenários contemporâneos. Universidade Federal de Uberlândia, 2012. (Tese de doutorado). 231f.

CUNHA, Maria Isabel. Formatos avaliativos e concepção de docência. Campinas, SP: Autores Associados, 2005.

DUBAR, C. A socialização: construção das identidades sociais e profissionais. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 21. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREITAS, Maria Ester de. O Pesquisador hoje: entre o artesanato intelectual e a produção em série. Cad. EBAPE.BR, v. 9, n. 4, opinião 1, Rio de Janeiro, Dez. 2011 p.1158–1163. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/cebape/v9n4/13.pdf>. Acesso em: 3 ago.2014.

GARCÍA, Carlos Marcelo. Desenvolvimento profissional docente: passado e futuro. Sísifo. Revista de Ciências da educação, n.8, p.7-22, 2009.

HALL, Stuart. Quem precisa de identidade? In: SILVA, Tomás Tadeu (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2000.

LUDKE, Menga; ANDRÉ, Marli E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MARTINS, S. B. Homo Lattes. Artigo publicado no jornal O Globo. Disponível em <http://oglobo.globo.com/blogs/prosa/posts/2013/08/02/homo-lattes-505601.asp>. Acesso em: 10 ago. 2014.

MASETTO, Marcus Tarciso. Professor universitário: um profissional da educação na atividade docente. Campinas-SP: Papirus, 1998.

MELO, Geovana Ferreira. Docência: uma construção a partir de múltiplos condicionantes. Rio de Janeiro: SENAC/Educação Profissional, 2009. Disponível em: <http://www.senac.br/BTS/351/artigo-03.pdf>. Acesso em: 2 ago. 2014.

NEVES, J. L. Pesquisa qualitativa: características, usos e possibilidades. Cadernos de Pesquisas em Administração, v. 1, n.3, 2º sem., 1996.

NÓVOA, Antônio. Formação de professores e formação docente. In: Os professores e a sua formação, do mesmo autor. Publicações Dom Quixote, Lisboa, 1992.

PACHECO, Eliezer (org.). Cidadãos para o Mundo do Trabalho. Os Institutos Federais: Uma revolução na Educação Profissional e Tecnológica. Ed. Moderna, Brasília, 2011.

PIMENTA, Selma Garrido; ANASTASIOU, Léa das Graças Camargos. Docência no ensino superior. Coleção docência em formação. v. I. São Paulo: Cortez, 2002.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

VEIGA NETO, Alfredo. Currículo: um desvio à direita ou Delírios avaliatórios. Texto apresentado e discutido no X Colóquio sobre Questões Curriculares e VI Colóquio Luso-Brasileiro de Currículo, no dia 4 de setembro de 2012, na UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil. Disponível em <http://www.fe.unicamp.br/TEMPORARIOS/veiga-neto-curriculos-delirios avaliatorios.pdf. Acesso em: 28 jul.2014.

Downloads

Publicado

20/04/2016

Como Citar

Souza, M. J. de, & Guimarães, I. V. (2016). HISTÓRIAS TECIDAS E PUBLICIZADAS: formação, identidade e desenvolvimento profissional. HOLOS, 2, 281–300. https://doi.org/10.15628/holos.2016.3452

Edição

Seção

ARTIGOS