OUVIDORIA E GESTÃO PÚBLICA: uma relação necessária

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2020.8459

Palavras-chave:

ouvidoria, controle social, gestão pública.

Resumo

A ouvidoria vem se firmando como um importante instrumento de interface entre a gestão pública e a sociedade. A trajetória não tem sido sem percalços, no entanto, tem havido avanços, notadamente no acesso à informação e transparência pública. Desse modo, com o objetivo de aprofundar os estudos acerca das ouvidorias universitárias no serviço público, realizou-se uma análise com a intenção de compreender o funcionamento e eficácia da ouvidoria, tendo como hipótese que a mesma exerce uma importante função na gestão pública e no controle social, porém, esses órgãos universitários não conseguem atingir esse objetivo. Dessa forma, é preciso melhorar os procedimentos, torná-los mais acessíveis, informar a comunidade acerca das funções da ouvidoria, dar autonomia à ela e aproximá-la do processo de formulação de políticas públicas nas instituições.


Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

JOSE IRIVALDO ALVES OLIVEIRA SILVA, UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE

Pós-Doutor em Desenvolvimento Regional. Doutor em Ciências Sociais. Doutorando em Direito e Desenvolvimento. Pesquisador Produtividade do CNPq, nível 2. Em estágio Pós-doutoral no Programa de Pós-graduação em Direito, no Grupo de Pesquisa em Direito Ambiental e Sociedade de Risco, na Universidade Federal de Santa Catarina. Mestre em Sociologia. Especialista em Gestão das Organizações Públicas. Especialista em Direito Empresarial. Graduado em Ciências Jurídicas. Exerceu o cargo de Analista Judiciário no Tribunal de Justiça da Paraíba durante oito anos. Professor efetivo do Curso de Gestão Pública, na Unidade Acadêmica de Gestão Pública da Universidade Federal de Campina Grande. É pesquisador com ênfase em conflitos ambientais, meio ambiente, sociedade de risco, legislação ambiental, desenvolvimento sustentável, políticas públicas relacionadas ao acesso à água e saneamento. É membro atuante em diversos grupos de pesquisa. É membro da rede de pesquisa WATERLAT, http://www.waterlat.org/Members.html#brazil. Pesquisador da Rede JUST-Side (Programa Iberoamericano de Ciencia y Tecnología). Membro da Associação Latino Americana de Sociologia - ALAS. E-mail: irivaldo.cdsa@gmail.com ou prof.irivaldo@ufcg.edu.br

Thiago Francisco Silva de Oliveira, UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE

Graduação em Direito pela Universidade Estadual da Paraíba (2008). Especialista em Direito Administrativo pela Faculdade Internacional Signorelli (2012). Mestre Profissional em Administração Pública pela UFCG (2016). É Assistente em Administração na Universidade Federal de Campina Grande desde 2010.

Referências

ABRUCIO, F. L. (1997). O impacto do modelo gerencial na administração pública: um breve estudo sobre a experiência internacional recente. Disponível em: <http://repositorio.enap.gov.br/handle/1/556>. Acesso em 16 de março de 2016.

Alves, J. C. (2015). O instituto da ouvidoria como instrumento para a melhoria da gestão pública universitária: estudo de caso da ouvidoria geral da Universidade Federal do Espírito Santo. Disponível em: <http://repositorio.ufes.br/handle/10/1260>. Acesso em 25 de fevereiro de 2016.

Araújo, M. A. D. de (1996). Planejamento estratégico: um instrumental à disposição das universidades?. Revista de administração pública, v. 30, n. 4, p. 74-86. Disponível em: <http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/viewArticle/8028>. Acesso em 01 de novembro de 2015.

Barros, H. de. (2011). Acompanhamento das Ouvidorias do Governo do Estado de São Paulo. Dissertação, Mestrado Profissional em Gestão de Políticas Públicas, EAESP-FGV. Disponível em: <http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/handle/10438/8605>. Acesso em 15 de janeiro de 2016.

Bezerra, H. M. S. (2014). Defensor do Povo: origens do instituto do Ombudsman e a malograda experiência brasileira. Revista Direito, Estado e Sociedade, n. 36. Disponível em: <http://www.jur.puc-rio.br/revistades/index.php/revistades/article/view/207>. Acesso em 21 de novembro de 2015.

Brasil (1988). Constituição da República Federativa do Brasil, Texto promulgado em 05 de outubro . Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm>. Acesso em 04 de fevereiro de 2015.

Brasil (2014b). Decreto 8.243, de 23 de maio de 2014. Institui a Política Nacional de Participação Social – PNPS e o Sistema Nacional de Participação Social – SNPS, e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2014/Decreto/D8243.htm>. Acesso em 02 de outubro de 2015.

Brasil (2012a). Controladoria-Geral da União; Ouvidoria-Geral da União. Orientações para implantação de uma unidade de ouvidoria: rumo ao sistema participativo. Brasília: Controladoria-Geral da União; Ouvidoria-Geral da União.

Brasil (2013a). Controladoria Geral da União. Guia de orientação para a gestão de ouvidorias. Disponível em:

publica/arquivos/produto_5_gestao_de_ouvidorias.pdf>. Acesso em 10 de setembro de 2015.

Brasil (2013c). Controladoria-Geral da União. Ouvidoria-Geral da União. Guia de orientação para gestão de ouvidorias. Brasília – DF. Disponível em: <http://www.cgu.gov.br/assuntos/ouvidoria/produtos-e-servicos/consulta-publica/arquivos/produto_5_gestao_de_ouvidorias.pdf/view>. Acesso em 17 de junho de 2015.

BRESSER PEREIRA, L. C. et al (1995). Plano diretor da reforma do aparelho do Estado. Câmara de reforma do Estado: Brasília. Disponível em: <http://www.bresserpereira.org.br/documents/mare/planodiretor/planodiretor.pdf.>. Acesso em 24 de novembro de 2015.

_____(1996a). Da administração pública burocrática à gerencial. Revista do Serviço público, v. 47, n. 1, p. 07-40. Disponível em: <http://repositorio.enap.gov.br/handle/1/817>. Acesso em 24 de janeiro de 2016.

_____. (1996b). Texto para discussão 9: administração pública gerencial: estratégia e estrutura para um novo Estado. Disponível em: <http://repositorio.enap.gov.br/handle/1/817>. Acesso em 25 de janeiro de 2016.

Cardoso, A. S. R. et al. (2013). Ouvidoria Pública e Governança Democrática. Boletim de Análise Político-Institucional. IPEA, Brasília. Disponível em: . Acesso em 20 de dezembro de 2015.

Cavedon, N. R.; Fachin, R. C. (2002). Homogeneidade versus heterogeneidade cultural: um estudo em universidade pública. Organizações & Sociedade, v. 9, n. 25, p. 61-76. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1984-92302002000300003&script=sci_arttext&tlng=pt>. Acesso em 21 de abril de 2015.

Cotta, R. M. M. et al. (2011). O controle social em cena: refletindo sobre a participação popular no contexto dos Conselhos de Saúde. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 21, n. 3. Disponível em: <http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=400838234019>. Acesso em 02 de agosto de 2015.

Estrada, R. J. S. et al. (2000). Os rumos do planejamento estratégico na universidade pública:: um estudo de caso na Universidade Federal de Santa Maria. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/78511>. Acesso em 06 de março de 2016.

Ferreira, P. A. et al. (2012). Marketing público e orientação para o cidadão-consumidor: um levantamento da produção científica brasileira entre 1997 e 2008. Gestão Pública: Práticas e Desafios, v. 3, n. 1. Disponível em: <http://seer.enap.gov.br/index.php/RSP/article/view/394/400>. Acesso em 15 de janeiro de 2016.

GLÜER, L. M. (2005). A ouvidoria Universitária como espaço de interlocução com os diferentes públicos do ensino superior. In: XXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Rio de Janeiro. Disponível em: <http://www.portcom.intercom.org.br/pdfs/147536492986252418079198049097262304467.pdf.>. Acesso em 18 de outubro de 2015.

Leitão, S. P. (1985). A questão organizacional na universidade: as contribuições de Etzioni e Rice. Revista de Administração Pública, v. 19, n. 4, p. 3-26. Disponível em: <http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/10050>. Acesso em 25 de fevereiro de 2015.

Lenz, M. M. (2014). Gestão da Universidade pública no Brasil: análise do princípio constitucional da gestão democrática do ensino público como possível marco histórico na legislação. Disponível em: < http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/112062>. Acesso em 19 de setembro de 2015.

Lima, C. S. (2012). Gestão de relacionamento com líderes: desafio para o ouvidor. Revista Organicom, v. 7, n. 12. Disponível em: < http://www.revistaorganicom.org.br/sistema/index.php/organicom/article/view/261>. Acesso em 02 de novembro de 2015.

Lyra, R. P. (2011). A ouvidoria pública e a questão da autonomia. Prima Facie, João Pessoa, v. 8, 15, Jul-Dez. Disponível em: <http://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/primafacie/article/viewFile/4517/5339>. Acesso em 23 de janeiro de 2015.

_____. (2004). Ouvidor: o defensor dos direitos na administração pública brasileira. Rubens Pinto Lyra, organizador. Autônomas x obedientes: a ouvidoria pública em debate. João Pessoa (PB): Ed. universitária da UFPB. Disponível em: <http://carceraria.org.br/wp-content/uploads/2012/07/Ouvidorias.pdf.>. Acesso em 10 de maio de 2016.

_____. (2000). O Ouvidor Universitário. A Ouvidoria na esfera pública brasileira (org.). Curitiba: Ed. UFPR. 315 p. Disponível em: <http://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/politicaetrabalho/article/view/6457/4033>. Acesso em 11 de março de 2015.

_____. (2014). Ouvidorias públicas e privadas: análise comparativa, p. 137-167. In: LYRA, Rubens Pinto (org.) A ouvidoria pública no Brasil: modelos em disputa. João Pessoa: Ed. UFPB, 349 p.

_____. (2016). Paradigmas de Ouvidoria pública e proposta de mudança. In: MENEZES, Ronald do Amaral (Org); CARDOSO, Antonio Semeraro Rito (Org). Ouvidoria pública brasileira: reflexões, avanços e desafios. Disponível em: <http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/6601>. Acesso em 03 de junho de 2016.

Motta, P. R. de M. (2013). O estado da arte da gestão pública. Revista de Administração de Empresas, v. 53, n. 1, p. 82-90. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034-75902013000100008&script=sci_arttext>. Acesso em 20 de junho de 2015

Pinho, J. A. G. de (1998). Reforma do aparelho do Estado: limites do gerencialismo frente ao patrimonialismo. Organizações & Sociedade, v. 5, n. 12, p. 59-79. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-92301998000200003>. Acesso em 25 de julho de 2015.

Ribeiro, M. de P.; Oliveira, E. R. (2013). Comunicação e marketing no setor público: uma prática que permite o fortalecimento da cidadania e a modernização da gestão pública. Gestão Pública: Práticas e Desafios, v. 4, n. 1. Disponível em: <http://repositorios.ufpe.br/revistas/index.php/gestaopublica/article/view/901>. Acesso em 03 de maio de 2016.

SECCHI, L. (2009). Modelos organizacionais e reformas da administração pública. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 43, n. 2, p. 347-369. Disponível em: <http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/6691>. Acesso em 27 de julho de 2015.

SHIROMA, E. O. ; CAMPOS, R. F. (2006). La resignificación de la democracia escolar mediante el discurso gerencial: liderazgo, gestión democrática y gestión participativa. In: Myriam Feldfeber; Dalila Andrade Oliveira. (Org.). Políticas educativas y trabajo docente: Nuevas regulaciones, Nuevos sujetos?. 1ª ed. Buenos Aires: Ediciones Novedades Educativas, v. , p. 221-237. Disponível em:<http://louderdesign.net/gepeto/capitulos/viewdownload/22-capitulos/44-la-resignificacion-de-la-democracia-escolar-mediante-el-discurso-gerencial-liderazgo-gestion-democratica-y-gestion-participativa.html>. Acesso em 24 de janeiro de 2015.

Tácito, C. (1988). Ombudsman – O Defensor do povo. Revista de Direito Administrativo, v. 171, p. 15-26. Disponível em: <http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rda/article/view/45696>. Acesso em 08 de fevereiro de 2016.

Torres, M. D. de F. (2004). Estado, democracia e administração pública no Brasil. Rio de Janeiro: FGV.

Downloads

Publicado

19/08/2020

Como Citar

ALVES OLIVEIRA SILVA, J. I., & Silva de Oliveira, T. F. (2020). OUVIDORIA E GESTÃO PÚBLICA: uma relação necessária. HOLOS, 5, 1–32. https://doi.org/10.15628/holos.2020.8459

Edição

Seção

ARTIGOS