TECNOLOGIAS SOCIAIS HÍDRICAS PARA CONVIVÊNCIA COM O SEMIÁRIDO: O CASO DE UM ASSENTAMENTO RURAL DO MUNICÍPIO DE CABACEIRAS - PB

Autores

  • Suayze Douglas da Silva Universidade Federal da Paraíba
  • Verônica Pereira de Medeiros Universidade Federal da Paraíba
  • Anieres Barbosa da Silva Universidade Federal da Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2016.3312

Palavras-chave:

Assentamento Serra do Monte, Políticas Públicas, Tecnologias Sociais Hídricas.

Resumo

O estudo tem como objetivo compreender o uso de tecnologias sociais hídricas para a convivência com o semiárido no assentamento Serra do Monte, situado no município de Cabaceiras-PB, na região do Cariri paraibano. Nessa região, a semiaridez e a escassez de água se mantiveram, historicamente, embasadas na concepção de combate às secas. Contudo, desde o ano de 2000 vem ocorrendo uma mudança paradigmática no que se refere à formulação das políticas e ações pautadas pela concepção de convivência com o semiárido. Uma dessas mudanças ocorre com a difusão de tecnologias sociais, oriundas de práticas não agressoras ao meio ambiente, que estão contribuindo para a valorização de saberes e técnicas e para a melhoria das condições de vida da população local. O estudo em pauta apoia-se na abordagem descritiva-reflexiva como referencial para a análise das experiências e dos resultados decorrentes dos usos de tecnologias sociais e práticas desenvolvidas pelos assentados. O estudo foi realizado por meio dos seguintes procedimentos: levantamento bibliográfico, coleta de dados secundários e trabalhos de campo para registros fotográficos e entrevistas com as lideranças locais. Conclui-se que as tecnologias sociais hídricas, embora estejam amenizando os efeitos das secas periódicas, não são suficientes para a consolidação do paradigma da sustentabilidade e da convivência com o semiárido na área pesquisada. Apesar da importância assumida pelas tecnologias sociais hídricas aqui estudadas, a sua implantação e a própria visão de convivência com o semiárido ainda requerem maior articulação com ações voltadas às mudanças estruturais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

AB’SABER, Aziz Nacib. Sertões e sertanejos: uma geografia humana sofrida. In: REVISTA DE ESTUDOS AVANÇADOS. São Paulo: USP, v. 13, no36, 1999.

ANDRADE, Gilberto Osório de. Alguns aspectos do quadro natural do Nordeste. Recife, SUDENE, 1977 (Séries Estudos Regionais).

ANDRADE, Manuel Correia de. A problemática da seca. Recife: Liber Gráfica e Editora, 1999.

ARTICULAÇÃO DO SEMIÁRIDO – ASA. Disponível em: <http://www.asabrasil.org.br/portal/Default.asp>. Acesso em: 15 de julho de 2015.

CABRAL, Elisa Maria et al. (Org.) Os Cariris Velhos da Paraíba. João Pessoa: UFPB/ Editora Universitária e A União, 1977.

DUARTE, Renato Santos. O estado da arte das tecnologias para a convivência com as secas no Nordeste. Fortaleza: Banco do Nordeste; Recife: Fundação Joaquim Nabuco, 2002.

DUQUE, José Guimarães. Solo e água no polígono das secas. 6ª Ed. Mossoró: Coleção Mossoróense, 2001.

FERREIRA, Lúcia de Fátima Guerra. Raízes da indústria da seca: o caso da Paraíba. João Pessoa: Editora Universitária/UFPB, 1993.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Censo Demográfico 2010. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br>. Acesso em: 04 de agosto de 2014.

GOMES, Gustavo Maia. Velhas secas em novos sertões: Continuidade e mudança na economia do Semiárido e dos Cerrados nordestinos. Brasília: IPEA, 2001.

MALVEZZI, Roberto. Semi-árido – uma visão holística. Brasília: Confea, 2007.

MATTOS, Beatriz Helena Oliveira de Mello. Natureza e sociedade no semiárido brasileiro: um processo de aprendizagem social? In: Educação no contexto do semi-árido brasileiro. Fortaleza: Fundação Konrad Adenauer, 2004.

NIMER, Edmon. Pluviometria e recursos hídricos de Pernambuco e Paraíba. Rio de Janeiro: IBGE/SUPREN, 1979.

OLIVEIRA, Francisco de. Elegia pra uma re(li)gião: SUDENE, Nordeste. Planejamento e Conflitos de classes. 3ª Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981, 132p.

PLANO DE RECUPERAÇÃO DO ASSENTAMENTO SERRA DO MONTE CABACEIRAS-PB: COOPAGEL, INCRA, Projeto Dom Helder Câmara, 2010, 82p.

REBOUÇAS, Aldo C. Água na Região Nordeste: desperdício e escassez. Revista Estudos Avançados, São Paulo, v. II, n. 29, p. 127-154, Jan/abril 1997. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ea/v11n29/v11n29a07.pdf>. Acesso em 24 de dezembro de 2014.

SILVA, Anieres Barbosa da. Políticas públicas e tecnologias sociais para convivência com o semiárido paraibano: um olhar sobre as experiências de uso e manejo de água no Cariri Paraibano. (Relatório de Pesquisa) UFPB/CNPq, João Pessoa, 2012.

SILVA, Pedro Carlos Gama da; MOURA, Magna Soelma B. de; KIILL, Lúcia Helena Piedade et al. Caracterização do Semiárido brasileiro: fatores naturais e humanos. In: SÁ, Iêdo Bezerra; SILVA, Carlos Gama da (Orgs). Semiárido brasileiro: pesquisa, desenvolvimento e inovação. Petrolina: Embrapa Semiárido, 2010, p. 17-48.

SILVA, Roberto Marinho Alves da. Entre o combate à seca e a convivência com o semi-árido: transições paradigmáticas e sustentabilidade do desenvolvimento. Reimp. Fortaleza: Banco do Nordeste do Brasil, 2010.

_____. Entre o combate à seca e a convivência com o Semiárido: políticas públicas e transição paradigmática. In: Revista Econômica do Nordeste. Fortaleza, v. 38, no3, jul-set 2007.

SILVA, Suayze Douglas da. Tecnologias sociais hídricas para convivência com o semiárido no Assentamento Serra do Monte, Cabaceiras-PB. 2015. 55p. Monografia (Bacharelado em Geografia) – UFPB, João Pessoa (PB).

SOUZA, Bartolomeu Israel de. Cariri Paraibano: do silêncio do lugar à desertificação. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS, Porto Alegre, 2008.

Downloads

Publicado

2016-02-15

Como Citar

Silva, S. D. da, Medeiros, V. P. de, & Silva, A. B. da. (2016). TECNOLOGIAS SOCIAIS HÍDRICAS PARA CONVIVÊNCIA COM O SEMIÁRIDO: O CASO DE UM ASSENTAMENTO RURAL DO MUNICÍPIO DE CABACEIRAS - PB. HOLOS, 1, 295–309. https://doi.org/10.15628/holos.2016.3312

Edição

Seção

ARTIGOS