A ATUAÇÃO DOS IFs FRENTE AO SISTEMA NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO – UM COMPARATIVO ENTRE 2008 – 2014

Carina Gomes Messias Alves, José Cláudio Del Pino

Resumo


A Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica foi instituída em 2008, juntamente com a criação dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia - IFs, por meio da Lei nº 11.892/2008. O objetivo do presente estudo é analisar a atuação dos IFs no Sistema Nacional de Pós-Graduação – SNPG, fazendo um comparativo da oferta de cursos de pós-graduação stricto sensu antes e após a promulgação da referida Lei. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica e documental, a metodologia usada foi de natureza quantitativa por meio da análise dos dados dos Programas de Pós-Graduação stricto sensu recomendados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES, no período anterior a 2008 e até 2014, fornecidos pela Diretoria de Avaliação /CAPES. Concluiu-se que, com a criação dos IFs (oriundos da agregação/transformação de antigas instituições de educação profissional) aumentou a atuação das instituições de educação profissional no SNPG, tendo em vista o crescimento de 186% do número de IFs ofertando cursos de Pós-Graduação stricto sensu, e o aumento de 414% desses cursos no período de 2008 a 2014. A área de avaliação com maior número de cursos pós-graduação é a área de Ensino, com um pequeno predomínio de cursos de pós-graduação na modalidade profissional em comparação com a modalidade acadêmica, embora esse percentual tenha diminuído.

Palavras-chave


Educação Profissional. Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. Sistema Nacional de Pós-Graduação.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Decreto nº 7.566, de 23 de setembro de 1909. Crêa nas capitaes dos Estados da Republica Escolas de Aprendizes Artifices, para o ensino profissional primario e gratuito. Rio de Janeiro, 1909. Disponível em Acesso em 03 fev. 2014.

______. Constituição dos Estados Unidos do Brasil, de 10 de novembro de 1937. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constitui%C3%A7ao37.htm>Acesso em 05 fev. 2014.

______. MEC/Conselho Federal de Educação. Parecer CFE n.º 977, de 3 de dezembro de 1965. Definição dos Cursos de Pós-Graduação, 1965a. Disponível em Acesso em 05 fev. 2014.

______. Decreto nº 7.566, de 23 de setembro de 1909. Crêa nas capitaes dos Estados da Republica Escolas de Aprendizes Artifices, para o ensino profissional primario e gratuito. Rio de Janeiro, 1909. Disponível em Acesso em 03 fev. 2014.

______. Decreto nº 29.741, de 11 de julho de 1951. Institui uma Comissão para promover a Campanha Nacional de Aperfeiçoamento de pessoal de nível superior. 1951. Disponível em Acesso em: 22 fev. 2015.

______. Lei nº 8.948, de 8 de dezembro de 1994. Dispõe sobre a instituição do Sistema Nacional de Educação Tecnológica e dá outras providências. 1994. Disponível em Acesso em: 03 fev. 2014.

______. Lei nº 9.394 de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, 1996. Disponível em < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm> Acesso em: 03 fev. 2014.

______. MEC/Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Parecer CNE/CEB n.º 16, de 5 de outubro de 1999. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional de Nível Médio, 1999a. Disponível em 10 fev. 2014.

______. MEC/Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Parecer CNE/CES n.º 79, de 12 de março de 2002. Consulta sobre titulação de programa de mestrado profissionalizante, 2002. Disponível em 05 jun. 2014.

______. MEC. Plano Nacional de Pós-graduação (PNPG) 2005-2010. Brasília: CAPES. Dezembro de 2004.

______. Lei nº 11.184, de 7 de outubro de 2005. Dispõe sobre a transformação do Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná em Universidade Tecnológica Federal do Paraná e dá outras providências. Brasília, 2005. Disponível em Acesso em: 03 fev. 2014.

______. Decreto nº 6.095, de 24 de abril de 2007. Estabelece diretrizes para o processo de integração de instituições federais de educação tecnológica, para fins de constituição dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia - IF, no âmbito da Rede Federal de Educação Tecnológica. Brasília, 2007. Disponível em Acesso em 08 out. 2013.

______. Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Brasília, 2008. Disponível em Acesso em: 03 fev. 2013.

FISCHER, T. Mestrado profissional como prática acadêmica. RBPG – Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 2, n. 4, p. 24-29, jul. 2005.

FISCHER, Tania Maria Diederichs; WAIANDT, Claudiani; FONSECA, Renata Lara. Educação Profissional e Pós-Graduação: um desafio estratégico para transformação do espaço educacional In: III Encontro de Ensino e Pesquisa em Administração e Contabilidade – EnEPQ, João Pessoa, 2011.

FREITAS, M. C. E; BATISTA, G. A. Currículo e Competências: Implicações para a Formação de Profissionais de Saúde. Revista Encontro de Pesquisa em Educação, Uberaba, v.1, n.1, p. 138-152, 2013.

KUNZE, Nadia Cuiabano. O surgimento da rede federal de educação nos primórdios do regime republicano no Brasil. Revista Brasileira de Educação Profissional e Tecnológica/Ministério da Educação, Secretaria da Educação Profissional e Tecnológica. V.2, nº 2 (nov.2009).- Brasília: MEC, SETEC, 2009.

LAKATOS, E.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

LIMA, Fernanda Bartoly Gonçalves de. A formação de professores nos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia: um estudo da concepção política. Unb – Brasília, 2012.

MANFREDI. S. M. Educação Profissional no Brasil. São Paulo: Cortez, 2002.

MARTINS, Carlos Benedito. A CAPES e a formação do Sistema Nacional de Pós- Graduação. In: FERREIRA, Marieta de Moraes; In: MOREIRA, Regina da Luz. CAPES, 50 anos: depoimentos ao CPDOC/FGV. Brasília: CAPES, 2002. p. 295-310.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Chamada Pública MEC/SETEC nº 002/2007. Chamada Pública de Propostas para constituição dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia – IF. MEC/Brasília. 2007. Disponível em Acesso em 20 mar. 2014.

______.. Secretaria de Educação profissional e Tecnológica. Um novo modelo de educação profissional e tecnológica: concepção e diretrizes. Brasília: SETEC/MEC, 2010. Disponível em Acesso em 20 mar. 2014.

______. Concepções e diretrizes dos institutos federais de educação, ciência e tecnologia. Brasília: SETEC/MEC 2010. Disponível em: . Acesso em: 14 de jan. de 2013.

OTRANTO, C. R. Criação e Implantação dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia – IFs . Revista Retta. UFRRJ/PPGEA, Seropédica, RJ: EDUR, Vol. I, nº 01, jan./jun. 2010, p. 89-108.

PACHECO, Eliezer (org.) Institutos Federais: uma revolução na educação profissional e tecnológica. Brasília: SETEC/MEC, 2010 Disponível em Acesso em 15 mar. 2014.

RAMOS, Viviane Silva. Desenvolvimento local e território: uma reflexão sobre o papel dos Institutos Federais de Educação Ciência e Tecnologia. Seropédica: UFRRJ, 2011. Disponível em < http://www.ia.ufrrj.br/ppgea/dissertacao/Viviane%20Silva%20Ramos.pdf=> Acesso em 10 jul. 2014.

RIBEIRO, R. J. O mestrado profissional na política atual da CAPES. RBPG – Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, v. 2, n. 4, p. 8-15, jul. 2005. Seção Debates. Disponível em: . Acesso em: 5 mar. 2008.

_____________. Mestrado profissional, mestrado acadêmico e doutorado. Disponível em: . Acesso em: 15 out. 2008.

RICHARDSON, Roberto J. et al. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1999.

SILVA, Caetana Juracy (org.). Institutos Federais Lei 11.892, de 29/12/2008: Comentários e Reflexões. Natal: IFRN, 2009.

VERGARA, Sylvia Constant. Métodos de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 2005.




DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2015.3090



 

HOLOS IN THE WORLD