AGRESSIVIDADE E ESCOLA: PROJETO DE INTERVENÇÃO PROTAGONIZADO POR PROFESSORES

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2020.6260

Palavras-chave:

agressividade, intervenção, professores, educação infantil.

Resumo

O artigo trata de uma pesquisa-ação, realizada com 36 professores de escolas públicas de um município do interior de São Paulo-SP, com o objetivo de construir projetos que pudessem sanar problema relativo à manifestações agressivas em sala de aula. Utilizou-se, como instrumentos de coleta de dados, relatos, questionários, materiais produzidos em salas de aula (relatórios,  portfólios, atividades realizadas pelas crianças) e fotos. Após a realização de trabalho
 técnico a respeito da agressividade infantil envolvendo a pesquisadora e os professores, os primeiros planejaram os projetos, os desenvolveram em salas de aula e avaliaram seus impactos às relações interpessoais das crianças envolvidas. Os resultados apontaram participação ativa dos professores em todo o processo da pesquisa, ocorrendo transformações significativas no cotidiano das salas de aula no que se refere às interações entre as crianças.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Andreia Crisitane Silva Wiezzel, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"- Unesp

Graduada em Pedagogia. Mestre e Doutora em Educação pela Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquista Filho - Unesp, respectivamente pelos câmpus  de Presidente Prudente e Marília-SP. Docente da Pós-graduação e do Departamento de Educação da Universidade Estadual Paulista, no câmpus de Presidente Prudente-SP, na área de Psicologia da Educação.

Referências

ABERASTURY, A. (1982). A criança e seus jogos (2a ed.). Porto Alegre: Artmed.

CASTRO, R. E. (2008). Eles cuidam de crianças. Quem cuida deles? O sofrimento psíquico do professor na relação com a criança considerada agressiva. Dissertação de mestrado, Universidade de São Paulo, SP, Brasil.

COSTA, M. V. (1996). Introdução: novos olhares na pesquisa em educação. In: _____. Caminhos investigativos: novos olhares na pesquisa em educação. Porto Alegre: Mediação, p. 7-17.

MOYLES, J. R. (2006). A excelência do brincar: a importância da brincadeira na transição entre a educação infantil e anos iniciais. (M. A. V., Veronese Trad.). Porto Alegre: Artmed. (Obra original publicada em 1994).

PERVOVA, I. (1999). Aggression and violence on the move in russian schoolchildren. Preventing School failure, v. 1, n. 44, p. 28-31.

THIOLLENT, M. (2005). Metodologia da Pesquisa-ação .14 ed. São Paulo: Cortez.

WINNICOTT, D. W. (1975). O brincar & a realidade. Trad. José Octávio de Aguiar Abreu e Vanede Nobre. Rio de Janeiro: Imago.

WINNICOTT, D.W. (1982). A criança e o seu mundo. 6. ed. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos.

WINNICOTT, D. W. (1992). Natureza humana. Rio de Janeiro: Imago.

WINNICOTT, D.W. (2000). Da pediatria à psicanálise: obras escolhidas. Rio de Janeiro: Imago.

WINNICOTT, D.W. (2005). Privação e delinqüência. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes.

Downloads

Publicado

16/12/2020

Como Citar

Silva Wiezzel, A. C. (2020). AGRESSIVIDADE E ESCOLA: PROJETO DE INTERVENÇÃO PROTAGONIZADO POR PROFESSORES. HOLOS, 6, 1–19. https://doi.org/10.15628/holos.2020.6260

Edição

Seção

ARTIGOS