AS BRINCADEIRAS DAS CRIANÇAS DE ONTEM E DE HOJE NO CONTEXTO SOCIOCULTURAL

Micaela Ferreira dos Santos Silva, Adriano Pinheiro de Andrade, Magallia Farkath de Paiva Torres, Giovana Carla Cardoso Amorim

Resumo


A brincadeira pode ser caracterizada como um elemento conciso que permite o desenvolvimento infantil. Este estudo visa entender as relações das brincadeiras tradicionais com as brincadeiras que envolvem o aparato tecnológico, a partir do contexto sociocultural. Objetivamos identificar os fatores que influenciam no brincar infantil. A pesquisa foi realizada com crianças e adultos da Escola Municipal Paulo Cavalcante de Moura na cidade de Mossoró/RN. Pretendemos desse modo, verificar em que contexto de brincadeiras as crianças de ontem e de hoje se situam. Utilizamos como aporte teórico, estudos de autores que fundamentam a pesquisa, como: Brougère (2010 e 2011), Kishimoto (2001 e 2010), Vygotsky (2007), Piaget (1994), entre outros. O percurso metodológico do estudo baseou-se na pesquisa quanto-qualitativa, em que utilizamos como instrumento de coleta de dados questionários. Para a escolha dos sujeitos que compõe a pesquisa, usamos o método de análise aleatória simples, conforme apresenta Gil (1999). De acordo com os pensamentos dos autores e as análises dos dados da pesquisa, percebemos que não importa o contexto em que vivem, as crianças acabam, de algum modo, brincando. As brincadeiras mais comuns tanto na infância das crianças de ontem, quanto na infância das crianças de hoje, são brincadeiras que sejam desenvolvidas coletivamente. Entendemos que esses tipos de brincadeiras trazem grandes benefícios à infância, pois desenvolvem aspectos motores, cognitivos, afetivos, sociais, entre outros. É importante evidenciar que a brincadeira também é responsável pela propagação da cultura, geração a geração, residindo nesse aspecto à relevância da temática para a educação e para a sociedade.


Palavras-chave


Brincadeiras, Desenvolvimento, Atividade lúdica, Cultura

Texto completo:

PDF

Referências


BROUGÈRE, Gilles. Brinquedo e Cultutra. Editora: Cortez. São Paulo, 2010.

__________. A criança e a cultura lúdica. In: KISHIMOTO, Tizuko Morchida. O brincar e suas teorias. São Paulo: Cengage Learning, 2011.

CASTELLÒN, Lena. Como brincam nossas crianças. Revista Isto É, São Paulo, n.10 ano 46, p.40-40, 03 out. 2007.

FERNANDES, Sidnei. Brincadeiras Tradicionais. Publicado em 16/10/2009. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 12.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. – São Paulo: Atlas, 1999.

GODOY, Arilda Schimidt. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de Administração de Empresas. V.35. n.2. p.57 - 63. São Paulo,1995.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. Brinquedos e brincadeiras na Educação Infantil. São Paulo: Cortez 2010.

___________. O jogo e a educação. In: KISHIMOTO, Tizuko Mochida. Jogo, brinquedo, brincadeiras e a educação. – 5ª Edição. São Paulo: Cortez, 2001.

LIMA, Francisca Josélia Inocêncio de. Práticas culturais lúdicas em jogo: tradição e atualidade nas brincadeiras da rua. In: XI CONGRESSO LUSO AFRO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS. Universidade Federal da Bahia: PAF I e II, Salvador : 2011. p. 01 - 12.

LOPES,K. R., MENDES,R. P., FARIA, Vitória L. B. de. organizadoras. Coleção Proinfantil - Livro de estudo: Módulo II /– Brasília: MEC. Secretaria de Educação Básica. Secretaria de Educação a Distância, 2005.

MÜLLER, V. R. et al. O brincar das crianças: aproximações às culturas infantis. Revista Digital, Buenos Aires, v. 11, n. 104, 2007. Disponível em: < http://www.pca.uem.br>. Acesso em: 27 nov. 2011.

NEVES, J. L. Pesquisa qualitativa – características, uso e possibilidades. Cadernos de pesquisa em administração. São Paulo. V. 1, nº 3, 2º Sem, 1996.

PIAGET, Jean. O juízo moral na criança. Tradução: Elzon Lenardon. São Paulo: Summus, 1994.

RAMPAZZO, Lino. Metodologia Científica – para alunos de graduação e pós-graduação. São Paulo: Editora Loyola – 3ª edição, 2002.

SANTOS, Camila Ramos Dos; DAMASCENO, Mara Laiz. Desenvolvimento motor: diferenças do gênero e os benefícios da prática do futsal e ballet na infância. Revista Hórus, São Paulo, v. 4, n. 2, p.177-187. Out-Dez 2010.

SILVA, José Manoel. Pensamento e Linguagem em Lev Vygotski e Jean Piaget. Publicado dia 15 de abril de 2006. Disponível em: bocc.¬uff.¬br/¬pag/¬silva-¬jose-¬manuel-¬pensamento--linguagem.¬pdf Acesso em:12/10/2012.

VYGOTSKY, Lev Semenovich. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. Org. Michael Cole ET all. – 7ª edição. – São Paulo: Martins Fontes, 2007.




DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2017.5763



 

HOLOS IN THE WORLD