PERCEPC?A?O AMBIENTAL DOS MORADORES DO ENTORNO DA MATA DA PAIXA?O, EM SA?O JOSE? DO RIO PARDO, SP.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2020.8316

Palavras-chave:

Planejamento urbano, áreas verdes, manejo ambiental, fragmentos urbanos

Resumo

Este artigo traz um estudo de caso sobre a percepção ambiental de moradores vizinhos a um fragmento de floresta urbana - Mata da Paixão, na cidade de São José do Rio Pardo, SP. Para determinar a percepção do residente no entorno do fragmento, foi realizado um levantamento, utilizando técnicas de geoprocessamento e aplicação de questionários semiestruturados para avaliar perspectiva socioambiental dos moradores. Assim, foi possível sistematizar informações da relação entre a comunidade e o remanescente de mata no espaço urbano. Como resultado, foi produzido um mapa atualizado da área. Sobre a perspectiva dos moradores, em uma visão geral, a maioria dos moradores afirmou que morar perto de um fragmento florestal traz mais benefícios do que desvantagens para a comunidade, embora seja notável a negligência dos órgãos públicos quanto à área. Os achados indicam que a relação entre o ocupante urbano, o bairro e o entorno, neste caso, ocorre de forma positiva. Assim, iniciativas de agentes públicos locais são necessárias para manter a relação ambiental harmônica em áreas urbanas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Letícia Gomes Cândido, Universidade Federal de Alfenas Instituto de Ciência e Tecnologia

Instituto de Ciência e Tecnologia - ICT/UNIFAL, bacharela em Ciência e Tecnologia, graduanda em Engenharia Ambiental.

Atuando em: Planejamento e sustentabilidade urbana. Percepção ambiental.

Luciana Botezelli, Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL) Instituto de Ciência e Tecnologia

Instituto de Ciência e Tecnologia - ICT/UNIFAL, Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGCA/UNIFAL).

Graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Lavras (UFLA); mestrado em Engenharia Florestal (Manejo Ambiental); especialização em Ecoturismo e Planejamento de Atividades em Áreas Naturais; doutorado em Engenharia Florestal (Ciências Florestais) também pela UFLA.

Atuando em: Conservação da Natureza, Unidades de Conservação, Educação Ambiental, Planejamento Ambiental Urbano e Sustentabilidade

Daniela Rocha Teixeira Riondet-Costa, Universidade Federal de Itajubá Instituto de Recursos Naturais

Instituto de Recursos Naturais - IRN/UNIFEI, Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Recursos Hídricos (PosMARH/UNIFEI).

Graduação em Direito, Instituição Toledo de Ensino, Bauru; Mestrado em Engenharia da Energia (Universidade Federal de Itajubá - UNIFEI) e doutorado em Ciências (Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ).

Atuando em: Conservação da Natureza, Unidades de Conservação, Educação Ambiental, Direito Ambiental, Planos Diretores 

Adriana Maria Imperador, Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL) Instituto de Ciência e Tecnologia

Instituto de Ciência e Tecnologia - ICT/UNIFAL, Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGCA/UNIFAL).

Graduação em Ciências Biológicas pla Pontifícia Universidade de Sao Paulo, Mestrado e Doutorado em Ciências da Engenharia Ambiental pela USP São Carlos.

Atuando em: Educação Ambiental, Percepção Ambiental e Sustentabilidade

Daniele Ornaghi Sant'Anna, Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) Instituto de Recursos Naturais

Instituto de Recursos Naturais - IRN/UNIFEI, Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento, Tecnologias e Sociedade, Programa de Mestrado em Engenharia da Energia, ambos da UNIFEI.

Graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade São Marcos, Especialização em Conforto Ambiental e Conservação de Energia pela USP, Mestrado e Doutorado em Tecnologia da Arquitetura e Urbanismo pela USP.

Atuando em: Planejamento ambiental urbano, Sustentabilidade ambiental

Referências

Amato-Lourenço, L. F.; Moreira, T. C. L.; Arantes, B. L. de; Silva Filho, D. F. da; Mauad, T. Metrópoles, cobertura vegetal, áreas verdes e saúde. Estudos Avançados, São Paulo, v. 30, n. 86, p.113-130, abr. 2016.

Carvalho, A. P. & Rodrigues, M. A. N. (2015). Percepção ambiental de moradores no entorno do açude Soledade no estado da Paraíba. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental Santa Maria, v. 19, n. 3, set-dez. 2015, p. 25-35. Disponível em: <http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs2.2.2/index.php/reget/article/view/17986>. Acesso em junho de 2018.

Fengler, F. H. et al. (2015) Qualidade ambiental dos fragmentos florestais na Bacia Hidrográfica do Rio Jundiaí?-Mirim entre 1972 e 2013. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, ISSN 1807-1929, v.19, n.4, p.402–408.

Ferreira, E. F. B. (2012). Modelo de avaliação da percepção do ambiente de circulação em espaços públicos urbanos. Dissertação (mestrado) – Programa de mestrado em desenvolvimento e meio ambiente urbano, Universidade da Amazônia Belém - PA, 2012.

Martelli, A. & Santos Júnior, A. R. (2015). Arborização Urbana do município de Itapira – SP: perspectivas para educação ambiental e sua influência no conforto térmico. Revista do Centro de Ciências Naturais e Exatas – UFSM Santa Maria. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental. e-ISSN 2236 1170 - V. 19, n. 2, mai-ago. 2015, p. 1018-1031. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reget/article/view/15968/pdf. Acesso em 18 de novembro de 2018.

Melo, A. G. C.; Carvalho, D. A.; Castro, g. C. & Machado, E. L. M. (2011). Fragmentos florestais urbanos. Revista Científica Eletrônica de Engenharia Florestal, Garça, v. 17, n. 1.

Moser, G. (1998). Psicologia Ambiental. Estudos de psicologia (Natal), Natal, v.3, n.1, p. 121-130, Junho. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-294X1998000100008&lng=en&nrm=iso. Acesso em julho de 2018.

Mota, S. (2011). Urbanização e meio ambiental. 4 Ed, Rio de Janeiro; Fortaleza: Abes.

Pereira, H. D. S. et al. (2018). Topofilia e valorização ambiental de fragmentos florestais urbanos em uma cidade Amazônica. Ambiente & Sociedade, São Paulo. 2018;21:e01590, v.21.

Pereira, L. F. F. & Souza, A. D. G. (2016). Percepção ambiental dos moradores do entorno de duas áreas verdes no município de Poços de Caldas-MG. Congresso Nacional de Meio ambiente Poços de Caldas. Anais... Disponível em: http://www.meioambientepocos.com.br/anais-2016/70.%20PERCEPÇÃO%20AMBIENTAL%20DOS%20MORADORES%20DO%20ENTORNO%20DE%20DUAS%20ÁREAS%20VERDES%20NO%20MUNICÍPIO%20DE%20POÇOS%20DE%20CALDAS-MG.PDF. Acesso em outubro de 2017.

Rodrigues, M. L. et al. (2012). A percepção ambiental como instrumento de apoio na gestão e na formulação de políticas públicas ambientais. Saúde e sociedade, São Paulo, v. 21, supl. 3, p. 96-110, Dez. 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902012000700009&lng=en&nrm=iso>. Acesso em julho de 2018.

Shams, j. C. A.; Giacomeli, D. C. & Sucomine, N. M. E. (2009). Emprego da arborização na melhoria do conforto térmico nos espaços livres públicos. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana - REVSBAU, Piracicaba – SP, v. 4, n. 4, p. 1-16.

Silva, M. P. et al. (2015). Análise da influência dos aspectos sociais na percepção ambiental da população residente na microbacia do córrego do Mineirinho, município de São Carlos-SP. Revista EIXO, Brasília-DF, v. 4, n. 2, julho-dezembro de 2015. Disponível em: http://revistaeixo.ifb.edu.br/index.php/RevistaEixo/article/view/288/187. Acesso em 18 de novembro de 2018.

SJRP - São José do Rio Pardo. (2007). Câmara Municipal. Lei Municipal nº 2920, de 15 de janeiro de 2007. Dispõe sobre o Plano Diretor Participativo do Município de São Jose? do Rio Pardo. Disponível em: <http://www.camarasjriopardo.sp.gov.br/doc/arquivo/3824.pdf> Acesso em 14 de dezembro de 2017.

SJRP - São José do Rio Pardo. (2017). Câmara Municipal. Mapa de Macrozonas. São José do Rio Pardo, set. 2017. Disponível em: <http://www.camarasjriopardo.sp.gov.br/doc/arquivo/3828.pdf> Acesso em 14 de dezembro de 2017.

SOS Mata Atlântica. (2016). Aqui tem mata. Disponível em <http://aquitemmata.org.br/#/busca/sp/São%20Paulo/São%20José%20do%20Rio%20Pardo> Acesso em 30 de março de 2018.

Szeremeta, B. (2007). Avaliação e percepção da paisagem sonora de parques públicos de Curitiba – Paraná. Dissertação (mestrado) – Curso de Engenharia Mecânica, Universidade Federal do Paraná. Curitiba – PR, 2007.

Downloads

Publicado

2020-12-16

Como Citar

Cândido, L. G., Botezelli, L., Riondet-Costa, D. R. T., Imperador, A. M., & Sant’Anna, D. O. (2020). PERCEPC?A?O AMBIENTAL DOS MORADORES DO ENTORNO DA MATA DA PAIXA?O, EM SA?O JOSE? DO RIO PARDO, SP. HOLOS, 6, 1–16. https://doi.org/10.15628/holos.2020.8316

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)