O ENSINO DA TRANSITIVIDADE VERBAL NO NÍVEL MÉDIO: UMA PROPOSTA CENTRADA NO USO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2016.2676

Palavras-chave:

Ensino, Transitividade Verbal, Linguística Funcional Centrada no Uso

Resumo

Este artigo apresenta uma proposta de trabalho voltada para o nível médio, com o objetivo geral de promover o ensino-aprendizagem da transitividade verbal sob uma perspectiva da Linguística Centrada no Uso. Para desenvolver esta proposta, faz-se necessário o suporte teórico da Linguística Funcional Centrada no Uso – LFCU, um novo modelo teórico-metodológico, que absorve princípios, processos e categorias integrantes da linguística funcional norte-americana e da linguística cognitiva. Para a LFCU, a transitividade não implica uma dicotomia (transitivo x intransitivo), pois é um fenômeno gradiente, que diz respeito à gramática da oração como um todo e não apenas ao verbo. Quanto à metodologia, o tema será apresentado aos alunos pelo professor, em aula expositiva dialogada que utilizará exemplos extraídos de textos reais, escritos e/ou falados. Em seguida, os alunos realizarão, com a assistência do professor, a partir de texto(s) por este proposto(s), atividade individual em sala, com o intuito de identificar e analisar as orações transitivas presentes nesse(s) texto(s). Depois os alunos realizarão, a título de avaliação, uma segunda atividade, semelhante à primeira, desta vez em duplas, sem o auxílio do professor e sem consulta a qualquer material. Para fechar o estudo do tema, professor e alunos sistematizarão as descobertas feitas a partir das atividades, atentando para cada um dos objetivos específicos apresentados inicialmente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Sheyla Patricia Trindade da Silva Costa, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte

Possui graduação em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1998) e mestrado em Letras pela mesma Universidade (2003), desenvolvido na área de Linguística. Tem experiência no ensino de Língua Portuguesa nos níveis fundamental, médio e superior. Atualmente é professora efetiva do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte - IFRN, na disciplina de Língua Portuguesa, e aluna de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem da UFRN.

Maria Angélica Furtado da Cunha, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Professora titular de Linguística da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Possui doutorado em Linguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1989), mestrado em Linguística pela Universidade de Brasília (1978) e bacharelado e licenciatura em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1975/6). Fez dois estágios de pós-doutorado na University of California, Santa Barbara, e um na Universidade Federal Fluminense. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Linguística Funcional, atuando principalmente nos seguintes temas: gramaticalização, transitividade, gramática de construções, estrutura argumental e ensino de gramática.

Referências

BYBEE, J. Language as a complex adaptative system: the interaction of cognition, culture and use. In: ______. Language, usage and cognition. Cambridge: CUP, 2010. p. 194-221.

CEREJA, W. R.; MAGALHÃES, T. C. Gramática reflexiva: texto, semântica e interação. São Paulo: Atual, 1999.

CIPRO NETO, P.; INFANTE, U. Gramática da língua portuguesa. São Paulo: Scipione, 1999.

FERRARI, L. Introdução à linguística cognitiva. São Paulo: Contexto, 2011.

FORD, C. E. et al. Social interaction and grammar. In: TOMASELLO, M. (Ed.). The new psychology of language: cognitive and functional approaches to language structure. v. 2. Mahwah, NJ/London: LEA, 2003, p. 119-143.

FURTADO DA CUNHA, M. A.; BISPO, E. B.; SILVA, J. R. Linguística funcional centrada no uso: conceitos básicos e categorias analíticas. In: CEZARIO, M. M.; FURTADO DA CUNHA, M. A. (org.) Linguística centrada no uso: uma homenagem a Mário Martelotta. Rio de Janeiro: Mauad /FAPERJ, 2013.

FURTADO DA CUNHA, M. A.; SOUZA, M. M. de. Transitividade e seus contextos de uso. São Paulo: Cortez, 2011. (Coleção Leituras introdutórias em linguagem, v. 2).

GIVÓN, T. Syntax: an introduction. v. 1 e 2. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins, 2001.

HOPPER, P. J. Emergent grammar. In: TOMASELLO, M. (Ed.). The new psychology of language. New Jersey: Lawrence Erlbaum, 1998, p. 155-175.

HOPPER, P. J.; THOMPSON, S. A. Transitivity in grammar and discourse. Language, v. 56, p. 251-299, 1980.

HOPPER, P. J.; TRAUGOTT, E. C. Grammaticalization. Cambridge: Cambridge University Press, 1993.

MARTELOTTA, M. E. Conceitos de gramática. In: ______. (Org.). Manual de linguística. São Paulo: Contexto, 2010. p. 43-70.

______. Mudança linguística: uma abordagem baseada no uso. São Paulo: Cortez, 2011.

TERRA, E. Minigramática. 3. ed. São Paulo: Scipione, 1996.

VOTRE, S. J. Um paradigma para a linguística funcional. In: MARTELOTTA, M. E.; VOTRE, S. J.; CEZARIO, M. M. (org.). Gramaticalização no português do Brasil: uma abordagem funcional. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro: UFRJ, 1996.

Downloads

Publicado

20/04/2016

Como Citar

Costa, S. P. T. da S., & Furtado da Cunha, M. A. (2016). O ENSINO DA TRANSITIVIDADE VERBAL NO NÍVEL MÉDIO: UMA PROPOSTA CENTRADA NO USO. HOLOS, 2, 271–280. https://doi.org/10.15628/holos.2016.2676

Edição

Seção

ARTIGOS