IMPACTOS DA PANDEMIA DA COVID-19 NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA REDE MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO

Autores

  • Carlos Soares Barbosa Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2022.11619

Palavras-chave:

Educação de Jovens e Adultos. Ensino remoto. Pandemia. Covid-19.

Resumo

Este artigo objetiva refletir os impactos causados pela pandemia da Covid-19 na Educação de Jovens e Adultos (EJA), na rede municipal de educação do Rio de Janeiro, face aos novos desafios vivenciados na modalidade provocados pelo fechamento de escolas e a realização das atividades escolares mediadas por tecnologias digitais. Trata-se de resultado da pesquisa exploratória, realizada entre maio e junho de 2020, cujo procedimento de dados se fez por meio de entrevistas com cinco professores da modalidade e com o subgerente da Gerência de Educação da SME-RJ. Os dados indicam a inconsistência do ensino remoto para a modalidade, face à pouca relação dos educandos com a tecnologia, o baixo acesso à internet, as precárias condições de moradia e a necessidade dos educandos – trabalhadores e chefes de família – terem de criar novas estratégias para garantir a produção da existência diante da nova condição de desemprego

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Carlos Soares Barbosa, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Doutor em Políticas Públicas e Fomação Humana pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro; Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação: processos formativos e desiguladades sociais (PPGEdu-FFP-UERJ). Professor Adjunto da f\Faculdade de Educação (UERJ-Maracanã).

Referências

Barbosa, C. S. & Pires, R. L. (2020). Desafios para educação de qualidade e o direito à aprendizagem de jovens, adultos e idosos no tempo presente: o que pensam os professores? Quaestio, Sorocaba, 22(1), 271-291.

Behar, P. A. (2020). O ensino remoto emergencial e a educação a distância. Jornal da UFRGS. Recuperado de: https://www.ufrgs.br/coronavirus/base/artigo-o-ensino-remoto-emergencial-e-a-educacao-a-distancia/. Acesso em: 15 set. 2020;

BRASIL. (2000). Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CEB nº 11/2000. Brasília: CNE: MEC.

BRASIL. (1996). Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – nº 9394/96. Brasília, DF: Senado Federal.

BRASIL. (1998). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

Haddad, S. & Di Pierro, M. C. (2000). Escolarização de jovens e adultos. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, n. 14.

Harvey, D. (2020). Política anticapitalista em tempos de coronavírus. Blog da Boitempo, 24 de março de 2020. Recuperado de: <https://blogdaboitempo.com.br/2020/03/24/david-harvey-politica-anticapitalista-em-tempos-de-coronavirus/>. Acesso em: 25 jul. 2020.

Ibge. (2018). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) 2018. Recuperado de: <https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101576_informativo.pdf>. Acesso em: 12 dez. 2018.

Lino, L. A. (2020). As consequências e contradições da adoção do ensino remoto na EJA no pós-pandemia. Fórum de Educação de Jovens e Adultos, vídeo, 2020.

Marcial, E. C. (Org.) (2020). Cenários Pós-Covid. Possíveis impactos sociais e econômicos no Brasil. Brasília, DF: NEP-Mackenzie Brasília, Grupo de Pesquisa e Estudos Prospectivos.

Maria, L. S. de S. (2018). Pesquisa sobre educação de pessoas jovens e adultas GT 18 ANPED (2007-2015): O que narram as pesquisas sobre formação docente? In Fontoura, H. A. (Org). Pesquisas em processos formativos e desigualdades sociais. Niterói: Intertexto, p. 346-352.

Nicodemos, A., Serra, E. Educação de Jovens e Adultos em contexto pandêmico: entre o remoto e a invisibilidade nas políticas curriculares. Currículo sem Fronteiras, v. 20, n. 3, p. 871-892, set./dez. 2020.

Nóvoa, A. (2020). E agora, escola? Jornal da USP. Recuperado de: https://jornal.usp.br/artigos/e- agora-escola/. Acesso em: 21 ago. 2020.

O Tempo (2020). Mais de 11 milhões moram em casas superlotadas. Recuperado de: <https://www.otempo.com.br/brasil/mais-de-11-milhoes-no-brasil-moram-em-casas-superlotadas-1.2317766>. Acesso em: 04 set. 2020.

Pnud (2019). Relatório do Desenvolvimento Humano (2019). Além do rendimento, além das médias, além do presente: Desigualdades no desenvolvimento humano no século XXI. Recuperado de: http://hdr.undp.org/sites/default/files/hdr_2019_pt.pdf Acesso em: 02 fev.2020.

Rio de Janeiro. Deliberação E/CME nº. 39, 02 abr. 2020. Recuperado de: <http://www.rio.rj.gov.br/web/sme/exibeconteudo?id=1122731>. Acesso em: 10 de ago. 2020.

Santos, B. de S. (2020) A cruel pedagogia do vírus. SP: Boitempo, coleção pandemia capital, 2020.

Silva, M. (2020) EJA: Escolas temem que adultos abandonem estudos após pandemia. Notícias Concursos, 05 jun. 2020. Recuperado de: <http://www.rio.rj.gov.br/web/sme/exibeconteudo?id=1122731>. Acesso em: 09 ago. 2020.

Silva, C.B., Souza, C.H.M. & Carmo, G.T. (2016). Educação de jovens e adultos e novas tecnologias da informação: uma abordagem educacional. Holos, 32 (2), 312-325.

Soares, L. (2008). O educador de jovens e sua formação. Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 47, p. 83-100.

Soares, M.C & Medeiros, N. F. M. (2019). Ações didáticas pedagógicas na educação de jovens e adultos. Holos, 35 (7), 1-9.

Ventura, J. & Rummert, S. (2011). Considerações político-pedagógicas sobre as especificidades da educação de jovens e adultos trabalhadores. In: Souza, J. dos S. & Sales, S. R. (Orgs.). Educação de Jovens e Adultos: políticas e práticas educativas, Rio de janeiro: Nau Editora, EDUE-UFRRJ.

Unesco. (1997). Declaração de Hamburgo sobre a Educação de Adultos e Plano de Ação para o Futuro. In: Conferência Internacional sobre Educação de Adultos. Hamburgo, Alemanha: jul./1997

Downloads

Publicado

07/01/2022

Como Citar

Barbosa, C. S. (2022). IMPACTOS DA PANDEMIA DA COVID-19 NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA REDE MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO. HOLOS, 2, 1–16. https://doi.org/10.15628/holos.2022.11619

Edição

Seção

ARTIGOS