FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EAD PARA USO DAS TIC’s NA REGIÃO AMAZÔNICA: TUTOR PRESENCIAL

Jeferson Cardoso da Silva, Orestes Zivieri Neto, Adonias Soares da Silva Júnior, Gabriella Silva Nascimento

Resumo


Esta pesquisa teve como objetivo geral verificar a formação dos Tutores Presenciais que atuam na Educação à Distância na região Amazônica. Os colaboradores da pesquisa são docentes dos cursos EAD do IFRO campus Porto Velho Zona Norte, com amostragem total de 29 indivíduos destes apresentados. A coleta de dados se deu a partir da aplicação de um questionário com perguntas fechadas e abertas. Este instrumento foi submetido e posteriormente aprovado pelo comitê de ética em pesquisa, atendendo aos preceitos éticos da resolução 466/12 do Conselho Nacional de Saúde, sob número de parecer: 1.566.512. Após verificação dos dados, percebeu-se que os perfis analisados apontam uma formação majoritariamente de especialistas, o que sugere um conhecimento moderado tendo em vista que nem sempre são especialistas na área em que atuam. 


Palavras-chave


Formação de Professores; Educação à Distância; Região Amazônica; Tutor Presencial

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, M. E. B. (2005). Prática e formação de professores na integração de mídias. Prática pedagógica e formação de professores com projetos: articulação entre conhecimentos, tecnologias e mídias. In: ALMEIDA, M.E.B. & Moran, J. M. (Orgs.). Integração das Tecnologias na Educação. Brasília, DF: Ministério da Educação.

Almeida, O. C. S. (2008). Evasão em curso a distância: análise dos motivos de desistência. Dissertação de Mestrado, UnB, Brasília, DF, Brasil.

Belloni, M. L. (2002). Ensaio sobre a Educação à Distância no Brasil. Educação e sociedade. Scielo Brasil, Vol. 23 (n.78), 117-142. Recuperado em 05 Setembro, 2016, de http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-73302002000200008&script=sci_arttext&tlng=pt

Buarque, C. (2012). Formação e invenção do professor no século XXI. In: Litto, F. M. & Formiga, M. (Orgs.). Educação à Distância: o estado da arte (2. ed.). São Paulo: Pearson Education.

Bueno, J. L. P & Gomes, M. A. O. (2011). Uma análise histórico-crítica da formação de professores com tecnologias de informação e comunicação. Revista Cocar, v. 5 (n. 10), p. 53-64. Recuperado em Janeiro, 2016 de http://paginas.uepa.br/seer/index.php/cocar/article/download/196/170

Cislaghi, R., Nassar, S. M., & Wilges, B. (2010). Sistema de avaliação e apoio à qualidade do ensino a distância. Recuperado em 30 Julho, 2015 de http://moodle.saas.etec.ufsc.br/saas/moodle

Decreto 5.622, de 19 de dezembro de 2005. Regulamenta o artigo 80 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF. Recuperado em 25 novembro, 2016 de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/ D5622.htm

Ferreira, Z. M. (2009). Prática pedagógica do professor-tutor em Educação à Distância no curso Veredas - Formação Superior de Professores. Tese de Doutorado em Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Fujita, O. M. (2010). Educação à Distância, currículo e competência: uma proposta de formação on-line para a gestão empresarial. Tese de Doutorado em Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Garcia Aretio, L. (2002). Resistencias, cambio y buenas prácticas en la nueva educación a distancia. Revista Iberoamericana de Educación a Distancia, Vol. 5 (n. 2), pp. 9 - 36. Recuperado em 24 Novembro, 2015 de www.uned.es/catedraunesco-ead

Gatti, B. A. (2009). Formação de professores: condições e problemas atuais. Revista Brasileira de Formação de Professores , Vol. 1, (n. 1), pp- 90-102.

GIL, A.C. (2009). Métodos e técnicas de pesquisa social (6ª ed.). São Paulo: Atlas.

Guimarães, L. S. R. (2012). O aluno e a sala de aula virtual. In: LITTO, F. M. & Formiga, M. (Orgs.). Educação à Distância: o estado da arte (2. ed.). São Paulo: Pearson Education.

Kenski, V. M. (1998). Novas tecnologias: O redimensionamento do espaço e do tempo e os impactos no trabalho docente. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, (n. 8) pp. 58-71.

Kenski, V. M.; Gozzi, M. P.; & Jordão, T. C. (2014). A Experiência de ensinar e aprender em ambientes virtuais abertos. Recursos Educacionais Abertos & Redes Sociais. São Luís, Abeu (2. ed.), pp. 303-313.

Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Brasília, DF. Recuperado em 06 Junho, 2016 de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm

Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF. Recuperado em 08 Setembro, 2016 de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm

Moran, J. M. (1994). O que é Educação à Distância. Centro de Educação à Distância, Rio de Janeiro, SENAI, ano 1, (n. 5), pp. 1-3. Recuperado em 03 Fevereiro, 2016 de http://www2.eca.usp.br/moran/wp-content/uploads/2013/12/dist.pdf

Moran, J. M. (2005). O que é um bom curso à distância? In: ALMEIDA, M.E.B. & Moran, J. M. (Orgs.). Integração das Tecnologias na Educação. Brasília, DF: Ministério da Educação.

Neto, J. A. M. (2012). Superando barreiras naturais: a EAD na região amazônica. In: LITTO, F. M. & Formiga, M. (Orgs.). Educação à Distância: o estado da arte (2. ed.). São Paulo: Pearson Education.

Neves, C. M. C.(2005). A Educação à Distância e a formação de professores. In: ALMEIDA, M.E.B. & Moran, J. M. (Orgs.). Integração das Tecnologias na Educação. Brasília, DF: Ministério da Educação.

Resolução nº 18, de 16 de junho de 2010. Altera a Resolução CD/FNDE nº 36, de 13 de julho de 2009, que estabelece orientações e diretrizes para concessão e pagamento de bolsas de estudo e pesquisa no âmbito do Sistema Escola Aberta do Brasil (Programa e-Tec Brasil). Brasília, DF. Recuperado em 25 Janeiro, 2016 de https://www.fnde.gov.br

Richardson, R.J. (2012). Pesquisa Social: Métodos e Técnicas (3. ed.). São Paulo: Atlas.

Santos, M. F. dos. (2015). A construção da autonomia do sujeito aprendiz no contexto da EAD. Revista Brasileira de Aprendizagem aberta e à Distância, São Paulo, v. 14, pp. 21-35.

Vilaça, M. L. C. (2010). Educação à Distância: conceitos, termos e um pouco de história. Revista Magistro. Programa de Pós-Graduação em Letras e Ciências, Unigranrio, Rio de Janeiro, Vol.2, (nº 1). Recuperado em 24 Novembro, 2015 de http://publicacoes.unigranrio.edu.br/index.php/magistro/article/view/1197/699




DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2017.5626



 

HOLOS IN THE WORLD