ANÁLISE DO PERFIL DOS APRENDIZES E SERVIDORES DA ESCOLA DE ARTÍFICES DE NATAL (1909-1937)

Renato Marinho Brandão Santos, Jennefer Larissa Guedes da Silva

Resumo


A análise do perfil de discentes e servidores que compuseram a Escola de Aprendizes e Artífices em Natal, entre os anos de 1909 e 1937, é parte de uma pesquisa mais ampla, realizada em programa de doutoramento, que foi desenvolvida a partir de projetos de pesquisa contemplados com bolsa pelo Instituto Federal do Rio Grande do Norte, campus São Gonçalo do Amarante. Tem como objetivo construir um perfil socioeconômico dos aprendizes que ingressaram na Escola no referido período, de modo a entender, entre outros aspectos, as razões para um elevado índice de evasão na instituição, bem como os mecanismos de disciplina usados no espaço escolar. Já em relação aos servidores, objetivou-se saber, entre outras questões, se havia um perfil específico desejado para esses profissionais, bem como se fatores políticos eram considerados para sua nomeação. Em busca das respostas aos questionamentos propostos, exploramos, entre outras fontes, livros de matrícula, diários de classe e termos de posse. Com isso conseguiu-se mapear mais de 1.400 registros de alunos e mais de 60 servidores, durante o período pesquisado.


Palavras-chave


Ensino Industrial, Disciplina, Aprendizes, Servidores

Texto completo:

PDF

Referências


BIBLIOGRAFIA:

AFONSO, J. A. M. M. (2009). Protestantismo e Educação: História de um projecto pedagógico alternativo em Portugal na transição do séc. XIX. Braga: Centro de Investigação em Educação (UMinho).

CAETANO, A. (2007). Práticas fotográficas, experiências identitárias: a fotografia privada nos processos de (re)construção das identidades. In Sociologia, problemas e práticas, 55, pp. 69-89.

CHALHOUB, S. (2001). Trabalho, lar e botequim: o cotidiano dos trabalhadores no Rio de Janeiro belle époque. Campinas: Ed. Unicamp.

CUNHA, L. A. (2005). O ensino de ofícios nos primórdios da industrialização (2ª ed.). São Paulo: Unesp.

FONSECA, C. S. da. (1986). História do ensino industrial no Brasil (2ª ed.). Rio de Janeiro: Senai.

FOUCAULT, M. (2009) Vigiar e punir: nascimento da prisão (37ª ed.). Petrópolis: Vozes.

GURGEL, R. (2007). A trajetória da Escola de Aprendizes Artífices em Natal: República, trabalho e educação (1909-1942). Tese de doutoramento, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Brasil.

HOBSBAWN, E. J. E. (2002). A produção em massa de tradições. In E. J. E. Hobsbawn & T. Ranger (Orgs.), A Invenção das tradições (3ª ed.) (pp. 271-316). Rio de Janeiro: Paz e Terra.

LOURO, G. L. (1997). Mulheres na sala de aula. In M. del Priore (org.). História das mulheres no Brasil, 2, p. 443-481. São Paulo: Contexto.

MEDEIROS, A. L. de. (2011). A forja e a pena: Técnica e humanismo na trajetória da Escola de Aprendizes Artífices de Natal à Escola Técnica Federal do Rio Grande do Norte. Natal: Ed. IFRN.

SOUSA, F. C. O. de. (2015). Em nome da ordem e do progresso: a formação profissional no percurso da escola de aprendizes artífices à escola técnica federal do Rio Grande do Norte (1909-1971). Tese de doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Brasil.

FRAGO, A. V. (1995). Historia de la educación y historia cultural: Posibilidades, problemas, cuestiones. In Revista Brasileira de Educação, 306, pp. 245-269.

LEGISLAÇÃO:

Decreto nº 7.566, de 23 de setembro de 1909 (1909). Retirado de: portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf3/decreto_7566_1909.pdf

CAVALCANTI, J. R. B. (s.d.). Relatório do anno de 1916, apresentado ao Presidente da Republica dos Estados Unidos do Brazil, no anno de 1916. Retirado de: http://brazil.crl.edu/bsd/bsd/u2008/

LIMA, J. G. P. (s.d.). Relatório apresentado ao Presidente da República dos Estados Unidos do Brazil pelo Ministro de Estado dos Negocios da Agricultura, Industria e Commercio, no anno de 1918. Retirado de: http://brazil.crl.edu/bsd/bsd/u2010/.

LOPES, I. L. (1920). Relatório apresentado ao presidente da República dos Estados Unidos do Brasil pelo Ministro de Estado dos Negocios da Agricultura, Industria e Commercio (1919). Rio de Janeiro: Papelaria e Typographia Villas-Boas & C.

LOPES, I. S. (1921). Relatório apresentado ao Presidente da República dos Estados Unidos do Brazil pelo Ministro de Estado dos Negocios da Agricultura, Industria e Commercio, no anno de 1920. Retirado de: http://brazil.crl.edu/bsd/bsd/u2017/.

PIN e ALMEIDA, M. C. du (1925). Relatorio do Ministério da Agricultura, Industria e Commercio, apresentado ao presidente da República dos Estados Unidos do Brasil, anno de 1922. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional.

Departamento Estadual de Estatística (1939). Sinopse estatística do estado, n. 3. Natal: Tipografia do SEPT.

PERIÓDICOS:

“Governo Municipal”. (1905). A Republica, Natal, 14 jan., p. 1.

“Governo Municipal”. (1905). A Republica, Natal, 16 jan., p. 1.

LUCIO. “A Academia do Pobre”. (1937) A Ordem, Natal, 18 maio, p.1.




DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2020.7127



 

HOLOS IN THE WORLD