O LETRAMENTO VISUAL COMO EXPERIÊNCIA ESTESIOLÓGICA

Autores

  • Adeilza Gomes da Silva Bezerra UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE
  • Karenine de Oliveira Porpino UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2015.2554

Palavras-chave:

Leitura da Visualidade. Estesia. Corpo. Formação Docente. Artes.

Resumo

O presente artigo objetiva discutir o letramento visual como experiência estesiológica, considerando as imagens como artefatos da cultura visual e a mediação da leitura da visualidade como estesia do corpo. Trata-se de um recorte da pesquisa de Doutorado em Educação, a qual estabelece diálogos com a Fenomenologia da Percepção, Alfabetismos Múltiplos e a Formação Docente. Com base na Fenomenologia, a pesquisa entrelaça experiências do mundo vida do pesquisador e de outros docentes das escolas municipais do Natal-RN (Brasil), no cenário da Formação Docente Continuada em Artes - FDCA.  Nesse contexto, considera-se a circularidade entre descrição, redução, interpretação, intencionalidade, compreensão e ação. A tese defendida é que o espaço tempo da FDCA irradia um estilo de ser docente mediador da leitura da visualidade como experiência sensível do corpo, sendo a abertura para o mundo um acontecimento do olhar e ler é atribuir sentidos às coisas, às palavras, às imagens, aos sons, ao toque: uma experiência que convida os docentes a agirem quando afetados por ela e se faz estética/estesiológica enlaçando-os por inteiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Adeilza Gomes da Silva Bezerra, UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE

Graduada em Educação Artística - Habilitação Desenho (UFRN) e Mestre em Educação pelo PPGED/UFRN atuando nas áreas de Artes, Ensino de Artes Visuais, Educação e Formação Docente. Atuando tambèm como Assessora Pedaggógica e Professora Formadora na área de Artes pela Secretaria Municipal de Educação do Natal/RN. Atualmente, Doutoranda em Educação/Bolsista Capes no Programa de Pós-Graduação em Educação, vinculada ao ESTESIA - Grupo de Pesquisa Corpo, Fenomenologia e Movimento integrada à Linha de Pesquisa Estratégia e Produção de Conhecimento.

Karenine de Oliveira Porpino, UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE

Professora Drª no Curso de Licenciatura em Dança - Departamento de Artes, Coordenadora no Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas, pesquisadora no Programa de Pós-Graduação em Educação junto ao Grupo de Pesquisa ESTESIA - Corpo, Fenomenologia e Movimento na Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Referências

BARBOSA, A.M. (2009). A imagem no ensino da arte: anos 1980 e novos tempos. São Paulo: Perspectiva.

________, A. M. (2010) Org. Abordagem Triangular: no ensino das artes e culturas visuais. São Paulo: Cortez Editora.

DIDI-HUBERMAN, G. (2010). O que vemos, o que nos olha. (P. Neves, Trad.) São Paulo: Editora 34.

HERNANDEZ, F. (2007). Catadores da Cultura Visual. (A. D. Duarte, Trad.) Porto Alegre: Editora Mediação.

MERLEAU-PONTY, M. (2006). Fenomenologia da Percepção. (3a ed.) (C. A. Ribeiro de Moura, Trad.). São Paulo: Martins Fontes.

________, M. (2009). O visível e o invisível. (4ª edição). (J. Artur Gianotti e A. Mora d’Oliveira). São Paulo: Perspectiva.

________, M. (2013). O Olho e o Espírito. (1ª ed.). (P. Neves e M. E. Galvão Gomes Pereira). São Paulo: Cosacnaify Portátil.

MORTATTI, M. R. L. (2004) Educação e Letramento. São Paulo: UNESP.

ORTEGA Y GASSET, J. (2011). Ensaios de Estética. (R. Araújo). São Paulo: Cortez.

THE NEW LONDON GROUP. The Pedagogy of Multiliteracies: Designing Social Futures. 1996. Disponível em:

http://wwwstatic.kern.org/filer/blogWrite44ManilaWebsite/paul/articles/A_Pedagogy_of_Multiliteracies_Designing_Social_Futures.htm Acesso em 02/06/2014

Downloads

Publicado

2015-07-24

Como Citar

Bezerra, A. G. da S., & Porpino, K. de O. (2015). O LETRAMENTO VISUAL COMO EXPERIÊNCIA ESTESIOLÓGICA. HOLOS, 3, 238–245. https://doi.org/10.15628/holos.2015.2554

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)