HISTÓRIAS EM QUADRINHOS NA EDUCAÇÃO ARTÍSTICA, ENERGÉTICA E AMBIENTAL NO PROEJA

Adriano Henrique Ferrarez, Alberto Carlos Souza

Resumo


O PROEJA busca resgatar e reinserir, no sistema escolar regular, jovens e adultos, promovendo uma formação integral na vida e para a vida. A interdisciplinaridade é uma ferramenta para se alcançar uma formação mais humanista. A Arte na Educação cumpre um papel importante na promoção do conhecimento cultural do aluno. Uma das possibilidades de potencializar o aprendizado de arte são as histórias em quadrinhos (HQs) que podem proporcionar excelentes resultados interdisciplinares, sobretudo com a união da linguagem artística e científica. A energia e o acesso a ela são cada vez mais questões centrais no nosso dia a dia. Energia e desenvolvimento são indissociáveis, resultando em forte pressão sobre o meio ambiente. Nesse contexto, a educação energética e ambiental ganha importância e deveria fazer parte da formação de todo brasileiro. Este trabalho teve por objetivo realizar um projeto interdisciplinar envolvendo educação artística, energética e ambiental por meio de histórias em quadrinhos.


Palavras-chave


PROEJA; Educação Artística; Ciência e Tecnologia

Texto completo:

PDF

Referências


André, H. A. (1982). Gramática ilustrada. 3ª ed. São Paulo, Editora Moderna.

Brasil. (2002). Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: Ministério da Educação.

Brasil. (2007). MEC/SETEC. Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos: Educação Profissional Técnica de nível Médio / Ensino Médio. Documento Base.

Centro de Pesquisa de Energia Elétrica (CEPEL). (2010). Atlas do Potencial Eólico Brasileiro - Preliminar. Brasília.

CGEE – Centro de Gestão e Estudos Estratégicos. (2008). Manual de capacitação sobre mudança do clima e projetos de mecanismo de desenvolvimento limpo (MDL), Brasília - DF.

Danton, G. (2013). Como Escrever uma História em Quadrinhos. Recuperado em 15 de setembro de 2013, de http://quadrinhopole.files.wordpress.com/2013/02/comoescreverhq_giandanton.pdf

Edwards, B. (1979). Desenhando com o lado direito do cérebro. Rio de Janeiro, Editora Ediouro.

Eisner,W. (1989). Quadrinhos e Arte Sequencial, São Paulo: Martins Fontes.

Empresa de Pesquisa Energética, (EPE). (2012). NOTA TÉCNICA EPE - Análise da Inserção da Geração Solar na Matriz Elétrica Brasileira.

Fazenda, I. C. A. (1994). Interdisciplinaridade: história, teoria e pesquisa. 4. ed. Campinas – SP, Papirus.

IPCC – Intergovernmental Panel on Climate Change. (2001). Summary for Policymakers. A Report of Working Group I of the Intergovernmental Panel on Climate Change. Terceiro Relatório de Avaliação do IPCC. Grupo 3. Shangai, China.

Jannuzzi, G.D., Swisher, J.N.P. (1997). Planejamento Integrado de Recursos: Meio Ambiente, Conservação de Energia e Fontes Renováveis. Editora Autores Associados. Campinas - SP, Brasil.

Macedo, I. Energia: fontes e usos finais no Brasil. São Paulo, Recuperado em 03 de setembro de 2013, de http://www.comciencia.br/reportagens/2004/12/05.shtml

Manfrinato, W. A. (1999). Mudanças Climáticas: ações e perspectivas para o novo milênio, Boletim Qualidade de Vida, CEPEA/ESALQ/USP, São Paulo, v. 1, n. 6.

Mccloud, S. (2005). Reinventando os Quadrinhos, São Paulo: M Books.

Mendonça, J.M.P. (2008). Traça Traço Quadro a Quadro, Belo Horizonte, Editora C/Arte.

Notícia Proibida. (2010). Recuperado em 02 de agosto de 2010 de http://site.noticiaproibida.org/fotos/Image/atuais/esquema_do_efeito_estufa_reduzido.jpg

Patati, C., Braga, F. (2006). Almanaque dos Quadrinhos, Rio de Janeiro, Editora Ediouro.

Rocha, M. T. (2003). Aquecimento global e o mercado de carbono: uma aplicação do modelo CERT, Piracicaba: ESALQ/USP.

Silva, E. P. Fontes renováveis de energia para o desenvolvimento sustentável. Recuperado em 08 de julho de 2013 de http://www.comciencia.br/reportagens/2004/12/15.shtml




DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2017.5544



 

HOLOS IN THE WORLD